domingo, 16 de janeiro de 2011

RESGATE EM TERESÓPOLIS

Meus heróis :)

Domingo, meio-dia. A gente tomando café da manhã na padaria.
Ele vira pra mim:
- Tou agoniado. Já pensou que a essa hora o pessoal está fazendo um monte de coisa lá em Teresópolis, e a gente não está mais lá pra ajudar? Tou me sentindo um inútil aqui.

Eu sentia a mesma coisa.

***

A história começou na quinta, logo depois da tragédia na Região Serrana no Rio.
Soubemos tardiamente da morte de um conhecido. Eu não era íntima dele, mas fiquei bem chocada - ele morreu com a mulher, o filhinho de 2 anos e mais um monte de pessoas da família.
Já o B ficou arrasado - eles tinham sido parceiros de pelada.

Poucas horas depois chega um email dele avisando que estava combinando com um amigo de trabalho de subir a serra, pra ajudar como voluntário.
Eu respondi "quando vamos?", e ele ficou feliz e disse que sabia que não iria sem mim. E assim começou um grupo de gente querendo enviar doações e ir até lá pra ajudar nos escombros. Esse amigo tinha família lá e através deles ficou sabendo que a Defesa Civil não estava dando conta dos mortos, feridos e desabrigados. Que havia muita gente sem resgate ainda, e sem comida e água.

Aqui no Rio, outros amigos começaram a reunir doações e conseguiram um caminhão, que eles levaram cheio de coisas em comboio pra lá depois. Outros amigos doaram em supermercados. Outros depositaram dinheiro. Outros doaram sangue. Um monte de gente se mobilizou de todos os lados.
Formou-se uma grande rede de ajuda carioca.

Nosso pequeno grupo saiu na madrugada de sexta para sábado, às 4 da madrugada. Malas dos carros abarrotadas de água e mantimentos.
Eu não vou dizer que não estivesse com medo - rárá, eu estava MORTA de medo!
Eu não sou kamikaze - estava doida pra ajudar, mas sabia que tínhamos limitações. Ia vendo a previsão do tempo a cada meia hora, e combinamos que a qualquer sinal de perigo, deslizamento ou coisa assim, voltaríamos.
Afinal, não adiantaria nada nos colocarmos em perigo e acabarmos atrapalhando tendo que ser socorridos também, como me lembrou duramente um amigo cético. Recebi tantos avisos preocupados para não ir que fiquei apreensiva - uma pessoa me perguntou "por quê" a gente tinha que ir.
A gente não "tinha", mas... por que não ir? Cada um doava o que podia e queria, nem que fosse uma oração - nós queríamos doar nosso tempo.

A gente sempre sofre com essas tragédias, e assiste horrorizado, doido pra poder estar lá e ajudar - essa foi no nosso "quintal de casa", a pouquíssimas horas daqui, num lugar que adorávamos. Foi difícil resistir.

Nosso grupo era formado por mim, pelo B e pelos amigos Fábio, Fábio Lima, Gabi, Terta e Daniel.
A estrada estava inacreditavelmente tranquila e limpa, e chegamos lá muito cedo. Fomos direto pra Defesa Civil, de onde fomos encaminhados: nós, as 3 mulheres, acabamos no ginásio PEDRÃO, que tanto apareceu nos jornais, e os homens saíram em missões junto com a CRUZ VERMELHA.

No PEDRÃO... vocês não fazem ideia!
Eram voluntários, Defesa Civil, Bombeiros, Polícia, gente machucada, velhos abandonados, crianças perdidas, famílias dormindo em colchonetes, pouquíssimos médicos tentando cuidar de todos, pessoas chorando os parentes mortos, outras olhando as listas de localizados... UMA BABEL!!!


Sim, há muitos desabrigados lá, mas não é nem 1/10 do número total. Lá é o centro de distribuição de mantimentos e outras doações. A arquibancada INTEIRA do ginásio está tomada de sacos de roupas, sapatos, cobertores...
Nós tínhamos que ser em número 3x maior pra dar conta de tudo. Eu e as meninas assumimos a seção de roupa masculina, e começamos a desensacar tudo, separar por tipo de roupa, tamanho, e atender as solicitações que chegavam.
Subíamos e descíamos freneticamente as arquibancadas (hoje minha panturrilha sedentária dói como se estivesse pegando fogo, rs).
Tínhamos que usar luvas de borracha.
Ficamos nisso horas, sem nem lembrar de sentar um minuto.

Final do dia, todos molhados, exaustos e descabelados (eu, rs)

E no meio disso tudo, atendíamos ao público - as pessoas chegavam com papéis entregues pelos assistentes sociais pedindo roupas.
Eu e as meninas saímos um pouco do padrão, pois quando chegava alguém pedindo "uma camisa e uma calça", a praxe era pegar a primeira coisa da pilha e entregar.
Nós não.
Nós começamos a escolher as roupas, e tentávamos sempre personalizar a coisa. A Terta pegava sempre umas 2 opções de cada peça pra pessoa escolher. A Gabi perguntava o tamanho e a cor que ela preferia (havia MUITA roupa, e dava pra isso), e eu conversava com as crianças e com os velhinhos perguntando como era a roupa que eles queriam, o modelo...
Pode parecer a maior besteira, nesse caos. Mas pensa - a pessoa perdeu TUDO. Por que não dar uma alegriazinha a ela????
Às vezes só cuidar do corpo e da saúde não basta - tem que cuidar da alma. E eles queriam conversar sabe? Contar como tinha sido, o que tinha acontecido.
E todos saíam com um sorriso da nossa seção.

Outra coisa que nós saíamos do protocolo também - a pessoa chegava pedindo uma blusa. A gente entregava casaco junto. Isso evitava que o pobre depois tivesse que entrar na fila da assistente social de novo, pra pedir um casaco.

Um mãe chegou com a filha de 9 anos. A menina triste, nem levantava o rosto. Pediu uma "roupinha" pra filha trocar depois do banho. Perguntei o que ela queria. Ela me olhou espantada e disse que qualquer coisa servia. Virei pra menina e perguntei o que ELA queria vestir. Ela ficou um pouco encabulada, por causa da mãe, mas respondeu num fiapo de voz: "eu queria um vestido, tia".

Fui lá no alto da seção infantil, escarafunchei e depois de uns minutos voltei trazendo um vestido, um conjunto de blusa e calça e um casaquinho pra ela.
Nunca vi uma criança ficar tão feliz tão rápido!

Enquanto isso...
os meninos viviam outra aventura!
Junto com a Cruz Vermelha foram a localizações muito distantes levando mantimentos e colchonetes.
Tiveram que enfrentar lama e escombros. Viram de perto a destruição.
Foram a uma igreja que estava lotada de gente, e tinha um fogão cozinhando no meio dela. Em alguns lugares que eles foram as pessoas não comiam fazia tempo, ou não tinham mais nem água pra beber. Centenas de pessoas ainda desaparecidas. Os números de mortos que estão anunciando... você pode dobrar ele com certeza!

O B contou que num lugar, uma mulher estava desesperada pedindo fraldas pra um bebê.
Eles estavam descarregando o caminhão, quando detrás da pilha de colchonetes, apareceram pacotes e mais pacotes de fraldas.
Ele falou que nunca ficou tão feliz e subiram emocionados gritando "Tem fralda! Tem fralda!"
E a mulher não parava de agradecer.

No bairro do Cruzeiro, eles tiveram que atravessar uma estreitissima ponte de bambu em cima de um rio e lama, com colchonetes nas costas pra levar pra população, e o meu amigo Daniel se emocionou e chorou quando ouviu uma menininha perguntar pra mãe por que ela não podia ir pra creche.

Quando percebiam que não éramos de lá, perguntavam espantados: mas vocês vieram do Rio SÓ pra ajudar?
E depois ficavam nossos amigos, e nos agradeciam muito pela ajuda, e nos desejavam boa viagem de volta.

Nos encontramos todos no Pedrão no final da tarde com uma última missão, passada por um Coronel que ficou amigo deles - levar cestas básicas até o quartel dos bombeiros. Estavam chegando muitos resgatados de helicóptero, e eles estavam ficando sem mantimentos por lá. Nós presenciamos a chegada de resgatados.
Tinha começado a chover MUITO e nós estávamos com medo da serra fechar e nós ficarmos presos por lá - Memée estava aqui no Rio na casa de uma amiguinha, e nós precisávamos voltar.

E foi isso, peeps. Tem muita coisa pra contar ainda, mas o post já tá giga.
Depois da ida ao quartel dos bombeiros, depois de mais de 12 horas direto nessa adrenalina, voltamos.
Um nó na garganta de deixar o povo lá, sabendo que eles estavam precisando de CADA BRAÇO disponível pra ajudar.
Mas uma sensação boa de dever cumprido também.
Foi das experiências mais intensas da minha vida.

Eu queria ter fotografado e filmado tudo pra mostrar pra vocês.
Mas o B, sabiamente, me falou pra não fazer isso. Disse que tem SEMPRE aquele espírito de porco que torce o nariz, e diz que você está se promovendo em cima do sofrimento dos outros.
Escaldada de ser mal interpretada como estou, dei razão a ele. Mas depois me arrependi - que se fodam os espíritos de porco. Eu deveria ter registrado tudo, pras pessoas terem IDEIA do que realmente está acontecendo lá.
E de como as pessoas ainda precisam MUITO de doações e ajuda também.
É uma pena.
Por isso tem tão poucas fotos - foram tiradas pelos amigos.

Mas, eu reafirmo:
AJUDEM!
Não precisa ir até lá pessoalmente (embora fosse maravilhoso, quem puder).

Mas doe!
Direto na Cruz Vermelha, pois é mais seguro.
As doações ESTÃO CHEGANDO lá, e acabam rápido.
Eles precisam muito de água, leite em pó, velas, fraldas e produtos de higiene.
Comida pronta também, pois nem sempre eles tem como cozinhar.
E sangue! Os feridos precisam de sangue!
Ajude como puder, nem que seja um pouquinho.
A gente viu de perto que faz TODA A DIFERENÇA.

62 comentários:

Ruiva disse...

Tenho idéia do que estão passando porque em Abril vivi isso, em Niterói, na minha escola. Embora o que aconteceu aqui não seja neeeeeeeeeeeeem a terça parte da tragédia que foi na Serra, a sensacao de impotencia eh bem semelhante.
Estou longe da cidade, não há o que possa fazer daqui, a não ser minhas preces. Agradeço a Deus pq meus amigos de Friburgo estão bem. Mas não sei quando poderei visita-los agora.....

Parabens pela ação de ir até lá.
Beijocas

Silvia Maria disse...

É. Só quem já trabalhou nesse tipo de mutirão sabe como é. Não se tem fome, sede, cansaço, nada. Só uma gana enorme em ajudar.
Fiz isso em 88. Até mingau eu fiz - eu que não sabia fazer nada!
Parabéns pela iniciativa e parabéns por mostrar a Memé que é colocando a mão na massa que se constrói uma pessoa.
Beijas

Lisse disse...

parabéns.

Aline Frare disse...

Ai, Elise, como eu chorei lendo o seu post. Realmnete eu tbm queria ter ido com vcs, sabe? Ajudar e ir lá, dar uma mão amiga, conversar, ajudar MESMO! Mas infelizmente iria chorar muito, ou não.. E embarcada, complica. Desço na quinta, e certamente quero muito ajudar e já vou logo procurar um local onde possa fazer uma doação, ou separar coisas. Doar sangue está na lista de afazeres. Adorei o post. Um dos melhores q vc já escreveu :)

um bjo!

Nina Tavares disse...

Elise, tô chorando feito um bebê com esse seu post. Seu no peito uma angústia enorme por não poder ajudar pessoalmente com você fez, arregaçar as mangas e trabalhar por quem precisa. Mas moro no interior de São Paulo, muito longe. Fiz doações em dinheiro, mas parece tão pouco pra quem perdeu tudo.
Saiba que se ante eu te admirava e te achava uma pessoa muito bacana, mesmo sem te conhecer, agora então te acho exemplo.
Parabéns!

Elise Machado disse...

Pois querem saber uma coisa curiosa?
Acabei de ouvir que quem quis ir pra lá foi por causa de EGO, pra poder dizer que foi.
Não é engraçado? Se vc é um filho da puta, reclama - e se vc faz uma coisa desinteressada e que acha maneira, te acusam de querer aparecer;
as pessoas não sabem o que querem e adoram julgar, viu?


Ouvi de um outro que era "contra" as pessoas irem. Não entendo - a pessoa pode não querer ir e tudo bem, mas ser contra?
O que ele tem a ver com a decisão dos outros???

Bia disse...

Olha Elise, tem gente que adora reclamar né...aí quando não tem motivo, inventa! Sinceramente, pra mim pouco me importam os motivos que levaram vocês até lá! Vcs foram, fizeram uma coisa muuuuuito boa, ajudaram uma porrada de gente...num tá bom?

Teylite disse...

Fiquei toda arrepiada lendo este post! Com ctz se morasse perto teria feito o mesmo q vcs fizeram! Eu fico daqui do Nordeste olhando tudo na TV e a vontade que dá é de ajudar mesmo, arregaçar as mangas... pelo menos podemos doar daqui mesmo.

Parabéns pela iniciativa e por compartilhar com a gente aqui do blog!!

bjs

R.Chadud disse...

Parabéns!!!

Daniel Ferrer disse...

Elise, sempre tem gente pra falar todo tipo de coisa. Se a gente faz pelo EGO, então ótimo, responde que pelo menos o nosso ego tá ajudando muita gente, pior quem usa relógio caro, cordão de ouro, carro esporte, afinal esse ego só ajuda a quem vende artigos de luxo, não é verdade? Tomara que outros egocêntricos desesperados por atenção como nós tomem de exemplo e viajem tb até a serra pra aproveitar a chance! Os desabrigados agradecem... ;)

Juh** disse...

Elise me emocionei com seu post, se tivesse condições adoraria ajudar, mas moro no interior de SP e estou desempregada =/
Acho uma atitude linda e muito humana. Nem vou comentar nada sobre essa besta que disse ser "contra" as pessoas irem. Não me conformo com tanta ignorância.
beijos

Mirella disse...

Nossa, Elise, você contando parece coisa de filme!
QUE LEGAL vocês terem ido até lá para ajudar! Nossa, fico muito feliz!! TOda e qualquer ajuda com certeza será MUITO bem-vinda!!
Legal, legal mesmo a iniciativa de vocês!
Você é nosso orgulho!
Beijas

Rick disse...

Esse post só mostra e comprova como o B. e você são pessoas especiais e iluminadas!

Que Deus os abençoe!

Beijas!

Val- Coisas da Val disse...

Parabéns a vc e B. Eu ainda não consigo fazer tanto, mas , como vc mesma disse, ajudo como posso. E gente do contra sempre vai ter. Porém vcs sabem que fizeram a diferença na vida de muitas pessoas. Parabéns , de verdade! Amar ao próximo é isso!

Anônimo disse...

Elise, não é só do Rio. Aqui em Belo Horizonte, tem muita gente doando o que pode.
Espero que um pouco de solidariedade ajude a tristeza de quem perdeu tudo.
Nessas horas, volto a ter esperança na humanidade. Só espero que no final, deixemos a solidariedade viva. Afinal de contas, temos tanto, tanto a agradecer e no mínimo devemos retribuir um pouco.

Greice disse...

Oi Elise!
Parabéns pela iniciativa!
E quero te dizer que essa ajuda não se restringe apenas aos cariocas, nós aqui no Sul, mais precisamente em Porto Alegre, fizemos muitas doações. Tem um pessoal que tá virando a noite nos pavilhões do Cais do Porto para fazer a separação de materiais. Eu doei o que pude, e me inscrevi para ser voluntária lá em Teresópolis. Certamente se cada um fizer um pouco, será uma grande ajuda.
Bjas

Hellen disse...

Olha Elise, desculpa o palavreado, mas que se FODA quem acha que é ego, que é querer aparecer, DANE-SEEEEEEE.
Eu, na sexta-feira logo pela manhã doei sangue. E mobilizei mais duas amigas da minha gerência que foram comigo. E estou organizando em meu curso uma coleta de doações para serem entregues na Cruz Vermelha aqui do Rio e encaminhadas pra lá. Só não fui porque estudo aos sábados o dia inteiro senão teria ido.
E que essas pessoas que te criticam ou têm a coragem de abrir a latrina para falar merd* nunca precisem de ajuda com as que estão lá.

Renata disse...

Maravilhosa a atitude de vcs, parabéns!
Para quem está de longe, resta ajudar mandando o que puder!
beijinhos

Chacrete´s disse...

Elise, eu fui com meu marido no sábado de manhã...fui no mercado e lotei o carro de fraldas, lenço umidecido para bebê, leite em pó, biscoitos e material descartável (copo, prato, talher). Dei preferencia para os artigos de bebê e criança pq eu bem sei o que é perder um filho e ter que enterra-lo. Moro em Niterói e já morei em Terê por 3 anos, conheço bem a cidade e tb não pude ficar em casa , sentada sem fazer alguma coisa. O que mais me deixou impressionada foi a quantidade de donativos que chegavam o tempo todo e gente ajudando. O que eu fiz e o que você fez não é uma ajuda babaca pra se promover ou qq coisa que valha, o que fizemos foi amor ao próximo, nos colocando no lugar deles. Não tenho religião mas acredito no espiritismo e para os espíritas, a lei máxima, a grande ordem do mundo é "Fora da caridade não há salvação" E o que eu entendo por salvação não é essa coisa patética de lugarzinho no céu, e sim se salvar hoje, aqui e agora de um mundo podre de gente sem amor. Grande beijo e muito orgulho de nós.

Maela disse...

Participo de uma casa de ajuda a pessoas com pariliama cerebral, espírita, chamada mensageiors da luz.
E a incasável mantenedora uma vez ne disse que ela faz caridade porque é egoísta.


Como assim?

Fazer o bem me deixa tão realizada, tão feliz, que faço mais por mim do que pelos outros.

Fica a dica para o seu "crítico".

Amei o que vcs fizeram Elise, e sua coragem em incentivar os leitores é fantástica.

Te adoro por isso!

Bjs mil

Juliana disse...

Oin, me emocionei.

Essas coisas me emocionam e nem lembro do quanto você escreveu.

O namorado é do Rio e estamos morando em Ribeirão Preto. Aqui também teve gente morta, desabrigada e tal (claro que numa proporção bem pequena)ajudamos aqui, pq acho meio sem sentido a gente ajudar lá no Rio se a cidade em que moramos está precisando tbm.
Mas ontem fomos no Pão de Açucar deixar algumas coisas pro Rio também.

Sinceramente não te imaginaria fazendo isso, Elise, sério.

Patrícia Nunes disse...

q coisa bao vcs fizeram!

às vezes tô em casa assistindo essas notícias e fico pensando:...estou aqui em casa, aconchegante, quentinha, sequinha, tudo organizado, enqto tem um monte de gente nessa situação....é mto tenso, é desesperador
temos mesmo q ajudar, poiis isso pode acontecer com qq um.

Coisas de Mirela...... disse...

Parabéns pela iniciativa, são atitudes assim q fazem toda a diferença!!

Natália disse...

Elise, leio sempre seu blog e sempre dou mtas risadas ou me identifico com o que vc escreve. Lendo esse post, admito q me vieram lágrimas aos olhos. Estou em São Paulo, onde as chuvas castigaram muitas pessoas também, já estou atras de doações para elas, consegui cadeira de rodas, colchoes, camas, através de uma amiga. Queria ajudar mais, mas fica difícil, estou procurando ajudar da maneira q posso. Fico muito emocionada e feliz em saber que o mundo ainda pode contar com pessoas como vc, seu marido e seus amigos. Parabéns.

Jade disse...

Nossa Elise,fiquei emocionada com o seu relato! Deve ser muito triste perder tudo,e não ter nehuma expectativa de onde vai dormir,onde vai morar,o que vai comer,o que vai vestir....parabéns pela sua iniciativa!

Anônimo disse...

o que adianta ajudar e ficar contando? muito escrota usar isso pra se exibir. aposto que queria só ter a chance de aparecer na televisão e agora poder tirar onda que ajudou

Elise Machado disse...

Muito FODA os outros Estado estarem ajudando tanto tb! Sensacional! :)
Nós vimos!
Chegou lá um grupo de ENFERMEIRAS vindas de Brasília pra ajudar!

Elise Machado disse...

Peeps, sabe o que cortou meu coração e esqueci de contar?
As pessoas se preocupam com os bichinhos! Até os bombeiros salvam os cachorrinhos perdidos ou feridos tb.
E os voluntários cuidam deles :)

Hellen disse...

Anônimo: vai para a casa do KRALHO.

Não tem mais o que fazer? Vai lavar uma roupa, virar uma laje e desencosta espírito mal encarnado.

Hellen disse...

Ah, Elise... Que bom que vc esqueceu de contar.

Pois tenho CERTEZA de que os bombeiros e os voluntários só fazem isso para aparecer no Fantástico e no Domingo Espetacular. LÓGICO.

(Sarcasmo de quem está revoltada com a imbecilidade humana: OFF)

Anônimo disse...

vcs é que são uns trouchas de ser fãs dessa garota. fala sério. esse blog é um tédio, com cara de auto ajuda, chato e essa elisa é uma esnobe que adora aparecer. se toca.

Claudio Barretto disse...

Lembra do que te escrevi? Conscientização não cola - ou a pessoa já tem ou já era. Já há comerciantes cobrando 8 reais numa caixa de velas. Qdo tivemos um caos nos hospitais e o então prefeito (O Nero carioca) rejeitou ajuda dos hospitais de campanha do Exército.
Sempre tem uns fdp nas histórias.

Amanhã é dia de Hemorio ;)
Um lembrete pra quem é do RJ e tb quiser doar sangue - não se esqueçam de verificar antes as instruções pra doação no site do Hemorio.

Muito show a iniciativa de vcs. A única pessoa que certamente se envaideceu com isso foi a Memê ;)

Elise Machado disse...

Normalmente eu só deixo passar anônimos educados. Pode não gostar de mim ou criticar, mas tem que ser educado.

Esse deixei passar porque me diverte, rs.
Sua grafia é interessantíssima, rs.

Chéries, nem percam tempo respondendo. Eu não perco, rs.

Juliana disse...

Gente, podem ajudar os bichinhos também, hein!
Não que as pessoas sejam importantes mas quem ajuda se concentra ans pessoas e esquecem dos bichinhos que não podem entrar nos abrigos e estao vagando, muitas vezes machucados, sem conseguir entender o que está acontecendo!!

Lista de locais e o que os bichinhos precisam: http://www.anda.jor.br/2011/01/15/sos-regiao-serrana-lista-completa-dos-postos-de-arrecadacao-para-ajudar-os-animais/

Hellen disse...

Claudio, eu doei sexta-feira. Fiquei PASSADA de terem dado preferência a filmagem do Pet do que a mim mas, fazer o que né?

Elise, minha flor, veja bem: não respondo para te defender ou porque sou sua fã (o que sou, rsrsrs) mas pelo simples fato de ficar consternada de saber que uma pessoa (?) pode ter tanto desamor no coração e ter a coragem de expor isso assim, em público e na "casa" dos outros, agredindo quem pensa e age diferente, ainda por cima. Fico impressionada e enojada de ver que, enquanto um bichinho dito "irracional" cava desesperadamente por 2 dias na tentativa de desenterrar sua dona, um bichão dito "racional" se dá ao trabalho de: ler seus posts, comentar, agredir e ficar replicando, se achando O certo.
É triste viu?

Renata disse...

peep, parabéns :) temos q fazer o q dá mesmo...

qt ao anônimo, geralmente o melhor é ignorar mesmo mas esse tá mt engraçado...tem gente q é tão burra q não consegue nem disfarçar a triste condição da sua vida medíocre, tadinha da criatura...se incomoda tanto com o sucesso dos outros q se revolta e acha q tds agem exatamente como ela, querendo apenas atenção...cara, aparecer na tv? q merda...sua vida é tão tosca q vc acha q REALMENTE alguém liga de aparecer na tv? q faz alguma diferença?

"troucha" eu seria de perder meu tempo lendo algo q eu não gosto e q não me acrescenta...eu se fosse vc não tava perdendo tempo aqui não, tava planejando algum jeito de aparecer na tv (o q pelo visto pra vc deve ser um MUST, o ponto alto da vida d alguém rs) ou então num psicólogo pq essa carência toda deve ter algum tratamento rs #ficadica

:***

Juliana Resende disse...

Sem palavras pra descrever sua atitude.
Mto bacana, mas mto msmo!!!
Acho que se todas as pessoas deviam ajudar de alguma maneira, sendo indo, sendo doando, seja fazendo oq for!
Acho ridiculo de quem fala que não pode ajudar pois está longe, e mais ridiculo ainda esses que ficam criticando essa sua atitude maravilhosa de poder ir e ajudar.
Sou de BH, não posso ir. Mas mtas roupas já foram separadas pra mandar pra região serrana! Sei que é pouco perto de tantas coisas que a população de lá precisa, mas tenho certeza que irá fazer diferença!

E Elise, esse seu post me fez ver que não sigo seu blog a toa! Vce é realmente uma pessoa mto iluminada!!! =)

Beijos,

Anônimo disse...

Bom dia!

Meu nome é Rodrigo Sá, trabalho no setor de Marketing/Afiliados do site corpoperfeito.com.br, onde sou responsável pelo canal de afiliados o www.parceriaperfeita.com.br.

Estava fazendo uma busca sobre sites com conteúdo referente beleza/saúde e achei o saladamista muito bom, com um ótimo conteúdo.

Gostaria de saber da possibilidade da inserção do saladamista em nosso sistema de afiliados, o www.parceriaperfeita.com.br.

Essa parceria seria no que diz respeito a anúncios de produtos do Corpo Perfeito que tenham relação direta com conteúdo de página.

Aguardo retorno!

Um grande abraço!

Att.
Rodrigo Sá
Marketing - Parceria Perfeita
http://www.parceriaperfeita.com.br
rodrigo.sa@galgrin.com

Mari Paes disse...

Flor, parabéns pela iniciativa de vcs... chorei mto lendo! Fiquei tocada! Moro em SP e estou ajudando como posso... e rezando muito por essas pessoas, pelos voluntários e responsáveis pelos resgates!

Sempre tem gente atirando pedra, independente do quão boa é nossa atitude! Nem leve em consideração... o q conta é sua paz de espírito por ter feito algo tão nobre e o lindo exemplo que vc, o B e os amigos de vcs deram pros seus filhos!

Bjos!!!

Fabi disse...

Bah guria me emocinei com este post... Sempre te achei bacana.. divertida..engradaçada..normalmente dou muita risada dos posts.. mas hj quando acabei de ler estava chorando... muito triste o q aconteceu.. ainda bem q existe pessoas como vcs... q bommmm!!!!


* Quero só dizer uma coisinha... Se as pessoas ñ gostam do teu blog... por q elas leêm?
Aaaaaa vai cata coquinho meu filho... vai fazer algo pelo ´próximo como a Elise fez... fala sério!!

Parabéns Elise

;)

Nads disse...

Que maximo Elise!!
Que orgulhod e voce!!
Aqi na Australia ta todo mundo ajudando Queensland. Rico ,pobre todo mundo junto. Nao tem essa de ego nao... todo mundo quer ver a cidade limpa e organizada de novo. :)

Parabens pra voce. Tai uam "moda" que todo mundo devia copiar. ;)

Nadia

Jussara disse...

Parabéns pela atitude de vocês, Elise! Doar coisas materiais é importante e totalmente válido, afinal todos precisam comer, beber e se vestir. Mas doar o seu tempo e o seu esforço físico é ainda mais recompensador (para quem doa).
E muito bem lembrado que os animais tb precisam de ajuda, vou divulgar.

Mari disse...

Eu chorei lendo... sabe pq ?
Eu não conseguiria Elise... não por falta de amor ou compaixão (pq isso eu tenho de sobra), mas eu ia chorar vendo aquela condição, ia ficar mto mal depois.
Sou muito trouxa por ser assim, mas eu ia constranger as pessoas lá.
Morro de vontade mas não consigo.
Doei roupas, agua e alimentos. Admiro muito vc !!

Um abração

B disse...

Nita,

aproveita e divulga aquele e-mail da Gabi com o que identificamos ser primordial.

Outra coisa: agora, as autoridades estão incentivando que as pessoas realmente subam para ajudar. Precisam de revezamento de voluntários, pois o trabalho está longe de terminar. Deu hoje no Boechat que estão saindo comboios de taxis do RJ para translado gratuito de voluntários que não têm como ir e vir.

Quanto aos anônimos, estou 100% com o Daniel. Incentivo que participem e se aproveitem dos poucos minutos de fama, assim como nós! Viu como você é importante, Elise? Relatar as coisas aqui no seu blog nos deixa fomosos! U-hu! ;-)

NOTA: Em um determinado momento, no Pedrão, a voluntária que organizava as comidas tinha acabado de fazer uma lista com os suprimentos que haviam acabado. Em meio ao caos, o Daniel sacou o I-Phone e postou um vídeo no Facebook com a lista ANTES de qq veículo de mídia. Estava no "olho do furacão" e fez com que as pessoas se mobilizassem para mandar o que era necessário em poucos minutos (como o comboio da LeiSeca que estava saindo do Barrashopping). As pessoas estão FAMINTAS e MORRENDO, mas certamente ele fez isso porque queria aparecer na TV.

Lamentável!

Anônimos, se não querem ajudar o próximo, pelo menos se ajudem e deixem de ser tão patéticos.

B.

Juliana disse...

um amigo tuitou que a torcida do flamengo está se organizando pra subir: TORCIDA URUBUZADA
@ubzoficial

E não interessa se você torce pro 15 de jaú ou pro Flamengo, hein!!!!

Daniely Novo Kamaroff disse...

Querido anônimo jumentino...É ELISE e não ELISA sua besta...
Quanto a iniciativa Filé, FOI FODA, mais uma vez está comprovado que a internet - embora tenha muitos contras - é magnífica, pois uniu todo mundo a favor das vítimas e QUALQUER AJUDA É AJUDA!!!!
Grande beijo
P.S. Anônimo....VAI LAVAR UMA ROUPA!

Dri disse...

Elise,
Nossa, estou toda arrepiada lendo seu post. Pessoas como vc fazem a diferença.Parabéns pela sua atitude :)que bacana e que exemplo para muitos!
Aqui em SP estamos mandando o que podemos e tenho fé que será uma ajuda para todos.
Estou muito abalada com tudo isso, os pais de uma grande amiga nossa perderam tudo e agora estamos nos mobilizando para ajuda-los a diminuir esse sofrimento, por isso fiquei tão tocada com a sua atitude que com certeza vc alegrou todas as pessoas que estavam naquele ginásio.
um beijo
Dri
www.bolsinhadadri.blogspot.com

Van disse...

Elise, B e amigos que foram dar um help...Lindo o q vcs fizeram. Algumas horas q com certeza fez diferença pra mta gente.
Parabéns pela linda atitude!
Bjos

Van

Cibele disse...

Parabéns pela atitude Elise, vcs são prova de que qdo a população se une em torno de uma causa maior as coisas acontecem.
Aqui no norte do Paraná no ano passado passamos por algo parecido, foi dificil, a cidade onde moro não foi atingida mas, as cidades vizinhas ficaram mto destruidas e até agora (1 ano depois) não arrumaram tudo.
Tão importante qto as doações de alimentos que vcs fizeram, foi a doação do tempo, da atenção, parabéns mais vez, já te admirava antes e agora mto mais!
Abraços!

Anny disse...

Elise, parabéns pela atitude e iniciativa!!! Post lindo, o jeito que você escre é maravilhoso.

bjukas

natlhalia disse...

Nao tenho nem o que dizer. Sou de Teresópolis, saí de lá para trabalhar em outra cidade esse ano. Acompanhei tudo por tv, net e telefone. Felizmente minha família está bem e segura, mas a cidade onde cresci e me deu tudo que tenho tornou-se uma lástima. Neste primeiro fim de semana pós tragédia estava trabalhando aqui em SP, só pude mandar $ que pedi para minha família comprar donativos para quem precisa. No próximo estou indo ajudar. Muito obrigado a você e todos os volutários emprenhados em ajudar Terê. Obrigada nao só pelo trabalho, mas pelo carinho e atenção com que tratam a toda população

pat disse...

meu respeito e admiração à vc e seus amigos parabéns pela atitude

Fábio Lima disse...

Oi Elise,
bacana seu post, retratou bem o que vivemos naquele sábado!
Engraçado q o que vc e Bruno sentiram ao ir embora e no dia seguinte eu tbem senti....fiquei pensando em pq eu ainda não tava lá ajudando. Fiquei até me senti culpado em ir a praia pra dar uma relaxada...mas ai resolvi ir, terminei chegando la pelas 15h30..e sabe o que aconteceu ao pisar na areia? começou a chover! E ai tive q voltar! (estranho não?)
O Lance da filmagem tbem...demorei até começar a me sentir a vontade pra filmar...mesmo assim primeiro ajudava, carregava as coisa e conversava com as pessoas e depois discretamente sacava a camera do meu bolso! Pq primeiro pensei q nem o Bruno, pois concordo q ia ter um espirito de porco achndo q tava se aproveitando ou até mesmo pensei em ser disrespeitoso naquela situação ta pensando em gravar...Mas depois minha veia de comunicólogo falou mais alto e achei que era preciso, mesmo fazendo de forma moderada e respeitosa, registrar tudo aquilo que estavasmo passando! Acho q se esse meu vídeo e tudo o que noss grupo fez puder motivar mais uma pessoa que seja...já seria ótimo!

Muita a coisa a ser feita!
Meu feriado vai ser lá...ficarei 3 dias no front! E agora q ja sebemos onde todo o esquema e onde há burocracia, acho q poderemos ajudar mais!

Abs, obrigado!

Anônimo disse...

Elise, parabéns a vcs!
Que lindo gesto!
Bjus!
Rê.

Sam... disse...

Elise!

Tou de volta por aqui rapidinho pra dizer que eu fico emocionada em saber que pessoas de toda parte estão ajudando na tragédia ai no Rio. MAs com força de união o caos vai diminuir. Queria poder colaborar mais do que com doações, com o braço.. mas se cada um fizer o que puder, já é ótimo!

Parabéns pelas várias iniciativas!

Tou com saudade de saladear... mas a mudança de casa não está permitindo. Logo menos tou de volta!

Beijas!

Sam

Jaque disse...

E pensar que a Defesa Civil da minha cidade se prontificou em mandar 5 bombeiros especializadas em resgates desse tipo (são poucos mas ajudam! Tivemos os desastres em 2008, lembra?) e a Defesa Civil do Rio disse que não precisava pois havia gente demais... Isso é o que a própria DC aqui de Jaraguá do Sul está explicando nas rádios para a não ida dos bombeiros e pela não coleta de arrecadações. Sim... Avisaram tb que tem "coisa demais" e que não precisava.
Somos pequenos e poucos, mas passamos pelo mesmo que eles... Claro que não nas mesmas proporções do que esse povo está vivedo... mas ainda temos coração para dividir com os outros o pouco que nos resta.

Solange Carvalho disse...

Elise, nossa!! me emocionei com seu post, admiro sua coragem e iniciativa, já doei bastante coisas, mas ir ao local, só mesmo pessoas de boa índole, bom coração, tem atitude como a sua!!
Já era sua fã, agora então!! sou mais ainda!!rsrs
E vou dizer estes anônimos não vale a pena nem comentar...bjks

Greice disse...

Sendo pra aparecer ou não, o importante é ajudar. E acho legal divulgar, pq assim dá exemplo. Elise, não canso de dizer: Sou tua fã!
Mais uma vez, parabéns pela atitude! Precisamos de mais gente como tu!!

Bjoo

Dani disse...

Chorei lendo o post....
Senti orgulho de ter uma "amiga" q botou a mão na massa. Fiquei triste comigo por não ter feito nada, pelo menos ainda, pq depois de ler seu relato, não posso ficar de braços cruzados!
Parabéns.
Bj

Marina disse...

Elise, que coisa mais linda vocês fizeram. Fiquei arrepiada só de ler seu post. Muita vontade de poder estar ai no Rio pra ajudar in loco também. Vou procurar a cruz vermelha da minha cidade pra ajudar com o que posso urgentemente!
Que bom saber que existem pessoas como você, o B e seus amigos!
Sou fã do seu blog há tempos, mas fiquei ainda mais!
Parabéns! De verdade!
Que Deus ilumine a você e todos os nossos irmãos do Rio!
Beijos mil!

Marina disse...

Elise, só agora li o comentário do B. e queria pedir que, se for possível, você passe pra gente o que vocês notaram que é essencial doar.
Como ele disse, alguns itens já esgotaram e a gente fica meio perdido sem saber o que as pessoas estão precisando com mais urgência.
Aqui em BH, por exemplo, parece que a cruz vermelha não aceita mais doações de roupas porque consideram que já tem o suficiente.
Se você puder passar essa lista, seria ótimo!
Beijos e obrigada!

Yolanda disse...

Elise, acompanho seu blog há tempo, mas sou um pouco tímida pra comentar, então sempre fico na minha. Desta vez, este post não vai passar em branco. Adorei a sua atitude de ir ajudar, de mobilizar os amigos e ainda por cima divulgar o que está acontecendo. Sim, eu sei que a TV e a internet fala a toda hora sobre a região serrana, mas é diferente ver a impressão de alguém que foi lá e realmente transmitiu pra gente o que "sentiu". Fiquei muito feliz em saber que as doações estão chegando! Sou de São Vicente-SP e vou procurar o posto da cruz vermelha pra doar algo! Beijos e obrigada pelas informações!