terça-feira, 11 de janeiro de 2011

CADÊ O CAVALHEIRISMO QUE TAVA AQUI? O GATO COMEU!


O outro post "Venha a nós o vosso reino" me fez pensar.
Onde anda o velho e bom CAVALHEIRISMO?

Sim, porque alguns homens abstraíram completamente o conceito, e de CAVALHEIROS acabaram virando uns belos duns CAVALOS, isso sim, rs.

E não me venha acenar com a bandeira do feminismo, como toureiro empunhando a bandeira vermelha não, pelamor!
Me deixa ser mulher, pombas!
Eu não sei se são as próprias mulheres que se colocaram nuns papéis inatingivelmente auto-suficientes, ou se os homens é que andam muito sem verniz mesmo.

Nego confunde - acha que cavalheirismo tem a ver com abrir porta de carro, trazer flores...
Não que isso não seja legal. Mas se for forçado, fica falso e cafona. É clichê.
Tipo, o cara não abre porta NUNCA, e aí de repente ele tem interesse em você e resolve começar a abrir? Eu dou risada.
Aquele que chega com um buquê de suas flores favoritas (o que mostra atenção e tals) é maravilhoso. Pode ser um raminho de flores azuis colhido no canteiro do prédio dele :)
Mas aquele que quer se exibir trazendo um bando de flores sem sentido em primeiro encontro, porque acha que isso é PRAXE... esquece!
Isso não tem nada a ver com cavalheirismo de verdade.

Cavalheirismo tem a ver com o cara que mostra CUIDADO e ATENÇÃO.
É o cara que se preocupa que a mulher está dirigindo à noite sozinha. Ou com o cansaço dela.
É aquele que é GENTIL em se oferecer para fazer certas coisas.
Porra, é até o cara que dá o lugar pra uma grávida no metrô (coisa que vejo a maioria dos ogros IGNORANDO hoje em dia)

É aquele cara que diz "não levanta isso, é pesado" mesmo sabendo que você pode perfeitamente arrastar o sofá, se quiser, mas vai lá e arrasta pra você.
É o cara que quando você chega numa mesa num restaurante com amigos e não há cadeiras, se prontifica a pegar uma pra você. E não o BABACA que senta logo e deixa a mulher atarantada olhando em volta procurando assento.

Outro dia vi uma cena num barzinho - o cara pediu pra mulher levantar da mesa e ir até o bar pedir uma cerveja pra ele, pois o garçom não estava vindo.
Ela levantou e foi lá. Ele ficou conversando com os outros caras. Depois de meia hora ela volta e estende um chopp pra ele, que vira e diz: "garotinho?? Ah, não dá nem pro cheiro! Volta lá e pede um normal?"
Eu achei que ela fosse tacar o copo na cabeça dele, mas ela se limitou a um fora, rs.

Outra boa: quando eu era garota, acontecia uma coisa muito curiosa com os pais de uma amiguinha minha - era sempre a mãe dela quem dirigia quando eles saíam. Mas não era ÀS VEZES, era SEMPRE. O cara ia lendo o jornal no carona, ou bebendo numa latinha ou fumando (esse não fazia nada da vida), e ela sempre dirigindo pra cima e pra baixo, quantas vezes fosse.
Mesmo sendo pequena, eu achava aquilo tão feio e deselegante!

O cavalheirismo tem aquela coisa galante, sabe?
Aquela coisa elegante masculina, que faz a gente lembrar dos cavaleiros de armadura brilhante das historinhas.
Alguns acham isso idiota. Por que seria??

É idiota ter EDUCAÇÃO?
Eu acho que essas gentilezas com o sexo feminino são o que mantém as adoráveis diferenças entre homens e mulheres.

Se fosse pra sermos todos iguais, e nós não fôssemos pra sermos tratadas com certo zelo e consideração... era melhor que eles começassem a sair logo com os parceiros de pôquer, caceta!

Onde anda então o cavalheirismo?
As mães não estão ensinando mais pro filhos???

38 comentários:

Anônimo disse...

Pois é, há algum tempo atrás aí a mulherada não saiu queimando sutiã, coçando o saco e esmurrando a mesa pra exigir pé de igualdade? Então...
Se é pra ser tudo igual, "tudo camarada", cavalheirismo vira coisa de frutinha.

Cici disse...

Acho que falta um pouco de educação em casa e falta também uma certa cobrança das mulheres. Estamos nos conformando com qualquer um que aparece.
Sorte que eu achei um menino que é um amor, ele faz ABSOLUTAMENTE tudo para me fazer feliz e tem o maior cuidado comigo. Uma vez perguntei (só de brincadeira claro) se ele mataria alguém para mim hahahahahaha.

Lisse disse...

Elise, eu concordo com vc. Desde o post sobre a sua amiga eu estava meio engasgada com isso. Eu tenho 30 anos e nunca encontrei um homem cavalheiro que se preocupasse em abrir a porta do carro (mesmo pq o carro sempre é meu), que ficasse preocupado com o fato de eu pegar estrada de madrugada sozinha, que se preocupasse em dividir uma conta ou me convidar pra um jantar. Mas fico na dúvida se a culpa não é minha, por achar que o homem já é incapaz e tomar as rédeas da situação.

Quarto de Despejo disse...

Não,as mães não ensinam mais para os filhos.
E as mulheres aceitam o que acham pela frente, já que a oferta de seres do sexo masculino que gostem de mulher, e estejam desimpedidos, anda bem escassa.
É lamentável.
Outro dia num almoço na casa de uns amigos do namorado, deu para perceber bem que isso vem de casa.
A dona da casa, do alto dos seus 55 anos, tem um casal de filhos. Os respectivos namorados estavam lá.
Ela recriminou a filha porque ela tinha feito o prato do namorado.
1/2 hora depois recriminou a namorada do filho porque ela NÃO fez o prato do cara. 2 pesos e 2 medidas, e assim caminha a humanidade a provar do seu próprio veneno.

Anny disse...

Dorei o post, CONCORDO plenamente!!! Dá uma sensação de atenção, segurança que não tem preço, aff... Adoro cavalherismo sempre.
bjukas

Nanzica. disse...

Esse post chamou muito minha atenção!! Eu sempre fui feminista ao extremo, mas há uma semana estou namorando um perfeito gentleman! Daqueles que abre a porta do carro (não sempre, obviamente), te puxa pro outro lado da calçada, e te desvia dos cães ferozes que passamos pela rua... o mais engraçado é que ele é três ano mais novo que eu, um moleque ainda e tem atidudes inigualáveis. Só posso agradecer os sogrões, isso sim, por teram criado meu namorado tão bem, terem dado um excelente exemplo e feito ele se tornar oq hoje ele é. O cavalheirismo não morreu ainda, os pais que não andam mais demonstrando pros filhos como um homem de verdade deve agir!!

Claudio Barretto disse...

Elise a resposta está na tua última pergunta. Vou dizer uma coisa que pode gerar conflito. Eu acho que boa parte dos nossos constrangimentos, violências e desrespeitos na vida social advém da ausência das mulheres na criação das crianças.
Essa ideia parece até machista mas não é. Muito pelo contrário, ela é o reconhecimento da importância das mães na formação das pessoas. É com elas que as crianças aprenderão a maioria dos valores humanos. Conforme as criações vem sendo deixadas por conta de terceiros, quartos e quintos as crianças perdem essas referências. Educar e tornar alguém educado não significa apenas deixar na escola; é ensinar, acompanhar, aferir, punir qdo fazem merda ou trazer pro colo qdo se comportam bem.
Sabe, o que mais vejo por aí são mães que temem serem vistas como megeras e por conta disso começam a se entitular AMIGAS dos filhos. Pai e mãe não são amigos dos filhos, são muito mais do que isso, e exatamente por isso precisarão ter maturidade e responsabilidade pelas personalidades que estão ajudando a se formar; inclusive no quesito cavalheirismo.

Maria Eugênia Antello disse...

Perfeito!!! O cavalheirismo anda esquecido e precisa ser lembrado!!!
Vc escreve mtooo bem, com humor e leveza!

Bia disse...

Olha pessoal, achar um cara que faça essas coisas simples do tipo abrir a porta, pegar uma cadeira ou carregar algo pesado é até ok...mas eu acho que o buraco é mais em baixo! Pra mim o pior é entender minhas crises verborrágicas, saber falar de assuntos sérios e não achar que a DR foi criada só pra encher o saco deles!!! Não querido, meu objetivo hoje não é te infernizar, eu só preciso falar o que eu penso, o que eu sinto, eu jogo limpo e não sou louca, descontrolada, mal resolvida por isso...ai desabafei!!!! rsrs

andreia_coutto disse...

Cavalheirismo hoje em dia é coisa rara. Fui criada vendo inúmeras demonstrações do meu avô e pai. Que educação, respeito e preocupação com as mulheres... Sempre admirei!
Meu marido anda sempre correndo na minha frente sem nunca levar em consideração o salto alto e ainda em um dia milagroso que ele foi lavar a louça, tive que ouvir da mãe dele em alto e bom som: NÃO CRIEI MEU FILHO PARA ISSO!
Um horror, né?
Bjas.

Sil disse...

Concordo 100% com o Claudio! E adorei seu texto :)

Beijo!

Jussara disse...

Acho que um pouco é pela criação. E mesmo as mulheres criam os filhos de modo machista, poupando-os e dando tudo na mão, e mandando as filhas para a cozinha e etc. As mães mimam e cercam os marmanjos de cuidado, e eles crescem sem terem aprendido como e o que é ser gentil, crescem acostumados a serem servidos e paparicados, e não o contrário(e muitas mulheres crescem achando que têm que servir o marido - isso existe ainda hoje).
Um exemplo claro é o que a menina do "Quarto de despejo" deu.

Lise, não entendi a cena no bar. Por "ela se limitou a um fora" vc quis dizer que a mulher se sentou e mandou o cara levantar e ir buscar o chopp, ou ela deu meia volta?

Parar para a mulher passar, seja num banco, num corredor ou numa porta tb é gesto raro. Normalmente sou eu quem paro pros cavalões passarem (do contrário, sou "atropelada"), e depois fico com raiva de mim mesma. Que remédio?

Daniel disse...

Claudio perfeito... Mulheres para cuidar do mundo, não só das crianças. Para ter mais paciência com o mundo, para evitar guerras, para dar soluções. E não é jogar contra a classe masculina, mas sim a favor do que é melhor, do que eu acho melhor. E pai também ensina o filho a ser cavalheiro, sendo assim com a mãe tratando as mulheres com respeito, seja a empregada doméstica, a caixa do supermercado, a recepcionista ou a Dona da boutique.

Porém acho que as mulheres estão procurando em lugares errados. É possível sim encontrar homens gentis, cavalheiros e educados. Mas precisa PROCURAR, como precisamos os homens também precisam procurar mulheres interessantes e não QUALQUER BURACO (como muitos colocaram ai).

Somos ensinados (a grande maioria) que o prazer é fulgaz, doutrinados a momentos (quando não segundos) de prazer. E isso pode e DEVE ser diferente, quando encontra-se a mulher certa (e tem muitas, como tambem tem muitos por ai) o cara vai querer ter ELA e só ELA e vai se dedicar, vai se preocupar e vai pensar no bem estar dela, nas ruas, no bar e na cama.

Acho de verdade que o cavalheirismo está ai, mas nao podem deixar a ansiedade e o imediatismo enfraquecer a procura.

Beijos do Saladeto
Daniel

aime disse...

Olha Elise, não sei se eu dei mta sorte... Ou se eu tinha uma postura (na minha adolescencia) de meio impossível, inatingível, auto-suficiente, se vc nao andar nos eixos leva um pé na bunda.... Pq eu qd era adolescente eu era BEM arrogante nesse quesito... MAndava passear sem nem pensar 2x...
MAS, eu acho que um pouco foi sorte... Eu creio que a gnt so pode falar de quem a gnt conhece mais a fundo. No caso meu namorido...
Qd fomos morar juntos, graças à educação bunda que a mãe dele deu pra ele.... Ele era bem folgadinho, nunca foi do tipo que mandava pegar as coisas... Mas nao colaborava... Oras, eu nao como sozinha, entao ajude com a louça, nao sou so eu que uso o banheiro, tomo liquidos em copos, uso roupas... Piso no chão e sento no sofa... Durmo na cama...
Entao eu, depois de ter visto minha mae a vida td virando no jiraya pra deixar a casa imaculada e meu pai sequer tirava uma xicara de cafe da mesa... Resolvi que nao iria ser assim na minha casa.
Entao, qd eu pedia pra fzr as coisas e nao fazia sem ter uma desculpa razoavel eu protestava. Ahhh, nao quer ajudar com a louça, NAO LAVO NADA! Depois de algumas vezes ele ter que lavar as panelas pra poder cozinhar (sim ele cozinha, pq ele gosta) ele começou a dar valor... Hj nao precisa pedir nem implorar. Depois de nao lavar mais copos (kd vez q ele bebia agua era um copo limpo) ele começou a lavar os copos q ele usava e manter o mesmo copo durante o dia. Qd comecei a NAO guardar as roupas limpas dele na gaveta e deixa-las empoeirando por diiiias ele passou a aprender a guardar.. (afinal eu lavo, dobro, faço o resto, custa guardar?)
Hj ele dá valor e AJUDA por livre e espontanea vontade... Hj qd ele vai usar o banheiro q o pai dele e o irmao usam ele passa alcool pra nao usar "sujo" (ensinei ele a depois de fzr xixi, passar um papelzinho pra nao deixar possiveis respingos, e baixar a tampa. AGORA ele acha qm nao faz isso SUJO!)
Acho q as maes de homens acostumam seus filhos praserem apenas filhos, nunca marido/pais....
Falta nas maes um pouco de cuidado, etiqueta...
É feio um homem que come parecendo que vai assassinar um prato. Nao é bichisse é educação!
Nao tenho do q reclamar com relação a convivio social. Ele é super zeloso. SO o convivio limpeza/ajuda q era FODA!

Lidiane disse...

ELISE, CONCORDO PLENAMENTE COM VOCÊ. HOJE OS HOMENS ESTÃO BEM FOLGADOS MESMO, E QUANDO VOCÊ RECLAMA, ELES JOGAM AQUELA, "UÉ VOCÊ NÃO QUERIA DIREITOS IGUAIS, AGORA AGUENTA". MAS EU NÃO FICO QUIETA E SEMPRE LEMBRO MEU MARIDO, ATÉ ELE ENTRAR NA LINHA. ACHO QUE NÃO PODEMOS NOS CONFORMAR COM ISSO. BEIJOS!!

Van disse...

Concordo com o Claudio...Antigamente os filhos eram criados para serem pessoas de bem, hj praticamente são jogados na “selva” e que sobreviva o mais forte, por isso viraram esses ogros que conhecemos.
No meu tempo quem dava educação era a mãe em casa, a gente ia pra escola pra completar essa educação...hj as crianças vão pra escola para serem educadas pelas professoras, sem respeito algum pelo próximo, dizendo na cara dos mestres “sou eu que pago o seu salário”. Como criar cavalheiros se já vem errado de casa? E qdo digo antigamente, é a 20/25 anos atrás, na nossa época e não na de nossos pais.

Meu irmão foi criado pra ser gente de bem, não digo q é um perfeito cavalheiro, mas é um homem de bem...esse negócio de abrir porta, mandar flores não é mto com ele, ele faz de vez em quando (não por pressão ou pra agradar qdo tem interesse, mas qdo ele se sente bem em fazer, qdo é de coração com sinceridade), mas ele se preocupa com a gente, ele cuida da gente, com pequenos gestos como levar carro pra lavar, dirigir a maior parte do tempo em viagens, paga meu almoço qdo saímos juntos e como a namorada dele não é diferente...minha mãe o criou pra tratar a namorada/esposa como trataria sua mãe e sua irmã...se pedir pra tirar a roupa do corpo e dar pra alguém ele faz sem pensar 2x.

Eu, graças a Deus, estou rodeada mais por cavalheiros do que por cavalos, acho que não aceitaria menos do que isso. Quero perto de mim pessoas que tem o msm cuidado comigo que tenho com elas. E nunca fui dada a mtas “frescuritis”, não gosto de receber flores, essas coisas...pra mim cavalheirismo não é só isso, está tbm em pequenos gestos...um telefonema pra saber se está bem, se precisa de uma carona pra facul em um dia de chuva, essas coisas.
Mas sempre tem aquelas que aceitam qquer um, pelo fato de estarem sozinhas ou não se valorizarem como devem, é aquele negócio “já que não tem tu, vai tu msm”, aí só arruma ogro msm.

Bjos

Juliana disse...

Meu namordao era meio como o da Aime, criado pela mae que fazia absolutamente tudo pra ele (afinal ele só casaria com alguem que fizesse o msm) e casou, por 20 anos foi servido pela mulher.

Foi morar sozinho a primeira vez e apanhou horrores, eu ensinei muito pra ele, novos hábitos, e sério é muito dificil e cansativo corrigir hábitos de 45 anos, eu nao sei o que se passava na cabeça da ex dele, que nao dizia que era tenso usar palito na mesa, ngm ensinou ele a lavar louça, nem passar roupa nem nada!!!

Eu estou na casa dele, sem emprego, então em agradecimento eu lavo e passo a roupa dele, e faço outras coisas mais, mas ele continua ajudando, lava as louças das refeições, eu nao gosto de grelhar carne, nem tetinha de frango, entao isso ele quem faz. Minha mae acha um absurdo, mas se eu viajo e ele não conservou a limpeza do apartamento eu nao limpo, ele que pague alguém pra vir limpar.

E isso vem funcionando, nao sei cmo será qdo eu fincar os pés aqui mesmo e estiver trabalhando.

No mais em ser cavalheiro nao tenho do que reclamar, exceto uns acessos de ogrice que faz com que ele quase me derrube pra sair do elevador primeiro.

E nem sei se é cavalheirismo, é educação, e ele é fofo, do tipo que "foda-se se é mulher ou homem, eu vou ajudar!"

As vezes vê algum deficiente na rua com dificuldade, para o carro pra ajudar e tudo.

Jussara disse...

Estão colocando a responsabilidade só nas mãos da mulher/mãe, mas pra que existe o pai? Só pra colaborar com o espermatozóide? Antigamente, quando a mulher não tinha obrigação nem necessidade de trabalhar fora, e vivia 24 horas com o filho, nem por isso criava filhos cavalheiros, pelo contrário, eu acho que antes era pior. So what?
Cavalheirismo é algo que tem a ver com educação e gentileza, duas coisas que devem ser ensinadas ao longo do tempo pela mãe E pelo pai. O pai é o espelho do filho, então...
E outra, estão levando muito pro lado pessoal, mas cavalheirismo de forma geral faz falta.

ni disse...

Engraçado esses broncos que falam "não lutaram pela igualdade, agora aguentem", como se, pasmem, a gente tivesse realmente igualdade!! A igualdade pra eles é só tirar da gente os pequenos agrados e pequenas delicadeza, porque na hora de ir lavar o prato, buscar a cerveja, fazer o prato deles -isso só pra citar o que foi falado no post e nos comentários, a gente que tem que fazer, né?? que igualdade é essa?? Olhem o que essa palavra significa no dicionário, por favor. eu particularmente nao ligo pra isso de homem abrir a porta do carro, encher seu copo na mesa do restaurante quando tá vazio (meu sogro sempre cobra iss do meu noivo que é desligado e eu sinceramente não me importo). Acho tmbém que não adianta ser cavalheiro por interesse, só no começo da relação pra conquistar e comer. Cavalheirismo é ter a atitude quando é necessário, e pra qualquer mulher, namorada, mãe, amiga, irmã, como no caso de carregar os pesos, andar do lado de fora da calçada enquanto ela tá do lado de dentro, dar o assento pra uma grávida ou idosa (só exemplos), porque, queiram ou não, homens e mulheres são sim diferentes, mulher é fisicamente mais fraca, mais vulnerável pra algumas coisas (tipo, vá vc, homem, andar na rua sozinho, não faça a mulher fazer isso). O que não vale é defender essa diferença/igualdade só quando é conveniente. Gentileza também é essencial,mas vale pros dois lados (ex: fazer um chá quando o outro tá doente). Tem homem que nem isso.

Anônimo disse...

Concordo total com o Claúdio. O ser humano é fruto do meio. Se fomos educados convivendo em ambiente onde os pais são educados, é essa a imagem que passaremos aos filhos, além da educação aplicada no dia-a-dia.
O que percebo hoje em dia claramente nos pais é: Educar dá uma preguiiiiiiiiça... Então querem filhos prá quê?
Beijos, Mari.

Juliana Couto disse...

Meu marido é como a aime disse, não lava um copo, mas não se endireitou mesmo depois de varios pedidos!!! Ele diz que: "vc me tirou da casa da minha mãe, se for pra lavar louça prefiro voltar pra lá!" hã como assim? eu que tirei ele da casa da mãe? Acho que é o contrario né? Quando comentamos isso com a mãe dele ela disse: ele realmente nunca lavou louça e minha mãe: minha filha tb não! e ela retrucou: É mas ele é HOMEM! ta aí o erro!!! Porra vai dar em separação então pq eu to acumulada de trabalho e de saco cheio!!!
OBS: usei a louça de exemplo, mas é td, até o lixo de 10 kilos da lixeira externa sou eu que tiro...

Anônimo disse...

Ótimo comentário da Jussara!!!
É só a mãe que educa?? E o pai?

Como a minha mãe me diz há muito tempo:mulher só toma no c* mesmo....

Agora se eles não são mais cavalheiros, é porque a gente não ficou do lado o tempo todo educando!!!
Ah!! por favor!! Tá na hora dos homens reverem seus conceitos!!!

Meu marido teve a mãe em casa sempre, e as ogrices dele, que em parte eu já consegui corrigir, vieram do pai, pois a minha sogra acostumou ele a ter tudo nas mãos.

Renata R. disse...

É chover no molhado dizer que amei esse post?

Soraya disse...

Não, Elise, OS PAIS não estão ensinando cavalherismo para os filhos. Os filhos estão sendo educados, muitas vezes, por pessoas com nível cultural muito abaixo do dos pais ou somente pela escola. Dou aula para crianças e TODOS os pais que chagaram até mim, disseram que estavam levando o filho para aulas de artes marciais porque queriam que ele tivesse mais disciplina, ética, autocontrole e por aí vai. Eu fico pensando se essas não são coisas que NÓS devemos ensinar para NOSSOS filhos... Terceirizá-las, e o cavalheirismo entre elas, não é produzir adultos sobre os quais estamos falando aqui?
Meu marido não "me ajuda" em casa, ele faz a parte dele. Somos dois adultos, que trabalham e que sustentam a mesma casa, nada mais justo que os dois assumam sua manutenção. Não acredito em igualdade porque homens e mulheres são diferentes e isso que nos tornam tão interessantes. Se fôssemos iguais, homens poderiam engravidar e mulheres não teriam 30% menos força muscular. Ah, e não ganharíamos menos trabalhando nos mesmos cargos, né? Sim, isso quer dizer que esses maravilhosos homens devem oferecer os lugares para as grávidas e, pelo menos, se preocupar se suas mulheres (e amigas e parentes, por que não?) estão dirigindo cansadas e sozinhas a noite. Prontofalei!

aime disse...

EU não creio mto que o filho seja EXATAMENTE o reflexo do pai, meu avô é de um jeito, os filhos homens dele de outro...
O meu sogro é de outro....
Eu acho que os filhos, sejam homem ou mulher, sao o reflexo da FAMILIA, na casa da minha sogra as REGRAS sao machistas.... ELA tira a mesa, ELA lava a louça, ELA lava, guarda as roupas, ELA arruma as camas.... ELA limpa a casa sozinha... NUNCA vi meu sogro movendo um músculo pra fzr nada disso... Alias, tirar a mesa eu ja vi.... AGORA sinceramente?
EU acho sim que meu namorado de 27 anos, ou seja, a mae dele nao é nova, ele foi criado pela tia, que tem menos noçao de cultura e coisas do tipo... Ele e o irmao dele desenvolveram inseguranças pq os pais dele nao foram presentes e qd eram nao era uma presença de qualidade, dando apoio, NAO NAO só criticando, dando FALTA de apoio e dizndo q eles nao eram capazes... HJ meu namorado nao liga pra proximidade com a familia dele... AO meu ver a relação entre os 4 nao é mto respeitosa... Embora o meu namorado seja um otimo homem comigo, ele nao eh um otimo filho, unica e exclusivmente pq a mae e o pai dele nunca foram otimos pais...
Eu acho q os pais hj em dia pensam q filho se cria sozinho, depois qd envelhece RECLAMAM q os filhos nao sao OTIMOS filhos. Mas otimos filhos precisam ter OTIMOS pais!!!
FATO.
Se os pais querem um filho que deem atenção, que seja paciente, voluntarioso, converse, se preocupe, queira participar, ELES precisam ensinar isso pro proprio FILHO, sendo assim... PQ é dessa forma q o filho se tornara um bom filho APRENDENDO com o EXEMPLO dos pais!

Juliana disse...

Esse lance de homem bronco e mulher interesseiro.

Tava aqui pensando...
Praticamente desde que o mundo é mundo a maioria esmagadora dos pais fica "escolhendo", pitacando, metendo o bedelho, proibindo os namoros da filha; ainda mais se o pretendente não tiver posição financeira igual ou maior que a dele.
E vira um ciclo vicioso, pai nao quer que a filha case com alguem sem condição financeira e homem que fica xingando mulher que diz nao namorar homem sem carro e grana. E esse cara certamente qdo tiver uma filha vai criar da mesma forma.

Daí esse lance também, da mãe que cria o filho fazendo absolutamente tudo pra ele, ensinando que ele nao precisa ser tão educado com as mulheres e bibibi, e do outro lado as mulheres que reclamam de homem que não zela, não cuida.

É um ciclo vicioso que infelizmente não vai parar.
A diferença, hoje, é que grande parte das mulheres nao ficam mais a bel prazer dos homens, são são submissas.

Caroline® disse...

Nossa, quanta gente inteligente e com conteúdo comentando!!! Adoro isso aqui. Nem sei o que poderia acrescentar. Só gostaria de emendar no comentário da Soraya: realmente, homens e mulheres não são - e nem podem ser- iguais. As primeiras feministas, ao começarem sua revolução, não souberam expressar o que era o seu real desejo, e deu nessa confusão que a gente vive hoje. Nós não queremos igualdade, queremos justiça. Conhecem o conceito de justiça, o que se aprende nas faculdades de direito? Pois justiça é tratar desigualmente os desiguais, na medida em que se desigualam. Cada gênero tem suas peculiaridades, e estas deveriam ser levadas em conta no comportamento.

Elise Machado disse...

Realmente, os comentários estão de primeira linha!
Que orgulho desse povo aqui!

Só tenho a acrescentar o seguinte: concordo com vários aspectos do dito aqui. A maioria.
Mas sou mais simplista - se por um lado acho sim que os meninos precisam de BONS EXEMPLOS em casa, além da orientação da mãe, também acredito que isso não deva ser o fator determinante.

É muito fácil botar a culpa nos pais, na sociedade e nos caralhos a quatro - homens adultos não podem ter desculpa para terem comportamentos inaceitáveis.
Sua mãe te criou errado? Muda. Não usa isso como muleta.

Conheço verdadeiros cavalheiros que são fruto de famílias loucas e desestabilizadas, de pais sem a menor educação e que simplesmente perceberam qual era a forma educada de agir e passaram a agir.
Ponto.

A gente não pode botar a culpa no externo.
Escolhas, peeps, sempre escolhas.

Maela disse...

estou fazendo minha parte, ensino tudo que posso aos meus filhos, já o pai deles está perdido mesmo......

Kátia Pereira disse...

Post bom demais!!!

"As primeiras feministas, ao começarem sua revolução, não souberam expressar o que era o seu real desejo, e deu nessa confusão que a gente vive hoje. Nós não queremos igualdade, queremos justiça." - ASSINO EMBAIXO.
Sempre falo qdo estou de saco cheio, que ninguém perguntou pra mim o que eu achava dessa história de feminismo..ta aí me f....

Não posso reclamar do meu marido, ele abre portas, empurra sofá, pega caixas pesadas..desde o primeiro dia há 6 anos atrás. Dpois que nos casamos algumas coisas foram espontâneas como lavar e guardar louças...algumas eu peço numa boa...outras no stress e ele entende...pelo menos eu acho, e procura não repetir.

E isso é dele mesmo, com todo mundo ele é assim. Minha sogra é daquelas que faz tudo para os filhos e marido e dpois fica reclamando, ate'qdo meu sogro que aposentou dá uma geral na casa, ela arruma uma coisa pra falar (boba mesmo)..nunca vi nada igual do comportamento dele nos meus cunhados. Sorte a minha!!!

Ela já até tentou falar sobre: filho meu não foi criado pra isso. Mas comigo não teve jeito...deixei claro que se eu ficasse em casa o dia todo de pernas pro ar, faria tudo sem reclamar. Mas como ele eu saio cedo, volto tarde e ainda por cima ando de ônibus..Então, nem vem folgando..comigo não.

Acho que o mais foda é esperar cavalheirismo de quem a gente não conhece..e qdo isso acontece dá aquela sensação: é comigo? é pra mim? ele não tá me cantando não, né? kkkkkk
Hoje mesmo no ônibus tentei abrir a janela e não consegui, veio um rapaz do outro lado, pediu licença, perguntou se eu queria abrir toda a janela...abriu e saiu...Pois é, a esperança é a última que morre.

Nossa, chega né...desculpa aí pela redação.
Bjas...

aime disse...

Concordo Elise...
E acho que no caso de mulheres que estão com homens que nao tiveram a criação que NOS desejavamos tanto...
Cabe a ngm mais que nós mostrar pra eles que OGRO bonitinho, só o SHREK... haiahuiauiahai

TUDO é escolha, minha mae nasceu pobre e meus avós não tinham nda, estudo, cultura, etiqueta... ELA achou errado e hj poderia dar aula de etiqueta se quisesse... O padrasto dela veio de Sergipe, sem nada, nem oq comer, é o homem que eu conheço mais atualizado, antenado, culto...
Tudo é escolha. Acho q mts vezes as pessoas veem q tem algo errado, mas estao mei presas no vicio de ser assim, e precisam de um toque, alguem q fle "escuta, vc pode ser diferente"

Vivian disse...

Sempre leio o blog e essa é a primeira vez que comento.

Tbém gosto de homens gentis e concordo que caras que abrem a porta do carro e mandam flores não são gentis e sim cafonas.

Mas uma coisa que eu acho é que não são só os homens que estão esquecendo a gentileza. As mulheres também!

Ou só homem deve ceder seu lugar no metrô? Vejo meninas sentadas nos bancos reservados nem se importarem quando entra uma pessoa idosa. Absurdo.

No trânsito é uma selvageria danada! Homem ou mulher, ninguém quer dar passagem, qdo eu dou, dificilmente a outra pessoa agradece. (só falta rirem da minha cara e gritarem "trouxa!")

E na praça de alimentação do shopping?! Perdi as contas de quantas vezes vi mulheres com suas bolsas e sacolas ocupando uma cadeira enquanto várias pessoas com bandeja na mão estão esperando pra sentar.

Elevador é outro exemplo clássico da falta de gentileza, as pessoas nem esperam quem está dentro sair e já se joga pra dentro! Fora aquele povo que gosta de ficar grudado na porta mesmo que vá descer no último andar e é incapaz de segurar a porta pra alguém.

Concordo que ter que ser a motorista sempre é fogo, mas pior ainda é o cara insistir em dirigir mesmo bêbado!

O que está faltando não são só homens gentis e sim pessoas gentis. Tem muita mulher que reclama dos homens, mas tbém são verdadeiras cavalas, ou são passivas, achando que só os outros devem ser gentis com elas, que elas não precisam ser gentis com ninguém.

Infelizmente no mundo competitivo que vivemos, ser gentil está totalmente fora de moda.

Anônimo disse...

Elise, aplausos de pé pra vc. e pra todas as saladetes dos comentários.
Antes que as feministas de plantão me ataquem, eu fui criada à moda antiga. Sou do tempo que a mulher ficava em casa e o home saía para ganhar o sustento.
Sei que hoje não é bem assim e muitas vezes é a mulher quem banca tudo, e acho que é exatamente por isso que o cavalheirismo e os bons modos, e acima de tudo o companheirismo devem prevalecer. Afinal, hoje as mulheres são independentes, ganham seu dinheiro, mas não se libertaram da jornada dupla. Trabalhar fora (ou mesmo em casa, como você) e ter que dar conta de filhos e serviços domésticos não é brincadeira! Sem cavalheirismo não dá.
Meu namorado é paraibano, machista e conservador. Não traz flores,não é de puxar cadeira, mas é companheiro pra caramba, tudo que é serviço pesado fica para ele, se eu estou sem trabalho ele banca as minhas contas (academia, bugigangas)- e olha que nem morar perto um do outro a gente mora! Fora que me apoia em tudo, mesmo quando tenho ideias meio doidas!!!
Me sinto sortuda por ter uma pessoa assim do meu lado

Daniel disse...

Olha só,

Vou resumir o que disse.
Crianças, meninos e meninas precisam de exemplo. Principalmente em casa, mas precisam de exemplo.
Não adianta colcoar o muleque pra ver besteira na televisão, desenho que o cara tira meleca do nariz, que dá tapão na cabeça do outro. Que zomba das mulheres.

Ele aprende mesmo com os pequenos exemplos.

Dentro de casa idem. E mais do que tudo concordo (mais uma vez com a Elise) que isso não é tudo.

Quando adulto o cara pode imitar o pai que batia na mãe ou querer ser melhor.

Imitar o pai estúpido que espera comida e roupa lavada. Ou ser melhor.

Escolhas são feitas a cada momento. Eu prefiro dar lugar no metrô, prefiro levar a mulher ou pelo menos estar junto (mulheres gostam de dirigir e eu respeito isso).

Não gostaria de que minha namorada/amiga/irmã dirigisse tarde da noite, cansada. Não espero a mulher pedir uma cadeira para o garçon... E se o namorado não vê, não quer dizer que estou dando em cima dela, só quis ser gentil.

Gentileza é confundida com viadagem por alguns garotões ai.

Escrevi isso hoje para uma aMIga que é saladete também:
Então não pare de procurar, não se iluda.
O mundo está cheio de gente interessante.
Não fique com o primeiro livro de capa dura.
Enquanto existem outros tão bons na estante.

Beijos do Saladeto,
Daniel

Soraya disse...

Elise, só para completar o que eu disse: concordo com você e acredito fortemente em EVOLUÇÃO, sabe? As tais escolhas que você comentou... A gente ESCOLHE o que quer ser, direta ou indiretamente. Mas acredito também que a gente só pode escolher entre as opções que conhecemos. Se a mamãe (ou o papai) criou a criatura dizendo que ele é um príncipe e que todas as mulheres deveriam agradecer por merecer sua atençao (não ria, juro que meus ouvidos já sofreram isso), diz se ele tem como pensar diferente até que alguém abra seus olhos ou brote uma consciencia nele? Eu não acredito que as mulherem não podiam votar no Brasil até 1928 (RN começou antes) porque os homens são todos porcos machistas e sauvinistas mas porque, simplesmente, essa era a cultura geral. Daí que algumas pessoas começaram a pensar "e se..." e as coisas foram mudando. A mudança de algo que se aprendeu e tão ou mais difícil do que a preensão do novo. Imagine o que é ensisado por décadas... Não quis dizer que os pais são culpados de toda a falta de cavalheirismo do mundo mas que nós (não tenho e não terei filhos, mas me incluo) estamos fazendo um belo estrago, estamos MESMO... Meu otimismo (sempre!) e minha esperança só se renovam porque encontros blogs com textos e leitores tãpo legais quanto o Salada. Beijos!!!

Jussara disse...

Tb adorei os comentários. Voltei só pra dizer que o "cavaleiros de armadura brilhante das historinhas" me lembrou a Meredith, de Grey's Anatomy, numa vez em que ela disse isso para o Derek.
E só agora fui reparar na foto que ilustra o post. Já conhecia, mas rachei de rir. É bem por aí mesmo.

aime disse...

Quarto de Despejo ->

Agora que tava RElendo seu comentário...
Minha mae é super contra a criação de meninos intocáveis... Mas olha a contradiçao
SEMPRE que eu levava um namorado em casa e ele ia almoçar ou jantar ela falava pra mim "q falta de educação Aime, vc nao vai colocar pra fulano?" E eu falava q nao pq ele tinha mãos e outra, q era chato eu coloco pouco ele quer mais ou eu coloco mto e ele quer menos?
Minha avó pensa a mesma coisa... Q eu tinha que fazer...
Meu avô já acha que eu não tenho não... Pq ele tem que escolher oq ele quer e o q nao.
Ps.: meus pais sao casados há qse 30 anos (minha mae e meu pai tem 48/49) minha mae faz o prato de comida do meu pai tds os dias ate hj!!!!!!

Ana Paula disse...

Ou, pensa comigo. Quem será que tem culpa disso? Hum? Se é que pode ser considerada uma culpa. Nós exigimos sair pra trabalhar. E continuamos a ter filhos. Quem educa nossos filhos? Que tempo resta pra tirar as pecinhas de frente da TV, do computador, do videogame pra saber como foram em suas aulas, em suas brincadeiras em suas rotinas? Homem NUNCA teve talento pra educar nem o estômago deles, imagina pra crianças? Então, se homem já é indelicado por natureza e nós não temos tempo pra agir diferente deles, querendo agilizar nossas vidas e blá, blá, blá, fica difícil querer um gentleman andando por aí, jogando a camisa sobre as poças de lama.