sexta-feira, 28 de março de 2008

DANDO A CARA A TAPA

Então a dona Helen propôs a brincadeira do "olha eu na Globo, mãe!!!", na qual a galera do mundo blogueiro mostraria uma foto sua, despudorada, fazendo carão.

A minha máquina anda fora do ar, mas na falta de produção "carão", vou colocar uma foto minha que gosto (até porque, ninguém coloca uma foto que não gosta, que se acha horrorosa).

Peeps, tou DANDO A CARA A TAPA.


Como assim?

É porque tem gente que adora tirar fotos. Eu odeio. Sofro. Rasgo. Me detesto em todas.

Resquícios do tempo em que não estava bem comigo mesma.

Gente, brincando-brincando, a Helen falou de uma coisa muito interessante: a auto-estima.

Sabe, eu tive uma adolescência horrível.

Eu me achava (e era mesmo, rsrs) feiosa. Chorava na porta da escola, e quantas vezes voltei pra casa e não entrei. Me sentia inadequada, esquisita.
Minha mãe ficava desesperada. Eu não me encaixava nos padrões de beleza.

Não era patricinha, loirinha, magrinha, bonitinha. Inha, inha, inha.

Era...diferente. As meninas malvadas do colégio espalharam que eu era lésbica (lésbica não, que adolescente é cruel - sapatão). E tão cedo eu senti na pele o estigma dum preconceito que nem era meu de verdade. Pelo menos serviu para me criar uma compaixão absurda, e um respeito enorme, por qualquer pessoa que escolha um estilo de vida diferente.

Fui namorar só com 16 anos. Tive paixonite aguda por um amigo, que namorava um amiga. Assistia de camarote os dois namorando, e não me sentia à altura.

Me escondia em casacões largos. Não botava biquini. Tive síndrome do pânico.

Aí, um belo dia fui fazer terapia.

E isso é uma loooonga estória.

Mas depois disso eu me descobri. Me amei. Descobri que era possível ser bonita. Que não tinha mal nenhum ser diferente. Que ser igual é que era um saco.

Descobri que existe beleza em nós, se procurarmos. Passei a ser menos exigente com meu corpo, com meu rosto. Passei a saber quais são meus pontos fortes. Hoje não me trocaria por nada. Mesmo. Sou um poço de auto-confiança. Nada me abala. Me sinto o máximo (bom, a maior parte do tempo, rsrs). É que às vezes a gente não "se enxerga" de verdade.

A obsessão com moda, com o belo, vem daí. Mas eu tenho que me controlar e me domar. Pra não me exigir demais. Pra não me querer sempre tão magra, tão perfeita, tão arrumada.

Me forçar a exibir imagens minhas sim, e me forçar a olhar. Mesmo com vergonha. Mesmo sentindo a vozinha crítica lá dentro gritando.

É um exercício diário.

Mas porque isso tudo hj aqui, vc pergunta? Porque é importante exorcizarmos nossas neuras. Enxotarmos nossos demônios. Dar a cara a tapa mesmo e dizer: essa sou eu; na real, sem photoshop, com a pele meia bomba, com celulite, whatever. Pra vc, que está lendo, entender que TODO MUNDO É ASSIM, INSEGURO. E que dá pra vencer isso. Eu venci.

E aí? Quem mais vai se mostrar aí?? Quem paga pra ver??

Sábio é meu pai, que quando eu era jovenzinha, e olhava embasbacada e com inveja para mulheres que eu julgava perfeitas e inatingíveis, sussurrava no meu ouvido: Lembre-se que ela também faz cocô.

19 comentários:

Ice Ice Baby disse...

Elise...vc e a Helen estão abalando minha auto-confiança!! eu me achava "simpática"...mas vcs...pô..fala sério!

eu já tinha visto essa foto sua no "maravilhoso site de relacionamentos"...e ja tinha certeza q vc era bonitona...agora com essa história toda..gostei ainda mais!

eu tb era emga complexada qd adolescente..era barrigudinha, branqueeeelas demais...e odiava as patricinhas...enfim...tb não fui muito 'pop' nessa época 'gloriosa' de nossas vidas...

ah sim, todo mundo faz "number two"...menos a Angelina é claro!

bjs chuchu!

p.s: amanhã devo fazer a trilha da prainha... te anima?! let me know!

Priscila M.R. disse...

Droga... não foi meu comentário. Não faz mal... faço de novo.
Em vez de me arrumar pra ir pra aula, to aqui dando meu recadin.
Poxa... vc é tão bonita e bem sucedida, dificil pensar que ja teve problemas de auto estima.
É totalmente questão de adolescente. Eu estou saindo da adolescencia e começo a sentir a diferença.

Ja me disseram que adolescentes traumatizadas viram as adultas mais legais.

Também quero participar da brincadeira. Posso?

Bjaum querida...

Helen disse...

Podre de chique vc, mas eu já te disse isso :)

Também chorei bastante na infância, viu. Imagina gordinha, estrábica, uma postura horrorosa... Na adolescência eu já estava um pouco mais segura, com uma certa impáfia protetora, mas é uma fase muito difícil.

Ainda bem que agora somos mulheres bem resolvidas, né, gatham?

Quer dizer, na maior parte do tempo rsrsrs

beijo!

lolo disse...

Que movimento sair do armário é esse, hein? O meu problema foi aos 17 anos. Até então, eu pesava 43 quilos acredita? Aí eu engordei e passei aos 47 (deeeer) e passei a me achar a balofa do mundo maior de todas. Hj eu peso 48, acho que poderia ser menos mas ta tudo bem, sabe? (Importante esclarecer que eu tenho 1,56 m, hehehe).

Dani Claudino disse...

Então tá!!! Resolvi entrar pra brincadeira e botei uma foto minha lá no Coisitas. Além disso, falei um pouquinto da minha adolescência lá tb. Passem lá depois!!! beijos

Renata disse...

Difícil imaginar que um mulherão lindo como você teve problemas de auto estima...mas adolescência é uma fase complicada mesmo. Ainda bem que passou e hoje vc reconhece que é lindona!!!
Vou colocar uma fotinho lá tb.
beijocas
Re

Ice Ice Baby disse...

ebaaa então vamos?!

eu vou, doa a quem doer...e no caso vai doer em mim mesma..q virei trabalhar virada..mas dane-se..eu espero pelo Korn desde q eu era rebelde!!!

bjs e depois a gente combina melhor por email!!

yuppieeee!

Drica disse...

menina mas vc é tão bonita!!!
olha, me identifiquei mto com teu post...eu tbm nunca fui o padrao d beleza q a sociedade exige....sou baixinha dmais (1,51), sempre fui io io (engorda - emagrece), qd adolescente era mto timida....e me refugiava nos estudos, na leitura...uma perfeita CDF, hehehe....claro q era tbm bagunceira na escola, mas.....hehehhe!
ah, dia 14 de abril vou fazer a minha primeira sessao d terapia...e sabe, estou louca pra começar....estou precisando disto...e acho q chegou a hora d encarar alguns demonios, heheh... e com o teu relato fiquei ate mais animada! bjao pra vc! :D

PS: detesto mto tirar foto, me odeio em quase todas, hehehe!

mãe disse...

Pessoal, a Elise era (e é) uma lindinha!
Ficava eu desesperada pq não a convencia disso!

Mãe sabe das coisas...

bjs.

Mariana disse...

Oi Elise, leio seu blog há algum tempo, mas sou mega tímida e nunca comento. Já tinha visto algumans fotos suas, e acho você muito bonita, e achei bacana mesmo você compartilhar sua história junto com essa foto. Seja na adolescência seja depois de adulta, a gente geralmente se cobra muito e às vezes é preciso ver que o vizinho também passa por isso para lembrar que o bom mesmo é gostar da gente, né?
beijo!

Andreia disse...

Meu...você é L-I-N-D-A!
Não dá pra acreditar que um dia você não foi feliz com sua aparência!!

Beijos e um ótimo findi semana pra você!!!

Dzinha disse...

Ai ai... vai eu chover no molhado..
L.I.N.D.A. de viver - como diria a loira lá da TV.

Beijos

Ana Barros disse...

Entendo sua história porque tive que superar minhas bruxinhas também. Ser bonita ou feia nestas horas não faz a menor diferença. O que conta é como nos sentimos. Mas o importante é que conseguimos virar o jogo (e até que foi no começo da partida!)

Desafio aceito: também postei meus recalques no meu blog. Dá uma passadinha lá depois.

bjos,

Anônimo disse...

Eu já adoro o seu Blog, lendo isso então... . Gostei muito!!
Bjs,Marta

Renata R. disse...

Que linda você, Elise.

Problemas de auto-estima me perseguem até hoje.

Achei bacana você escrever que também passou por isso.

Um dia ainda vou ser tão bem resolvida assim como você! rs

Beijo!

Elise disse...

Meninas, muito obrigada pelos elogios!! Meu ego ficou (mais) inchado, hehe.

Adorei esse post pq pessoas novas, que não comentavam, se manifestaram. e todo mundo deu super apoio ao movimento (rsrsrs) e até aderiu!!

Obrigada.

Cinthya Rachel disse...

Elise meu amor, vc sabe que eu acho vc linda!!!!! Todos temos problemas e vemos defeitos que ninguem mais ve. Continue gata toda vida

Anônimo disse...

hoje as meninas descoladas da escola são chamadas de "as populares".
minha filha está passando por isso...(ela não é popular, claro)
quando li o texto parecia que ela o escreveu...
ela tem 14 anos,se acha gorda,grande,feia ...não quer sair,não coloca biquini,tem apelidos (gordelicia ,sapatão...)
mas lendo o seu texto vejo que passa...assim espero
e que as "discipalas" de bin laden(as que colocam os apelidos) queimem no mármore do inferno.
bjus

Allan Escobar disse...

((poxa..tinha comentado no post errado AHHAHAHAHAHAHHAH
agora sim ta no certoXD!))

Vc é muito gata,parabéns!

Normal a gente não gostar
das próprias fotos...
da própria voz...

Mas quem tem que gostar da gente
são mais os outros do que a nós
mesmos.XD

assim como achei vc bonita,ué XD

Fazemos nossa parte tendo
noção de equilibrio entre
estética exterior e inferior,
usar o necessário,sem exageros,
e ao mesmo tempo sendo vc mesmo!

e resto é com o mundo!
eles que se virem XDXDXDX

tchau,seja feliz :D

((copiei tua foto pro meu PC tá?!)
hehehehehehehe

abçs