quarta-feira, 3 de outubro de 2007

CURSINHO DE MADRINHA E MULHERES DESEPERADAS


Ontem à noite foi o "cursinho" para ser madrinha que eu tive que fazer pra poder batizar o Rico.



Fomos eu, Rafa (o pai), e Savério (o padrinho). Comadre Déia, que não é boba nem nada, arrumou uma reunião em São Paulo, e fugiu da raia, rsrsrs.

Não quero esculhambar da religião de ninguém não, mas o negócio não podia dar certo mesmo! Imagine eu e Savério, duas das pessoas mais agnósticas que conheço, junto do Rafa, que não é nada religioso também!! A gente se divertiu muito, riu e conversou o tempo todo.

Mas também, que idéia de JILÓ: a igreja tava cheia, o cara que deu o cursinho falava baixo, o microfone não funcionava, ninguém ouvia nada! E tava cheio de pobre (nada a ver com grana, pobres de espírito e educação, mesmo).

Um bando de criança chorando, as mães sacudindo elas, mas sem sair da igreja, enfim... pra mim seria o inferno na Terra. Mas não foi, porque a gente só falava besteira.

O cara dizia: "os padrinhos são os responsáveis pela educação religiosa da criança" e a gente se olhava e- kakakakakakakakakakakaka. Um sarro!!

Depois entrou uma senhora, que, sem pilha, em outra encarnação era a responsável por riscar o fósforo pra acender a fogueira da Inquisição!! A mulher era uma fera. Ficou ameaçando todo mundo, falando em danação e coisa e tal. E eu pensava: "já tou danada mesmo!" rsrsrsrs.

Normalmente tenho tolerância zero com esse tipo de nhénhénhé, cínica que sou, mas, como eu faço QUALQUER NEGÓCIO pelo meu afilhado, e meus compadres estavam lá...

Quando acabou tudo, resolvemos tomar um chopp pra desestressar o compadre Rafa, que estava uma pilha por causa de trabalho. Savério foi fazer uma prova na faculdade, e eu e ele paramos no Barril 8.000.

Sabe uma coisa que não entendo? (teorias de Elise)

Tinha um monte de "quebrete" nesse lugar, sabe? Umas mulheres completamente desesperadas, com calça jeans aparecendo o "cofrinho" e coisa assim, você conhece o tipo.

Eu sei que está difícil pras mulheres ultimamente, eu tenho amigas solteiras que reclamam que nunca acham alguém legal, pra ter um relacionamento, mas...
Será que essas mulheres acham que vão achar alguém que presta em bar??? E vice-versa. Será que os caras não vêem que pegar mulher em bar é só isso: pegar!?

Elas ficam lá, mostrando as bordas de catupiry (ou os provolones, segundo a Cinthy), usando roupas que são no mínimo dois números menores do que o delas, e depois reclamam que ninguém leva a sério!!!??

Faz favor!!

Não sou puritana, não. Quer sair e zoar à beça, show. Mas não vai pra esses lugares e reclama que não conhece ninguém, pelamor!

Quer conhecer alguém legal? Faz um curso, volta pra facul, anda com amigos casados, frequenta uma livraria, um café....
Tenho certeza que esses lugares estão mais de acordo com o "nível" de pessoas que se procura.

5 comentários:

Krika disse...

Vc e Yann terão assunto. Ele acabou de fazer um curso de padrinho para poder batizar a Luiza, filha da Aída. Nos 2 dias q teve q ir, chegou em casa cuspindo fogo de raiva por tamanha perda de tempo. Qto às quebretes, concordo contigo em gênero, No e grau.

Bjks

Helen disse...

Curso pra apadrinhar: já fiz, uóóóóó. Mulher que acendeu a fogueira dá Inquisição: já vi, uóóóóó. Elas se escondem em todas as igrejas, será? Precisa avisar que até o Papa já pediu perdão pelo mal entendido e elas continuam com esse topete fora de moda, afffe.
Mas heim: mulheres que mostram o cofrinho. Puta ausência de feminilidade, né? Assino embaixo do que vc disse, depois reclamam que não acham ninguém ou que só se envolvem com cafas. Tb procurando nesses lugares, o que mais essa mulherada quer?

bju!

Cinthya Rachel disse...

cinthy sou eu, hahahaha. ai colega, deve ser o desespero da mulherada, mas nao justifica nao. o que que elas vao pegar num lugar desse? coisa ruim no minimo. concordo com fazer cursos e tal, é um bom modo de conhecer gente bacana, com os mesmos interesses

Drica disse...

concordo com vc...vivo comentando sobre isto... não aguento mais ver este tipo d gente... pelo amor d Deus...a pessoa pode ser gordinha e tal, mas tem q saber se vestir, ter bom senso pelo menos... e não é questao financeira nao, é falta d bom gosto, de coerencia e de respeito por si mesma...

Aline T. H. disse...

Falei disso outro dia, menina, o desespero da mulherada, que coisa feia. E concordo com a Drica: eu sou gordinha* mas não fico por aí usando calça apertadérrima com as banhas pulando pra fora da calça, cruzes.

Beijoca.

*por enquanto, né, baby, porque antes de 07/12 vou estar simplesmente um avião! rs