terça-feira, 9 de junho de 2009

VIVENDO PLURIDIMENSIONALMENTE (!)

Há anos eu li um livro que falava como os acontecimentos estão interligados. "Teoria do Caos", saca? Aquela coisa de que quando uma borboleta bate as asas na América, ocorre um tufão na China. Tudo no mundo interligado por eventos em série.

De acordo com o dito no livro, isso é meio física-quântica. Ora bolas, eu sou daquelas que faz conta de somar nos dedos - não tenho pretensão nenhuma de saber física alguma (aliás, não lembro nem a fórmula da velocidade).

Mas sei que isso tudo é possível por uma questão de pluridimensionalidade. As coisas, a vida, os acontecimentos, as pessoas, os sentimentos - nada disso é linear. Elas acontecem em dimensões, e direções múltiplas e interligadas ao mesmo tempo.

Essa introdução toda pra dizer o seguinte: quem acompanha o blog há muito tempo, deve andar estranhando que ele passou tanto tempo falando de moda, e agora fala um dia do Jack, um de moda, um dia de casa, outro de decor, outro de maquiagem.... tudo ao mesmo tempo agora. E eu queria explicar.

Eu não acho que seja entendida de tudo, não. Na verdade, eu não sou entendida é de nada. Mas é que eu vivo bem a minha pluralidade. Eu não sou uma - EU SOU MUITAS.

As pessoas passam temporadas infelizes, porque acham que tem de se apegar a um estilo de vida, um trabalho, um gosto, uma mania, para sempre. É MORAL E SOCIALMENTE certo isso (no entendimento do coletivo).
Sabe como é? Vc cresce ouvindo dos seus pais, dos professores, de todo mundo que vc tem de escolher UMA coisa, ser uma coisa... com 18/19 anos, todo mundo quer que vc já saiba o que vai fazer pelo resto da vida!

Eu vivia ouvindo: "mas vc tem que TERMINAR as coisas que começa. É muito importante terminar, terminar, terminar!".

É? Por quê? Quem disse? Aí por causa disso, vc vê gente em carreiras infelizes, em hobbies monótonos, pq se sentem na obrigação de continuar nas escolhas que fizeram. NÃO TE DÃO O DIREITO DE MUDAR DE OPINIÃO. Porque mudar de opinião é sinal de volubilidade e fraqueza de caráter. Ora, faça-me o favor!!! Humpf!

E aí, um belo dia, quando vc vai se apresentar, você não sabe quem vc é. Você se define como "o professor", " a médica". E eu tenho muito pesar por isso, pq essas pessoas são tão definidas pelo que elas FAZEM e não pelo que elas SÃO, que se não puderem mais ser isso, se perdem.

Você pode sim ser economista e amazona (oi, Olly!!!), pode ser advogada e cantar (oi, Filééé); pode trabalhar com peões, e ser ótima organizadora de coisas delicadas (oi comadre Dani!!). Pode estar fanática por livros hoje, e por filmes amanhã.

Pode descobrir que gosta de tocar rabeca, ou pintar em cabeça de alfinete. E pode descobrir que seu trabalho é isso: TRABALHO. Uma coisa que vc faz para ganhar dinheiro. Se vc gostar do que faz, melhor. Mas ele não é quem vc é!

Por que vc não pode ser clubber e urbana, e sonhar em ter um sítio?! Por que não pode ter nascido no interior, e sonhar em ser estilista?!

Quando eu era criança, eu queria ser um monte de coisas (como a maioria das crianças). E eu sempre me revoltei muito com o fato de ter de escolher uma só! As possibilidade eram tantas!
E de repente eu me toquei - êpa! Não tem segundo "round" - a vida é só essa mesma! E se eu escrever a vida toda, e não tentar cozinhar? E se fizer uma coisa só, e não souber como é experimentar outra??? Não tenho outra vida pra viver!!!!!! Quero fazer tudo nessa mesmo, rsrs.

As pessoas esquecem isso. Sonham com o que poderiam ter feito. As pessoas se agarram nas suas certezas e seguranças com unhas e dentes. Se agarram nas constâncias. É essa necessidade absurda de ter coerência, de fazer sentido.

Tem coisa mais chata do que ser previsível? Do que todo mundo te conhecer como um mapa? Saber tudo que vc é capaz? VOCÊ É PLURAL!!!! Você existe um muitas dimensões ao mesmo tempo, em muitas sintonias, e em muitos pensamentos contrastantes.

As pessoas (babacas e inseguras), acham que quem é assim não é confiável, não faz sentido, é confuso. Mas não há confusão alguma!

Quando eu apareço com alguma novidade, um interesse novo, é batata: meia dúzia revira os olhos e sorri com sarcasmo superior - "é mais uma das coisas que a Elise está tentando!". Mais uma mania. Mais uma coisa que ela NÃO VAI TERMINAR. hahahahaha . Eu acho isso tão engraçado! Então vc só pode fazer balé se for "terminar"? Tipos, virar bailarina profissional do Theatro Municipal????! Não pode ser só para experimentar? Pelo prazer momentâneo?! Tinham que ver quando eu resolvi estudar violino! rsrsrs

Era um tal de sorrisinho de descrença..... aquele ar de "lá vem ela com mais uma coisa"! Até piadinha ouvi - que o violino iria ficar encostado junto com a guitarra. E se ficasse? Qual o problema???????

Sim, eu voto pelo direito de mudar de opinião. Se agarrar a qualquer coisa POR HÁBITO, é burrice.

Então, a melhor coisa que eu posso dizer, pra quem quiser ouvir é: SE EXPERIMENTE. SE TESTE. SE DESCUBRA. Tente ao máximo. Não tenha medo de mudar a direção. De desistir; desistir não é feio, quando não está dando certo, ou não é o que vc esperava. Não tenha medo de parecer incongruente com a sua personalidade. Não se tome por certo.

E assim, vamos vivendo - nós criaturas peculiares e complexas, nos admirando sucessivamente com as novidades e possibilidades que a vida nos apresenta.

BEIJAS GRANDES.

22 comentários:

Renata disse...

Cara, vc é alma gêmea do Dani!!! rsrsrsr! Como são iguais, nunca vi...
Olha, eu já sofri muito por ter abandonado o direito depois de exercer por 10 anos, ter feito pós e o caramba...até que aprendi a aceitar que não era pra mim e que ainda não é tarde pra eu encontrar um novo caminho, ainda mais pq eu penso exatamente como vc, trabalho é só um meio e não é o que eu sou!
Adorei!
beijos

Nathalia disse...

adorei!
foi tipo assim: acalma, coração.

haha

Makeup World por Dany Dafne               disse...

Oie! Td bem?
Tô passando pra divulgar meu blog pra vc:

www.makeupworld.com.br

Fala sobre maquiagens, cosméticos em geral e mais algumas coisinhas...
Vou ficar muito feliz se vc der uma passada por lá!

Boa semana!
Beeejo!
=*

Aline disse...

Penso dessa mesma forma e acho que quando nós percebemos que essa vida é tão breve pra tudo que se tem por fazer/experimentar que essa atitude deixa de ser falta de coerência e se torna o tal do se permitir, se permitir viver e curtir cada coisa no tempo que cada um possui.

Bjos,
Aline

disse...

Adorei o texto, Elise! Por muito tempo ouvi dque eu começava as coisas e nunca terminava (Oi, Pai!!). Acho que cada um tem o direito e o dever de experimentar, para descobrir o que gosta e o que sabe fazer.
Beijos e parabéns pelo blog... todo dia dou uma entradinha aqui e me divirto horrores!!!

fátima disse...

eu comecei a achar seu blog legal exatamente depois que você começou a diversificar. você escreve bem, e seria uma pena ficar restrita a um só assunto. ninguém é um assunto!

bj

Ice disse...

excelente post chuchu! já penso com essa "flexibilidade" há algum tempo mesmo e tento viver assim.

só adio certas coisas por conta de responsabilidades com outras pessoas..mas assim q eu puder eu me largo no mundo.

Geovana disse...

Verdade... são tantas regras que nos empurram ao longo da vida que nem dá pra juntar todas elas.

1. Vc tem que se decidir aos 15 anos o que quer ser pra vida toda
2. O seu trabalho tem que te dar prazer e dinheiro, estabilidade... bla, bla, bla...
3. (Alguns) Tem que ser funcionário público, preferencialmente federal.
4. Tem que ter 01 amor pra vida toda e filhos que todos admirem.
5. Se decidiu nadar, tem que ser medalhista e se faz balé, não pode tropeçar.
6. Tem que ser alta, magra, loira e linda.
.... bla, bla, bla...
Então eu gosto do que um professor me disse: Pessoas inteligentes mudam e às vezes fazem vários vestibulares e faculdades até se encontrarem...
... neste caso podem se encontrar várias vezes e ser o que quiser sempre.

mãe disse...

Amei seu texto! É você!

Lembrei da Escola de Circo. Levei vc agoniada, graças a Deus vc desistiu! Ufa!

beijo, mãe

Val disse...

Bonito post! Chama a nossa atenção para despertar para a vida! Eu já fiz faculdade de Letras, de Jornalismo e agora vou prestar vestibular pra Direito. Tô tentando me encontrar ainda, nessa vida, é claro. Já que não acredito em reencarnação! Bjos.

Daniely Novo Kamaroff disse...

ESPLENDOROSO FILÉ!!! MAGNÍFICO!!!!
Quando eu fizer a minha primeira apresentação TU VAI ESTAR NA PRIMEIRA FILEIRA!!!!!
BJKS

Monica Vieira disse...

Elise,

Me dá o nome da sua analista!

Eu sempre me critiquei por não ter definido a minha vida cedo, tipo profissão e filhos como a maioria, mas vc escreve de uma forma tããão tranquila que eu até já estou me aceitando. rsrsrsrs

Beijo,
Monica

Mary disse...

Elise, se vc não fosse muitas, talvez não tivesse tanta gente por aqui. Eu mesma adoro essa pluralidade. Sou assim, e até dias atrás sofri com isso, fazendo uma faculdade que odiava e sem perspectivas de terminar, com um emprego que paga bem mas "não completa", achando que tudo tinha de ser exatamente do jeito que se espera - não dos muitos que pode ser. Mas, como se diz por aqui "não tá morto quem peleia". A vida é tão boa e tem tanta coisa pra aprender... sei que um dia vou achar o que procuro. Até lá vou me deliciando com o que já encontrei (aqui é um lugar, vc é uma pessoa, meu novo curso é uma nova possibilidade, outro país, quem sabe?).
Viver é ótimo.
Arrasou, Elise!
Beijo

Fernanda disse...

Oi elise, sou uma leitora oculta do seu blog, sempre li mas nunca comentei, mas nunca deixei de adorar seus textos por isso.
E ainda bem que vc muda, eu mudo e todas nós mudamos, pois se não, não passariamos de um bando de chatos...
Beijos
Fernanda

Fernanda disse...

Definiu tudo viu? o povo me cobra pq começo e nao termino..e dai? a vida é MINHA, MIIIIIIIIIIIINHA ok? desculpa aí..como diz D2: deixa, deixa, deixa eu dizer o q penso dessa vida, preciso demais desabafar ;)
bjocas
ah..leio mtos blogs por ai..mas o seu tem o diferncial de falar sobre tudo, n cai na mesmice..continue assim

Anônimo disse...

Elise, há tempos acompanho o seu blog, mas nunca comentei. O que acho mais interessante em sempre visitá-lo é a sua espontaneidade e a diversidade de assuntos que vc aborda . Continua assim tá por favor, pra alegria dos seus leitores...
BJ
Silvana

Camila disse...

Pois é, Elise, estou passando por essa fase - passei tempo demais me definindo através de uma coisa só, uma pessoa só, quebrei a cara, e passei a sequer conseguir me enxergar. Ser plural é a melhor coisa que existe, essa é uma das grandes certezas que passei a ter ;) Beijas, amei o post.

Maela disse...

Olá Fofis, do seu texto posso tirar 2 coisas :
1- Vc é claramente pisciana ( kkkkkkkk, foi piada )
2- Que quando me perguntam "O que vc faz? " E eu respondo "Um monte de coisas, e só esta semana ", vou lembrar de vc!
Beijos mil

Alexsandra Moreira disse...

Concordo com tudinho, só não podemos esquecer de terminar o mínimo, não adianta começar várias graduações e não terminar nenhuma porque não gostou de nada...

Mas em relação ao resto é bom provar um pouco de cada coisa que gostamos, nos sentimos realizados, vivos, felizes, revigorados...

bjs

Elise disse...

Chéries, que bom que vcs curtiram!

Algumas coisas:
putz, eu sou mesmo pisciana, não?? hahaha

Monica - me manda um email que eu te passo o tel dela. rsrsrs
Mas sério; ela atende na Freguesia, está atendendo uma amiga minha, e como eu disse: salvou minha vida.

Ah, adoro quando quem nunca comentou, comenta.
É bom ficar conhecendo mais quem passa por aqui...
Beijas.

Nads disse...

Oi,
Passei por aqui por acaso. E me identifiquei muito com esse seu post.
"vc tem que terminar o que comecou"; Escuto essa frase toda hora e a pressao da sociedade na hora da apresentacao: esse eh o fulano, eh advogado, eu sou a fulana, arquiteta.
Eu ja experimentei muita coisa, ehehhe agora estou experimentando ser dona de casa, trabalhar e estudar ao mesmo tempo... oq eu eu sou? hum... vale bombril mil e uma utilidades?? ehehee

Bjao pra vc,
Nadia

Gri disse...

Simplesmente A M E I o texto!!! disse tudo o que eu semore quis dizer.

Ja fiz aula de piano-canto-violino, fiz design gráfico e publicidade todos inacabados, ja prestei vestibular para letras-direito-radioetv só me matriculei no curso de maquiagem profissional esse semestre na Anhembi Morumbi, trabalho como analista de suporte tecnico-administrativ-financeiro, um cara do trabalho disse vc nao tentou faculdade de radio e tv no começo do ano - sim! - e agora vai fazer maquiagem? - vou! - caramba, vc nao sabe o q quer! - eu sei o q eu quero hj e não o q eu queria ontem :-*