segunda-feira, 1 de setembro de 2008

A minha avó passou mal hj. Ela teve um AVC.
Acordei com isso. Meu pai ligou avisando que tinha chamado a ambulância, e que ela estava apagada. Eu disse que iria para lá, e ele não disse que não. Achei que ela tivesse morrido, e ele não quisesse me contar (ela já teve um AVC antes)

Fui o caminho todo para lá achando que ela tinha morrido mesmo. Foi tão ruim. E quando eu cheguei lá e tive notícias que ela já estava na UTI, e tinha acordado (e estava viva!), chorei de alívio.

Porque, sabe, eu tenho sido uma neta muito ruim. Eu não me importo de ser uma parente ruim praqueles que não me importam. Mas eu gosto muito dessa minha avó.
Ela foi muito importante na minha vida, e eu hoje em dia só a vejo ocasionalmente, em eventos tipo natal e aniversário.

Não tive a oportunidade de dizer como sinto saudades das rosquinhas de nata que ela fazia, e agradecer pelas coisas que ela me ensinou.

Eu sei que ela está bem velhinha. Eu sei que ela vai morrer. Eu me conformo com esse tipo de coisa. Afinal, ela teve uma vida muito boa e feliz. Viu netos e bisnetos, viveu tudo que era possível. O difícil é não poder dizer adeus.

E eu tenho tantas estórias pra contar sobre essa avó. Sobre como ela foi uma mulher muito inteligente, auto-didata, esclarecida para o mundo moderno. Como ela foi fazer faculdade depois de velha, andou de ultra-leve, passeou a Argentina na garupa de uma moto. De como ela foi uma menina muito pobre, mas conseguiu se instruir tão bem, e dar boas oportunidades para meu pai e minhas tias. Como ela falava e praticava alimentação natural, orgânica e macrobiótica mais de 20 anos atrás, e foi pioneira nisso. Como ela se superou e aprendeu espanhol, também depois de velha.

Das mandonices e maluquices também, mas até disso eu sinto saudades.

Ela foi uma avó tão incrível, incutiu tantas coisas boas em mim. Eu fui a primeira neta, o xodó. Nossa relação foi tão cúmplice. E eu não disse nem obrigada. Isso está acabando comigo.

Porque a vida da gente é corrida; cheia de trabalho, compromissos, filhos para criar, e a gente faz isso mesmo com os velhos: põe de lado. Mas é tão cruel. Tão cruel.

Hoje eu não estou bem. Desculpe esse meu desabafo. Eu sei que esse não é o perfil do meu blog.
Mas é que hoje eu estou me sentindo com 5 anos de idade de novo.
E eu quero a minha vó.

15 comentários:

Olly disse...

Oh minha amiga... vai dar tempo de vc falar tudo isso, vc vai ver... E caso não d~e, posso falar? ela sabe... ela já agiu assim com alguém meu amor... a vida é assim... e os mais velhos abem disso...

beijos e estou na torcida por ela...
Olly

Ice Ice Baby disse...

ai Elise cherie...sua dor me fez refletir, sabia?!

Acho q sou uma neta meio ausente, não digo ingrata..mas meio ausente. Amo minha avó mais q tudo nesse mundo..mas tenho deixado a minha família muito de lado realmente sabia?! e no final oq sobra? família né? aquelas pessoinhas q vão te amar acima de tudo..custe o q custar...

espero q sua grandma se reestabeleça rapidamente e q vc possa ter mais tempo pra demonstrar todo esse carinho e amor q vc tem por ela.

bjs chuchu e keep walking!

mãe disse...

Ai! filha! As rosquinhas de nata, e nata caseira, que ela juntava. Feitas com tanto amor!

beijos

lolo disse...

Tenho certeza de que ela sabe. Certeza absoluta. Foi horrível perder o meu avô. Coitado, tão velhinho, mas a gente queria mais. Ele tinha 17 netos e fazia questao de cada um deles. O meu medo no final era que ele nao soubesse quem sou eu quem era a minha irma, pq a gente parece uma com a outra, mas ele ainda sabia. Ela sabe do qt vc gosta dela e de que vc e agradecida por isso. Nao precisa sofrer.

Milena disse...

Eu não tenho nem avó, nem avô. Eles morreram qdo eu era bem novinha...
Mas sei do que vc ta falando...
A gente acaba não os vendo mesmo né?
Mas olha: Fica bem Querida! Ela ainda tá aí! Vc pode visita-la e comer rosquinhas e melhor: Vc deu uma bisneta pra ela!
Quer presente mais bonito?

Um abraço apertado em vc!

Paty disse...

Querida, imagino como e dificil, e se precisar desabafar, pode escrever ta bom? aproveite a oportunidade e procure ser mais presente neste tempo que ainda resta para ela. Sei o que voce fala, minha avo mora no rio, e mesmo longe, procuro pelo menos ligar uma vez por semana... ja a minha avo que esta doente de cama aqui em SP, e que nao reconhece ninguem, nao a vejo desde o ano passado... muito feio ne?
beijinho querida,
Paty

Renata R. disse...

Ô, querida, que sua vozinha fique boa.

Eu sinto tanto isso, sabe? Só tenho uma avó. Que está bem velhinha e debilitada. Não vou lá tanto quanto deveria. Tenho medo dela achar que é descaso e que não me importo. Não é. Eu me importo muito. Mas acabo deixando passar oportunidades de viajar para visitá-la.

Seu post me fez pensar tanto...

Espero de verdade que ela se recupere e que você possa falar tudo isso, Elise.

:***

Titi disse...

Se der tempo diga...Se não,não se martirize, ela sabe...
Não pude despedir da minha amada vó Luiza.Ela se foi e eu estava longe.Também não pude dizer e confirmar que a amava tanto e que ela era minha "mãezinha" do coração.E hoje me conforto na certeza de que ela sabia de tudo sim.Sabia do amor e de toda querência.
Bjcas e fique bem.

Dzinha disse...

Engraçado, Elise.... hoje, no trabalho, eu me lembrava da minha avó também. E do quanto tenho sido uma neta má. Eu adoro a Vóvs, como eu a chamo, e a última vez que a vi foi no dia das mães. Prometi a mim que vou ve-la essa semana. Não importa que a gente more longe horrores.. Se algo acontecer a ela e eu tiver dado mais um abraço na coroa, nunca vou me perdoar.
Corre, menina, diga a sua avó tudo isso de lindo que você falou sobre ela. Elas merecem saber o quanto são especiais pra nós.

Beijos e fique bem.

Cinthya Rachel disse...

fiquem bem! um beijo

Andréa Ramos disse...

Vai passar,ela vai melhorar sim.
Meu pai está melhor.
E se for o tempo dela,respeite o momento de cada um.
Vá até ela e diga o que tem vontade,eu sei que é difícil,mas vc é MARA e vai conseguir.
Beijas e fique bem.

Daniely Novo Kamaroff disse...

Sinto muito Filé! Sinto mesmo...mas vc vai conseguir falar tudinho para ela...de uma forma ou de outra...vai ficar tudo bem! Se precisar é só chamar!
Bjks

Aline T.H. disse...

Linda, espero que fique tudo bem, viu? De coração. Sei como é, e bem. E nem vou falar disso, não.

Um beijo enorme, viu?

Camila disse...

Elise, tenha certeza de que mesmo não tendo verbalizado todo o amor que sente por ela, ela sabe. E também ama muito você e a bisnetinha que vc deu de presente...

Não sei a sua crença, mas seja qual for, reze, mande energias positivas pra sua vózinha, isso vai fazer muito bem a vcs duas, vai por mim.

Beijo grande, desejo que sua avó se recupere o quanto antes...

karla dani disse...

eu tive essa mesma sensação qdo minha vó (parecida com a sua) morreu, mas depois ficou a certeza de que ela sabia de tudo isso sim... tu vai ter a segunda chance pra dizer tudo isso pra ela, n perde tempo!!! mil bjos!