quinta-feira, 3 de dezembro de 2009

INVERSÃO DE VALORES



"Todo mundo anda pensando em deixar um planeta melhor para nossos filhos...quando é que pensarão em deixar filhos melhores para nosso planeta?"

(recebi da minha tia. Posso reclamar da professora da Memée, mas no fundo respeito muito a figura da prof. - eu já fui uma)

E
u sempre achei que quem educa é pai e mãe, e professora no máximo ensina.
Os pais ocupados de hoje (me inclui nisso) resolvem suas culpas internas relacionadas à criação de seus filhos, jogando a resposabilidade para a escola (agora me exclui disso).

Como professora vi os maiores absurdos - não poder colocar um aluno mal criado para fora de sala, porque "traumatiza"; não poder escrever a nota em caneta vermelha porque "traumatiza"... estamos criando o quê? Crianças de vidro????????? Sem o menor preparo para lidar com dificuldades e contrariações???!

Traumatiza é o cacete - trata de superar, eu hein!

Canso de saber de casos em que o aluno responde á professora "meu pai tá pagando a escola", ou "meu pai que paga o seu salário", esse tipo de coisa. Ai da minha filha se falasse um negócio desse; entrava no cacete! Claro que não físico, mas ia ouvir um bocado, e ficar um bom tempo de castigo. Por que não ensinamos mais nossos filhos a respeitar os mais velhos??????????? (pelo menos! Fora respeitar a autoridade da professora)

Uma coisa que eu sempre ouvi dos meus pais, e repito para o B hoje - dinheiro, bens, herança... tudo isso não é nada. Acaba. É efêmero.
A única coisa que a gente pode deixar pros nossos filhos É MESMO a educação. Seja a educação como ser humano, seja a instrução. Porque isso ninguém te tira mesmo.

Coitados dos professores... primeiro avacalhamos com a classe, oferecendo salários ridículos a uma categoria profissional que deveria estar entre as vitais, como os médicos. E agora, tiramos sua autoridade, sua dignidade; acabamos com o sacerdócio da profissão.

Peeps - eles são a base da sociedade. DEVERIAM ser os detentores do conhecimento.

Mas nós os transformamos em babás de luxo.
Ou sem luxo mesmo.

19 comentários:

Megdmaville disse...

Ahh Elise, pura verdade, não sou profª, mas meu namorado é. E tadinho as vezes da ate pena, ele conta que tem cada capeta de 9 anos na sala q ele da aula(|Geografia) e que a propria escola incentiva ele a "passar" os alunos, pincipalmente agora nesse final de ano, ai ele ja ate fica desanimado, num pode fazer uma prova "de verdade", ficam de cara feia quando ele põe neguinho fora da sala, e assim vai, é o Brasil...

beijs

Pati disse...

Elise
Amei seu texto! Concordo plenamente a acredito que esta próxima geração de filhos estará em uma situação diferente, acho que nós não vamos aceitar nossos filhos sejam tão mal educados com os professores e estamos mais atentos a dar a educação em casa, diferente da geração de 5-10 anos atrás.
Oxalá
bjs

Sweet Carola disse...

Elise, concordo com número, gênero e grau! Está aí um assunto que me revolta e me chama ao debate!

Que pais são esses de hoje em dia que não impõem limites, não ensinam o que é respeito e educação para seus filhos?
As crianças de hoje estão cada vez mais insurpotáveis! E que tipo de adultos será formado o nosso futuro?

Já falamos sobre isso aqui antes. O super-ego dos adultos complexados da pós-modernidade!E o caso se estende às crianças de hoje também!
Na escola, o problema é sério e que há tempos já venho comentando com meu marido sobre esse desrespeito com a autoridade do mestre! Essa psicologia infantil barata é uma MERDA! Tudo traumatiza! "O meu filho pode tudo", até o dia que não haverá mais respeito algum, onde a desonra, desonistade e falta de caráter vierem corromper os princípios do homem de bem.( E não estamos muito longe disso!)

Para finalizar:
Moro na região litorânea de Niterói e por isso meu condô é visto com uma pousada!
Muita gente que tem apartamento aqui só vem nos fins de semana ou emprestam para amigos paulistas, mineiros e até gringos e etc. Não é gente daqui! Eles ficam loucos com o lugar, que realmente é muito gostoso, e pensam que estão numa côlonia de férias e não respeitam nada! Nossa paz é totalmente violada!
E as crianças insuportáveis???

É irritante ver os pais submissos aos caprichos de seus próprios filhos! São palavrões e gritaria na piscina o dia inteiro.
Eu já saí do sério várias vezes com elas, mas a culpa é dos pais.
Banco a tia chata e o pai do animalzinho acha graça!

O adulto e a criança. Onde está a difença na mentalidade deles?


Beijokas, adoro o Salada!

Helly disse...

Concordo quase que plenamente com tudo o que vc disse......

Um dos meus filhos tem apenas 7 anos, o JP, e eu nunca recebi uma só reclamação da professora menoas ainda da Proprietária do colégio (mto pelo contrário ele é acarinhado pela M. como um filho mesmo), mas estes dias ele simplesmente chegou em casa dizendo q naum iria mais ao colégio

Ai fomos saber o pq, simplesmente pq ele ergueu o braço e a professora estava falando (e isso ela confirmou) ela muito "educadamente" o colocou na frente da classe todo dizendo que era ele quem iria dar a aula, pelamor de Deus Cristo Santo, a crinaça tem 7 anos, tava com dúvidas, ele levantou a mão, não gritoui nem interrompeu a aula,

ela o fez chorar na frente da classe toda.....

isso não eh humilhação? se pra vc naum for, pra mim é.....

e eu fui ao colégio sim, falei com ela na frente da M. e exigi sim a retratação dela, pq pra mim como vc disse a escola é complemento, quem educa sou eu, e não admito que a professora, exponha meu filho dessa forma na frente de todos.....

Nem no niver do coleguinha q seria logo a noite ele queria ir, por conta do que?

achou q os colegas iriam tirar sarro dele..... isso faz a criança se sentir mal ou não.....

portanto no meu modo de ver, há casos e casos, há crianças mal educadas, e professoras abusadas....

e devemos sim saber separar.....

minha opnião.....

o meu filho ninguem vai humilhar, pq ele não foi achado na esquina nem no lixo, se cobram dele respeito também lhe devem respeito na mesma proporção, pq eh assim q se ensina, no exemplo, e não no ditado "faça o que digo, não o que faço"

bjs Querida (desabafo) pq isso acabou marcando mais em mim q nele......

Maria Bonita da Penha. disse...

Isso aí...criança traumatizada é o cacete...mando engolir o choro!!!!

Elise Machado disse...

Helly, tou horrorizada com o que essa mulher fez com seu filho!! Nossa, eu dava na cara dela!!

É claro, vc tem toda razão - em todas as profissões existem os bons e os maus profissionais. Não acho que a elas se deva perdoar tudo; algumas são bem quadrúpedes mesmo.
Seu filho é que estava totalmente dentro do contexto - levantar a mão, com todo respeito; é isso que se ensina.

Desculpe, não quis dar a entender que acho que são todas umas santas e bem preparadas não - o buraco da educação nesse país é bem mais embaixo. Só queria expor mesmo uma situação que ocorre com frequência e que TAMBÉM é inconcebível. Um erro não justifica o outro de forma alguma.

Espero que o pequeno tenha se recuperado do causo.
Beijas.

Paty disse...

acho que tem muita criança mal educada, pais ausentes, fazem todas as vontades... infelizmente , professores despreparados, esta tudo um caos. Eu pelo menos estou tentando, desde que a B nasceu, fazer a minha parte com a minha filha... bjs

Anny disse...

Elise, educação é base pra tudo, professor deve e MERECE respeito. Mammys é professora, já se aposentou e não volta nem por decreto, quase enfartou (pressão nas alturas).Não tenho filhos, mas os que vejo hoje são de dar MEDAAAAAAAAAAAAAAAAAA (+ arrepios de pavor).

bjas,

renata959 disse...

Gostei do texto. Penso que os 2 exemplos representam os extremos dessa relação aluno-professor (a professora que humilha sem necessidade a criança na frente de 30 outros alunos x o moleque sem educação nem limites que diz que o pai paga o salário da professora). Enfim, casos bem distintos e os 2 merecem reprimenda: tanto a profª quadrupede qto o aluno malcriado.

Mas eu entendi a mensagem do texto como uma crítica (por sinal, muito bem escrita) a essa omissao dos pais na sociedade moderna, que (convenientemente) delegam a tarefa de 'educar' os filhos às escolas.

Eu não tenho filhos e posso estar falando uma enorme besteira, mas acho que a confusão está na palavra EDUCAÇÃO. S.m.j., penso que a escola deve prover educação no sentido de instrução/ensino ('education'). E cabe aos pais a parte da educação/limites (no sentido de 'good manners').

Não deveria ser assim? O problema é que alguns pais se omitem na parte de 'good manners'(não estou generalizando, mesmo pq nao tenho filhos infelizmente).

Aí realmente complica, né?

Para Helly: acho que vc fez muito bem. Se alguém fizesse isso com meus sobrinhos eu ficaria revoltada.

bjs

Juliana disse...

Elise, minha mãe é caseira de escola e estou morando com ela.

Estou desempregada, então escuto tudooooooooooo! Desde professora xingando aluno, até as crianças atrás da casinha do gás beijando de lingua.


As crianças não respeitam, não respeitam mesmo. Mas os professores, pelo menos duas daqui, não. Duas daqui não, minha mãe trabalha em outra escola mnas com adolescentes e diz que é a mesma coisa.

Quando eu ainda trabalhava, estava saindo de manhã, e uma criança estava fugindo pelo alambrado chorando, eu pergunbtei o que foi e o coitado: Tia, pelo amor de Deus, me fala uma palavra que comece com a letra "i"??!

Meu, alguma coisa está errada, saca?

Na minha época professora minha era tratada feito rainha, ganhava presente a rodo, e tinha carta branca da minha familia pra fazer o que quisesse, e de outras familias também. Hoje em dia, se o professor grita com aluno já tem um fulano filmando pra jogar no youtube e levar pra Delegacia de Ensino.

Criança não reprova mais, Elise!!!! Se o professor reprova lá vai a mãe pra delegacia de Ensino exigir a provação e pedir exoneração (ra certo?) do professor.

Mas, pelo menos nas públicas, qual é o saldo? Eles não sabem ler, não sabem escrever, não sabem interpretar, não sabem respeitar... E é esse tipo de cidadão que os pais e o estado estão formando.

Natty Oliveira disse...

Perfeito texto Elise!

Carol Monteiro disse...

Concordo com tudo o que vc disse Elise, não tenho filhos ainda mas um dia terei e educarei ele com toda a certeza do mundo, assim como fui muito bem educada por meus pais e meu marido pelos meus sogros. Eu li o que a amiga lá de cima disse sobre a prof. ter humilhado o filho dela na frente da sala toda e isso já aconteceu comigo, quando tinha 7 anos uma prof.(substituta) de matemática me bateu, simplesmente me deu um tabefe no braço alegando que eu havia feito um exercício errado(que na verdade estava certo)logo acabou a aula e eu chorando contei pra minha mãe, ela só não bateu na professora por que a mesma já tinha ido embora, fomos até a diretoria do colégio, minha mãe pediu que a escola fizesse alguma coisa, repreender a maldita e si lá mais o que, e no dia seguinte a diretora mais a maldita me tiraram da sala para tentar me convencer de que aquilo tudo era coisa da minha cabeça, que ela nunca havia me batido e mimimi, claro que eu afirmei o tempo todo que eu havia tomado um tapa da mulher (criança é foda nessas horas...hehehe)
Mas a conclusão do meu caso é que agora eu tenho 29 anos e até hoje pra fazer qualquer conta simples de soma, subtração e etc. eu tenho uma dificuldade enorme, tenho que usar os dedos como ajuda, e se colocarem uma vírgula sequer no meio da contra eu me embanano toda e só falto chorar por não conseguir fazer. Cara, eu não sou burra, sou até muito inteligente, tenho faculdade e pós graduação, mas não põe matemática no meio senão eu grito!
Por isso eu além de concordar com vc, que educação vem de berço, concordo com a Helly de que há profissionais e profissionais e que criança por mais forte que seja traumatiza sim!
bjoo

Helly disse...

Gente como disse, o post foi maravilhosamente bem colocado, com pequeninas ressalvas,

e agradeço a Elise, e as outras que me entenderam.......

e capitaram a minha mensagem......

eu tb concordo com o caos do país, q o que eles mais querem são pessoas burras sem estudo, amedrontadas, para serem usadas como massa de manobra, não admito de forma alguma q filho meu seja mal educado, pq se a diração do colégio me ligar dizendo isso não sei o que vai acontecer pra eles, pq educação cabe em todos os lugares......

mas complementando tudo isso..... que tal Elise vc fazer um post bem legal dos tipo que vc faz (q amo alias) falando sobre esse "pobre governo"......

vamos aprender a votar pessoal, pq só assim irá ocorrer uma mudança efetiva em todos os aspectos.... não acham......

bjs a todas e vc Elise do coração

Nanda disse...

PURA VERDADE!

Sou filha de professora. Outro dia minha me contou que estava em uma reunião e uma mãe de aluno veio reclamar que o filho falava e escrevia tudo errado. Minha mãe tentou mostrar que corrige o filho dela, dá provas, enfim, que é uma professora dedicada. E a mãe insistindo, insistindo, até que a minha mãe aguentou: "Sim, mas eu conheço seu filho há poucos meses... e a senhora, onde estava se ele fala e escreve errado desde sempre? Porque comigo ele fica só esse ano, mas ele é seu filho pro resto da vida".

Os pais querem que a escola crie os filhos, total inversão de valores.

Priscila B. disse...

é bem por aí mesmo.. por isso que eu larguei o ensino: (
bjim!

Anônimo disse...

Apoiada.

Ass:A.B.

Silvia Maria disse...

Sou professora e concordo em parte com o que você diz. Em parte porque a situação é bem pior... é triste.
Se meu filho fizer 1/3 do que vejo na escola em que dou aula, entra no diazepau (as psicólogas que me perdoem).
=(

Helly disse...

Diazepau foi tudo, vou adotar este santo remédio qdo algum deles sairem da linha.....

mandou bem Silvia.....

bjs

PAULA disse...

Sou professora há 11 anos e concordo com tudo o que vc disse. Já tive turmas tão especiais q ue só me deram orgulho e das quais trago boas recordações (mesmo sendo professora de escola pública e de Matemática). Tb já tive alguns problemas, nenhum grave.O problema é que a escola virou consultório psicológico, assistência social, família, consultório médico, conselho tutelar... Como ser tantas coisas ao mesmo tempo?