terça-feira, 11 de agosto de 2009

THANKS!


Peeps! Fiquei impressionada!

Obrigada pelos votos sinceros, e pelos comments incentivando.
Me animei pra caramba!

Eu esperava alguns votos, mas 170 pessoas dizendo que queriam ler alguma estória, foi demais pra minha cabeça. Adorei tb o fato de várias "silenciosas" saírem do armário, rsrsrsrs.

Agora começa o dilema. Já estou separando a primeira estória, para colocar em formato seriado, mas.... qual escolher???

Óbvio que eu sei que não dá pra agradar todo mundo - uns vão gostar mais de um tipo de estória, outros de outras, e outros de nenhuma, rssr.

Só que eu queria pelo menos começar bem... acho que não dá pra ser uma muito pesada. Até pq estou correndo com a parte técnica do negócio (site e tal), e talvez seja melhor começar com uma curta e leve, pra testar....

Ando pensando em colocar a estória de JANE pra vcs conhecerem..., mas ainda não decidi.

O irmão dela sempre a chamou de Jane Calamidade, por causa do personagem, o que não poderia ser mais adequado - ela atrai as situações mais inusitadas!
O problema é que ela teve uma crise nervosa, e está semicatatônica há quase um ano... não vou contar mais, senão estraga!

Aqui vai um sneak peak:

(...)"Como no caso do biquíni, ela lembrou.

O caso do biquíni começara de forma totalmente inocente.

***

Graças ao biquíni, ela estava sentada nos ombros desse cara, que ela nem conhecia. Na loja, ela tinha ficado na dúvida – comprar um biquíni que ela amara, mas que era bem, bem pequeno, ou comprar esse, que era mais prático e maior no bumbum. Nem passou pela cabeça dela que ela fosse fazer qualquer coisa na ilha,que não deitar na areia para pegar sol.

Sentar nos ombros de um amigo do irmão, pra brincar de brigar com a namorada dele, na água rasa da praia em frente ao hotel, não era uma hipótese, nem em um milhão de anos.

Então, quando eles a convidaram, ela ficou feliz de ter escolhido o biquíni maior, e não ficar com vergonha de sentar nos ombros desse cara, dentro d’água.

Ficou mais feliz ainda quando os tubarões apareceram.(...)"


Ô, dúvida cruel....

PS: apesar do trecho escolhido, essa não é uma estória de terror, ok?

9 comentários:

Ozenilda Amorim disse...

Bem legal o texto, continua que tá interessante.
;)

Vanessa disse...

óh eu aqui de novo! hehehe
Elise, me conta, eu já até perguntei, mas como vai ficar a parte de direitos autorais...Não sei como funicona, mas já vi tanta gente copiando texto dos outros pela net...E vc não consegue um "incentivo" com isso não?
Boa sorte!
Beijos

Aline Almeida disse...

Continua, Elise!

Bjocas,

Aline

Maela disse...

quero a pesada...kkkkkkk

Elise disse...

Então, Vanessa.
Eu não sei! Estou pesquisando ainda sobre os direitos...

Pensei em fazer assim: um site onde a pessoa tivesse de fazer login pra ter acesso aos textos, mas ainda estou vendo. Quanto a ter incentivo... vc diz financeiro, né?

Se alguma editora viesse a me publicar, seria o melhor incentivo possível.
Eu não queria cobrar pelos textos (não sei se alguém pagaria uma "assinatura").

Claro que o sistema, o site, a construção, manutenção tem custo. Então até pensei em fazer um sistema de assinatura mesmo (ainda que simbólica), mas ainda não sei....

Se alguém tiver alguma idéia, será benvinda (agora é assim, né? Sem hífen e tudo junto?)
Beijas.

Geovana disse...

ehehe... já que começou, agora tem que contar o que aconteceu...

Tatiana disse...

Adorei esse trecho!
beijos

Anônimo disse...

Pelo trecho , já vi que dispenso, obrigada!

Cíntia disse...

ahhh agora eu quero saber como continua essa história!!!!!! hahahah

(é, eu sou uma silenciosa que começou a ler seu blog há uns 2 meses e que adora seus posts!)