quinta-feira, 2 de julho de 2009

NOT BEING A "PERIGUETE"


Eu já cheguei à conclusão de que se existem periguetes no mundo, é pq em algum momento algum bocó deu trela pra elas....

Porque né, existe etiqueta para se lidar com pessoas acompanhadas, como não??

Tanto estando acompanhado, quanto lidando com quem está.

Deixa eu contar uma: há umas semanas, eu fui ao salão fazer a unha. O mesmo salão onde vou há anos, e que conheço os donos e tals. Daí que agora eles tem novos sócios.

Chegando lá, o cara (novo, pintoso) era quem recebia a mulherada. E a mulher estava no caixa. Se era a mulher dele ou não, eu não sabia.

Bom, acontece que o cara era SIMPÁTICO DEMAIS, e eu fiquei meio desconfortável, pq acho meio sem educação ficar toda bi-bi-bi ao lado da mulher do cara. Eu reclamei com a manicure que estava com dor de cabeça, e ele todo solícito, veio oferecer um remédio. Ok.
Depois ficou puxando assunto, todo sorrisos, gentilezas.. oferecendo café.

ÓBVIO que ele não estava me dando mole nem nada, mas fiquei sem graça, sabe? Sabe aqueles caras que mesmo com a mulher ao lado são cheios de sorrisos e trequetreques, se engraçando com meninas que entregam panfleto nos sinais, com garçonetes, com frentistas...? Sabe como é? Por mais que não seja uma cantada, acho sem educação com a mulher ao lado dele.

Enfim. Como eu estava sem jeito, toda vez que ele me perguntava alguma coisa, eu respondia PROS DOIS. Virando pra mulher, pq afinal eu não queria fazer inimizade, nem que ela me odiasse ou coisa assim, rsrsrs.

Então, ok, aqui vão as MINHAS regras pra se lidar com caras acompanhados (estando eu ou não) e não passar por PERIGUETE:

1) Não se atirar, abraçar, ou ficar agarrada com amigos acompanhados (essa regra SUPER NÃO SE APLICA a mim! rsrsrsrs. Eu agarro, beijo, e fico pendurada nos meus amigos. Mas, ok, primeiro é ultra inocente, pq são meus amigos mesmo, segundo conheço bem a maioria das mulheres deles. E se for algum com menos intimidade, ou de namorada nova, pego leve... isso só se aplica àqueles amigos AMIGÕES mesmo, ok?)

2) Não ficar monopolizando uma conversa com um cara casado/acompanhado. Eu sempre tento dar um jeito de incluir mais alguém no papo. E se a mulher estiver perto, com cara emburrada, dane-se que o cara é o roteirista de True Blood, e eu esteja morrendo de vontade de ficar papeando com ele: vou lá fazer amizade com ela.

3) Se fazer de morta-idiota, se o cara REALMENTE estiver se engraçando, fingir que não está entendendo, e fazer o "SAÍDA PELA DIREITA", o mais rápido possível. Pra não dar confusão com a mulher dele, mas principalmente com o seu acompanhante, hehe.

4) NÃO mostrar sua tatuagem quase na virilha pro cara, mesmo que ele seja tatuador, e coisas do gênero.

Bom, nem vou falar mais a respeito, pq aqui só tem chéries "finas", e no fundo no fundo uma mulher sabe quando está pagando de periguete. E quem se faz passar, normalmente gosta.

Agora, o MAIS DIFÍCIL DOS DIFÍCEIS: lidar com as periguetes.
Até pq, existem umas amadoras, mas a maioria hj em dia é profissional, e me faz até medo.

Bom, o que cada uma faz, deve funcionar pra ela. Não existe jeito certo ou errado. Mas NUNCA que eu iria me rebaixar a medir forças com uma periguete. O negócio é não entrar no nível delas: saltos, meninas, saltos.

Em situações sociais (festas, encontros, jantares, whatever) existem dois tipos básicos de periguetes: aquelas genéricas, que vão dar mole pra todo mundo, e vão acabar bêbadas, pegando o garçom, e existe o tipo mais perigoso: a periguete que quer específicamente o SEU homem (rsrsrsrs).

Quanto ao primeiro tipo, minha tática é infalível: fico logo amiga, puxo logo papo, rsrsrs. Pq periguete é raça vingativa... se vc afrontar, bater de frente, o negócio pode virar meio que desafio pra ela. Então eu puxo um papo (hello, no meu nível, of course), me faço de idiota (aliás, o melhor conselho que eu posso dar pra qualquer um - quer se dar bem sempre, em qualquer situação? SE FAZ DE IDIOTA!), e tals.... se vc criar um "laço", ainda que precário com o ser, normalmente ela te deixa em paz.

Agora, o segundo tipo....

Já enfretei algumas bem psicopatas. Logo que eu comecei a namorar o B, tinha uma menina com quem ele saiu que não se conformava. Eu ainda não tinha encontrado com ela, mas ele já tinha me contado tudo e mais um pouco a respeito dela, e me prevenido contra a pessoa (que em qualquer oportunidade em que ele estivesse, se oferecia).

Pois bem. Eventualmente nos encontramos numa festa. Ela ficou me cercando e me mirando desde a hora que chegamos. Óbvio que eu sabia quem ela era, e estava óbvio tb que ela queria uma cena (tem umas assim, né?).

Daí, numa oprotunidade em que fiquei sozinha, ela me ABORDOU (acredita???).

- Oi, vc sabe quem eu sou???
Eu dei meu melhor sorriso simpático, e respondi "NÃO". Aqui vale uma explicação: vcs acham que eu ía deixar transparecer que sabia quem era ela? Que ela já tinha sido assunto, motivo de conversa? Deixar ela achar que eu estava preocupada? Rá. Mas nem.....

Ela ficou com ÓDIO. Já falei que ela queria uma discussão, uma cena.
Como viu que eu estava cagando baldes pra quem ela era, ela continuou:
- Vc não sabe quem eu sou, MAS EU SEI QUEM VC É (insira tom de ameaça aqui). Meu nome é fulana.
Eu segurei o sorriso, o rosto mostrando toda a indiferença do mundo (embora eu pudesse estrangular ela ali mesmo).
- Prazer. Eu sou a Elise, a namorada do Bruno. Dá licença que ele está me esperando, sim?

E saí me rebolando. Ser ignorada mata completamente de raiva essas pessoas, acredite.

Em várias outras ocasiões ela me hostilizou, e eu sempre sorridente, achando a maior graça. Nada que irrite mais a pessoa. O negócio é NUNCA, NUNCA se bater com esses tipos, nunca descer ao mesmo nível. E nunca discutir. Ser superior, superior - inatingível.

Agora, o que me tira do sério é o seguinte: encostar.
Pode se rebolar, fazer figura triste, se exibir o quanto for, eu tou rolando de rir. Mas ENCOSTOU, óbvio que o sangue esquenta. Eu acho que não tenho um pingo de barraqueira no meu corpo, até pq odeio confrontos, mas tudo tem limite.....

Mas aí tb, acho que cabe à ELE cortar. Eu só me meteria num ultimíssimo caso. Imagina, perder minha classe, aff!

O que eu efetivamente faço é.... ME VINGAR.

Eu posso parecer um doce, mas realmente, REALMENTE vc não vai querer entrar numa briga comigo. Pq eu não jogo limpo, sabe? Se chegou ao ponto de eu me estressar e brigar, eu vou ter de ANIQUILAR vc, rssr.
Posso-ser-um-monstro-pergunte-me-como
, rsrsrsr

Mas para ilustrar: todo mundo tem família... todo mundo tem email... todo mundo tem emprego.... todo mundo tem um ponto fraco. Tudo na surdina, tudo anonimamente, essa é a graça do negócio.

Então, fica a dica: nada de ficar de briguinha, o negócio é ir ONDE DÓI, rssr.

E aí? Alguém tem algum "causo" bom de periguete pra contar???

14 comentários:

Clarisse disse...

Hahhahah Elise, ótima história! Acho que história de periguete toda mulher tem pra contar. Até as periguetes devem contar pras amigas: "menina, tem uma periguete dando em cima do meu macho". Hahahah

Agora, concordo com seu conselho: o segredo é ignorar meeesssmo e com aquelas metidas a "amiguinhas" dele o segredo é se fazer de amiguinha tbm.

Eu sou ciumenta, mas ainda bem que com o meu namorado essas periguetes não se criam, rsrsr. Beijos!

Silvia Maria disse...

Caraca Elise...
E ex do meu Namô ficava cercando, sabe? Um saco!!!! Ele cortou e ela continuou... e eu ignorei solenemente. Tipo,não sabia nem quem era aquela pessoa... e ela dando indiretas para dizer que conhecia ele melhor que eu e tals... Aff! continuei cega, surda, muda e retardada... funcionou. Ela desistiu.Mas tô de olho, sempre alerta!
Bjks

Mary disse...

Oi, Elise!
Então, acredita que o meu caso foi parar num tribunal? Pois é, ignorar não adiantou, mas a melhor vingança foi deixar quieto (a princípio) pra depois ver a cara de bunda na frente do juíz :) E lá - detalhe: primeira e única vez que nos vimos!!! - ela ainda tentou ser superior... teve de sair com o rabinho no meio das pernas (tortas! Eu juro!).
Depois que passa a gente se sente meio bunda, sabe? Tipo: pra quê, né? Mas quieto eu não deixo. Acho que ela aprendeu a lição!

Beija

Daniely Novo Kamaroff disse...

Filé, eu, DEFINITIVAMENTE, detesto esses seus posts...você já deve imaginar o porque...rs
Mas não vou me esquecer nunca do que tirou do sério a mulher "atração fatal" da minha vida.
Ela que queria um barraco comigo, encontrou uma Daniely "tibetana" que falou para ela o seguinte:
- Querida, você é mais uma das ESCAPULIDAS do fulano, não foi a primeira e não será a última, e eu não me preocupo com ESCAPULIDA...
CARACAAAAAAA A periguete ficou ensandecida com o "escapulida", acho que foi isso que a enlouqueceu...rs
Mas continuo detestando esses seus posts...rs
Bjks

Andréa Ramos disse...

Eu tbm faço a fina,a madame,mas sou ruim de nascimento,posso detonar uma pessoa sem arrependimento nenhum.
Aconteceu comigo assim:funcionária do escritório,noite de inauguração da primeira casa noturna,ela chega no meio da gente e agarra meu marido,dá dois beijos mega estalados e dá os parabéns desejando que ele seja o homem mais feliz do mundo e aproveitando pede uma garrafa de uisque.
O idiota ficou travadinho,com medo e eu me contive.
No outro dia eu dei bom dia e disse que queria ela na rua,demitida,sem chance.
Ele disse que não podia mandar embora assim "sem motivo".
Fui para o meu quarto,fiz uma malinha e disse:-Fique com meus filhos,eu volto qdo puder para buscar os três.
Ele quase teve uma síncope,pediu pelo amor de Deus e mandou a putinha embora.
Ela me mandou um recadinho dizendo que iria me processar.
Eu mandei um recado escrito de volta.
Me processe,eu tenho dinheiro para pagar indenisações.Qto à vc,está na rua por não ter classe,pode até levar meu dinheiro,mas ainda assim será sempre pobre,empregada dos outros e uma mulherzinha de quinta categoria.
Mas mesmo assim obrigada,graças ao seu comportamente de moça de vila,eu volto aos EUA no mês que vem.
Claro que eu quis a viagem para poder perdoar o danado né.
E que morram as periguetes do planeta.
Beijas

Andréa Ramos disse...

Amei seu post chérie.

Cele disse...

ui! quem tem marido, namor, pretê, sabe bem o que é uma periguete rondando! Saravá!

Ju disse...

"Eu posso parecer um doce, mas realmente, REALMENTE vc não vai querer entrar numa briga comigo. Pq eu não jogo limpo, sabe? Se chegou ao ponto de eu me estressar e brigar, eu vou ter de ANIQUILAR vc, rssr.
Posso-ser-um-monstro-pergunte-me-como, rsrsrsr"

òtimo isso!!! Amei!

Todo mundo passa por essas situações, não só em relação a piriguete, mas a tudo... pessoas inconvenientes no geral!

Eu sou o oposto: eu rebato, na hora! Mas não é só dar fora não... desmascaro a pessoa mesmo. tipo... "você tá fazendo isso, por causa dissso. sua intenção é essa". Sabe?! Jogo a real mesmo. E, CLARO, me ferro!

Pq o que mais existe nesse mundo (e que eu ODEIO!) é gente parcial. Então todo mundo que quer defender a pessoa usa essa "tangente": coloca vc como a errada da história pq foi grossa! E sem contar naquela velha história do tempo da vovó "perdeu a razão"! rsrs Dá um ódio mortal!

Mas ainda tem valido a pena, só pelo prazer de desmascarar a pessoa! De mostrar quem ela realmente é.

Além disso, impõe respeito! Quem lhe conhece sabe logo: aí não!
hehe

Mas reconheco que a melhor coisa às vezes é se fazer de idiota mesmo. Working on it!

Bjos

Marceli disse...

Eu tenho uma história ótima de periguete, vc vai adorar! rsrs

Uma amiga minha de infância namorava com um cara que a traiu com uma periguete. Daí que estávamos numa festa de reveillon, e adivinha quem estava lá? A própia!! Daquele tipo bem vulgar, que rebolava até o chão e se esfregava em TODOS os caras da festa.

Nós estávamos em uma turma, e ela deu em cima dos caras que estavam com as namoradas, que também são minhas amigas, e mais ainda em cima do fulano traidor.

Pois bem, apesar de eu estar desacompanhada, fui ficando tão puta com a palhaçada da cidadã, e quando eu a vi dançando descalça, e as sandálias novinhas solitárias num cantinho, não tive dúvida, chamei mais uma amiga prá "dar cobertura", peguei um pé só, fui andando pelo condomínio que estávamos até achar uma casa vazia, e joguei a sandália no meio do matagal.

Claro que depois de um tempo ela deu falta da sandália, ficou procurando, eu também ajudei a procurar, diga-se de passagem... mas óbvio que não achou, e não é que a periguete foi embora descalça???

Fiquei sabendo depois que no carnaval foram limpar o terreno, e acharam a sandália perdida!! rsrsrs

Pelo menos dessa vez foi a periguete se deu mal!! rsrs

ps: Até hoje eu e as amigas envolvidas negamos nossa participação nesse evento. Juramos para todos que não fomos nós!!! rsrsrs

Karol B. disse...

Elise adoreei! hahaha somos mto parecidas em casos assim! não sou de fazer barraco, aprendi com a vida que ignorar e ser superior MATA elas por dentro, e mesmo que o sangue suba mto, não desço ao nivel dessas bitches.


bjinhoss

Priscila B. disse...

kk..é isso aí, Elise.. salto!hehehe..
bjão!

Carol Branco disse...

oie... conheci seu blog hoje e to morrendo de rir a um tempão com esse post sobre periguetes.. e bem no primeiro "causo" você descreveu meu marido...hahahaha ele faz exatamente isso que vc falou, fica de sorrisinho, todo amável, eu sei que é o jeito dele e que por mais que ele chame qualquer mulher de minha flor, querida, lindinha e etc... eu sei que ele não tá dando em cime dela ele só não sabe o nome dela... mas eu fico PUTA com isso toda vez...toda vez!!!!
Já falei com ele, já pedi PELAMORDEDEUS para ele parar com isso que eu não gosto, e pergunta se ele parou... rs...
To linkando seu blog, ele é ótemo, bjo!

.•“♥“•.¸ Helena .•“♥“•.¸ disse...

OLA
BOA TARDE
VENHO SEMPRE AKI
MAS NAO TINHA REPARADO NESSA HISTORIA DE PIRIQUETE
ACHEI O MAXIMO
QUAL KER DIA DESSES EU TE CONTO UMA HISTORIA DESSA
UM ABRAÇAO

Encrenca disse...

Adorei
Fui casada por 12 anos e topei com um monte de piriquetes desse tipo.
Concordo plenamente, a solução é ignorar o fato e mostrar que somos SEMPRE superiores a essa "categoria" de mulheres. Rá!
Beijos
ps: adoro seu blog!