quinta-feira, 11 de novembro de 2010

CARENTE


Cheguei agora do salão.
Peeps, olha que bagulho doido que eu ouvi.

O cabeleireiro vira pra mulher (+- da minha idade), e pergunta:

- Fulana! Tá fazendo o quê por aqui? Cortei seu cabelo não tem nem um mês...

A mulher estava meio abatida, com olheiras e uma cara triste de fazer dó.

- É que eu terminei com o fulano tem algumas semanas e... cara, eu preciso que alguém ME TOQUE. Tou super carente de contato. Então lava, hidrata, faz escova... qualquer coisa que precise mexer no meu cabelo!!

Ainda bem que eu estava em um ângulo em que ela não me via, porque fiquei com medo de fazer cara de surpresa com a conversa.
Mas fiquei morrendo de pena.
Imagina, a pessoa estar tão sozinha, tão carente de contato, toque, cafuné, que vai ao cabeleireiro pra se consolar!
E, te dizer, a mulher era gata, viu?

Saí de lá pensando nos motivos pelos quais as mulheres vão ao salão, e matutando em quantas será que vão só pra terem um afago, uma massagem na cabeça, um carinho no cabelo mesmo.
Mesmo inconscientemente.
Sinistro.

10 comentários:

Anônimo disse...

Terapia Elise... No geral as pessoas não são carinhosas...

aliás, cá entre nós até pouco tempo eu não era de abraçar nem ser carinhosa com ninguém (26 anos nas costas)... me dei conta pq senti que não sabia nem mesmo qual era a sensação de tocar na minha mãe (Mãe..mãe mesmo... foda né?)

anônima só agora... nunca comentei assim... mas é que isso, de fato não é algo legal de falar (suspiro...)

Anônimo disse...

=/ fogo...

Andréa disse...

Eu acredito.
Agora fico aqui,pensando no que estava se passando dentro dessa moça.
A dor devia ser grande.
Eu tenho uma cunhada que não se casou.
Ela tem um filho de 21 anos(idade em que eles só olham para o próprio umbigo)e que faz faculdade fora,só vem no final de semana,isso qdo não viaja com os amigos.
Agora ela arrumou um namorado,mas já deu pra perceber que não é paixão,de nenhum dos lados.
Ela me liga todo dia,às vezes duas vezes por dia,me chamando para ir ao mercado,shopping,pra tomar café com ela na padaria,etc.
Eu percebo o desespero no olhar dela por ser sozinha.
É complicado mesmo.
Mais que sinistro.

Ariane disse...

Nossa, juro que fiquei morrendo de dó! Imagina que triste....

Mas eu concordo com o que a anônima aqui disse... as pessoas no geral não são carinhosas, as vezes não demonstram nada!

E o pior que quando estamos na deprê pós rompimento é foda... você tinha sempre carinho e do nada acaba?!

Juliana disse...

deu dó.

Eu odeio carinho de desconhecido, corto, lavo, hidrato, pinto, faço as unhas, me depilo, tudo em casa hahah.

mas fiquei com dó.

Quem sabe o bofinho que estava com a moça não tenha deixado ela assim, não por ter partido, mas talvez seja um daqueles sugdores de energia, de vida... Aqueles que proibem a mulher de ter amigos, de ficar com a familia... De viver.

Anônimo disse...

Ta Elise, mas como assim??
Vc twitou dizendo que ia pro salão pq tava carente e ai chega lá e vem uma fulana e diz pro carinha a mesma coisa q vc tava sentindo??
VC me entendeu??
Que estranho...
Esse post é ficctício né??
Ta meio fake...
Coincidência demais... e vc nem citou a tal MEGA coincidência.

Elise Machado disse...

Anônimo, não citei pq não teve coincidência nenhuma. Volta lá no twitter - eu NUNCA disse que estava carente. Não estou.
Eu disse que ia ao salão pra ESVAZIAR A CABEÇA - desopilar, esquecer, distrair, coisa que fiz muito bem.

Passei uma barra pesada emocional pessoal ontem, e precisava me desligar algumas horas de computador, filho, gente. Refletir.
Nada a ver com carência, rs.
Felizmente pra isso existe o B.

Talvez sim por eu estar melancólica é que tenha ficado com a conversa na cabeça e acabado colocando no blog.

Vou falar pela milésima vez - eu não faço posts fictícios. Pra isso existem os textos reflexivos e contos. Eu aviso quando é um deles. O máximo que faço é resumir alguma história, ou trocar os nomes, pra não comprometer ninguém.

Anônimo disse...

Ser sozinho é muito complicado!
Era do interior e vim para capital do meu estado para trabalhar.
O povo daqui é fechado e é muito difícil ter amizade com alguém.
Entendo a carência dela!
As vezes fico procurando na agenda algum amigo pra conversar...
Triste e deprê.
Melhor deixar anônimo Elise

ni disse...

Eu acho que a grande maioria das pessoas é sozinha, e muitas delas nem sabe. E também que todo ser humano tem medo da solidão, seja isso consciente ou não. Às vezes criamos mecanismos de defesa para isso. Tem gente que se afasta dos outros justamente por ter medo da rejeição e de consequentemente ficar sozinho, isso parece contraditório mas se vc não se aproxima das pessoas não é rejeitado. Eu fui assim na adolescência e ainda sou um pouco assim em relação a estranhos.

Caroline® disse...

Eu só vou no salão quando preciso meeeeesmo, tipo pra fazer química e unha, que não sei fazer em casa. Não gosto de salão. Pra pessoa ir no salão por solidão, por carência, a coisa tá preta mesmo. Certamente essa moça não tem amigos de verdade, nem família pra contar. Porque quando eu me sinto só, carente, eu corro pro colo dos amigos e da mãe, e eles estão lá. Aliás, no meu último fim de namoro, enchi bem o saco de todos, pedi abraço e tudo.