quarta-feira, 10 de outubro de 2007

(UMA PAUSA NO MOMENTO FASHION E LEVE DA VIDA)



Por causa dessa estória toda de BOPE, e do assalto do Luciano Huck (humpf!), muitas pessoas que sabem o que aconteceu conosco há poucos anos me pediram pra contar a estória.
Ah, o capitão Nascimento lá...rrsrsrs

Sei que não é o objetivo aqui, e a maioria até está careca de conhecer essa estória, mas lá vai.

Esse foi o email que eu enviei ao Globo, que virou manchete. Editei, claro, porque estava muito exaltada na ocasião, e assumi pontos de vista meio radicais (como matar todo mundo em retaliação e tal, hehe).

Quem não estiver interessado, é só pular pro próximo post, falou?


"Ok, estamos vivos.

Pra quem não sabe, sobrevivemos a um arrastão. Ou melhor, a uma barbárie ensandecida. Estou puta, nervosa e deprimida, mas como já tive que contar a estória vinte vezes, pq todo mundo ficou preocupado e tal, achei melhor vir aqui e contar de uma vez só, pra todo mundo ficar sabendo, e também pra desabafar, pq se eu ficar pensando mais sobre isso, vou ficar punk das idéias. É incrível como tem coisa pra falar a respeito de um evento que durou no máximo 40 min.

PARTE UM - OU "COMO ESCAPAMOS DE UMA BOA MERDA"

Fomos ao cinema, eu, o marido B, e um casal amigo nosso. Vínhamos da Taquara e quando chegávamos na Ayrton Senna (naquela pontezinha, embaixo do viaduto, saindo da Cidade de Deus), os carros começaram a diminuir na nossa frente e de repente, do nada (a gente vinha distraído, conversando na boa) vímos uma MULTIDÃO invadindo a pista pelo lado, com arma na mão e com pedaços de concreto, soltando rojões no meio dos carros, gritando pra todo mundo parar.

Foi pânico dentro do carro, claro, mas eu não achei que ía ser tão sério, achei q a gente ía ser roubado e fim. Começamos a tentar dar ré desesperadamente mas os carros estavam todos engavetados. Na nossa frente só tinham dois carros; um tentou furar o bloqueio mas foi rendido por um cara armado que entrou no carro e foi embora levando todo mundo dentro. Terror total!

Começaram a avançar no carro da frente, chutando, cercando e gritando, mas só tinha uma garota sozinha, coitada, que foi retirada do carro e apedrejada, enquanto nego levava as coisas dela, até o tênis, e invadia o carro.

Nisso, sinceramente, achei que a gente ia ser morto com certeza, ou pelo menos linchado. Bem antes disso, quando a gente tentava dar ré, mas acabou batendo no carro de trás e na mureta, o nosso amigo gritou pra gente sair do carro, mas a namorada dele só chorava e eu comecei a gritar pra gente não sair.

O B falou pra gente sair depois, quando eles atacavam a menina, mas eu gritei que ele tava maluco, que a gente ía ser depredado. Coitado, ninguém sabia o q fazer. Eu e ele estávamos na frente, e a namorada deitada no banco de trás. O amigo, na primeira vez que falou pra gente sair do carro, desceu e saiu correndo, mandando os carros atrás daram ré, mas a gente só percebeu depois.

Antes deles chegarem no nosso carro me deu uma luz, e eu tirei as carteiras da bolsa, e joguei no chão do carro. Falei pra todo mundo fazer a mesma coisa.... Bom, quando a menina da frente correu e se enfiou em outro carro, eles começaram a vir pra cima da gente.

Sério, de longe nego veio correndo, segurando armas e pedras de concreto (do tamanho de tijolo) e arremessaram no pára-brisa, que só não explodiu no rosto da gente por milagre e por causa do insul-film.

O carro foi cercado (quanta gente tinha? 30, 50 pessoas? É difícil dizer, mas era gente pra caralho), e eles jogavam uma porrada de pedras na gente e chutavam o carro e batiam nos vidros e berravam "Desce! Perdeu" Abre a porta filho-da-puta" Passa a bolsa, passa tudo". Eles abriram a porta do B e a gente começou a dar as coisas, eu passei a bolsa, mas eles gritaram que queriam carteira, e eu no nervoso catei a carteira do B no chão (antes fosse a minha q não tinha nada) e passei pro lado do B. A namorada chorava atrás. Outro "tijolo" acertou de novo o vidro da frente e ele começou a ceder.

Até aí estava uma merda, mas eu ainda estava tentado ficar calma. Não dava pra ver além das janelas por causa das pessoas, mas além da gritaria, eu também ouvia tiros.

Nisso, (eu estava virada pro lado do B, pq a muvuca estava na porta dele) rolou um barulho gigantesco do meu lado, e eu fiquei coberta de vidro. Na mesma hora eu senti meu pescoço ficar dormente, e meus braços e pernas, O CORPO TODO, ficou completamente paralisado e dormente. Eu tombei de lado em cima do colo do B. A primeira coisa que eu pensei, foi que tinha tomado um tiro.

Dizem que a gente não sente dor na hora, nem vê direito o q acontece. Eu queria levantar, ou botar a mão na cabeça pra ver se tinha sangue, ou o q tinha acontecido, mas não conseguia. Comecei a gritar pro B "aconteceu alguma coisa comigo, não consigo me mexer" e a chorar também "B olha meu pescoço, vê o q qconteceu!" O B me vendo com a cabeça cheia de vidro e vendo o ROMBO que destruiu a janela do meu lado, esqueceu os caras do lado e começou a catar no meio do meu cabelo e do vidro pra ver o q tinha acontecido.

O nosso amigo conta q nessa hora, ele que estava vendo de longe o carro e vendo q a gente não saía, achou q a gente tivesse morrido Por sorte, nisso que rolou a pedrada (tijolada de concreto) no meu pescoço, os filhos da puta começaram a se afastar um pouco do carro. O B saiu e gritou pra namorada sair também, deu a volta, me tirou do carro e mandou a gente correr.

Eu comecei a gritar e chorar que não conseguia me mexer, nem sentir nada do pescoço pra baixo, daí o nosso amigo veio correndo, me pegou no colo e correu uns 100 metros comigo. Os caras ainda seguraram o B, gritando pra ele passar as coisas, e ele gritou q tava tudo no carro, que já tinham pego tudo, e o cara gritou "e isso aí na sua mão?" ele viu que estava com o celular na mão e "ah... tá" e passou pra ele. Ele estava com o celular e nem se tocou. Conseguiu fazer graça e ser fofo até nessa hora de merda.

SEGUNDA PARTE- OU "O QUE ROLOU DEPOIS DA MERDA"
Depois q a gente abandonou o carro, eles invadiram, pegaram mais coisa, e de sacanagem bicaram a porra toda e ainda por cima quebraram os faróis. O carro está destruído (esse desgraçado tem mandinga, como diz o B), vidro da frente, lateral, lataria (q podia ter ficado até pior)... O B ficou de longe sofrendo por ver o q estava acontecendo. Eu e a namorada estávamos em choque e menos de 10 minutos depois chegou a polícia (só pra catar os cacos!).

Eu usei colete cervical por 1 mês, e só dormi à base de olcadil."

13 comentários:

Renata disse...

Nossa, que história horrível, credo!!!
Nem sei o que comentar...sem palavras pra essa barbárie!

melindrosas disse...

sou obrigada a dizer q "eles podiam assaltar, levar tudo...sem violência..." Porq hoje em dia ser "apenas" assaltado já é lucro...

e como é...

poxa Elise, nem tenho o que dizer, mó merda isso....fiquei chocada!

KRIKA disse...

Lembro disso sim, que coisa horrível! Eu tava aqui no escritório de manhã lendo O Globo pela Internet e vejo a manchete com uma foto sua. Fiquei chocada na hora. Liguei pro Bruno, nada. Pro seu celular, nada. Mas na época eu não tinha o telefone da casa de vcs e não sabia q os celulares haviam sido roubados. A Terta tb viu e me ligou apavorada. Só mais tarde consegui falar com o Léo e ele me contou tudo, vcs estavam dando uma entrevista para a TV. Fiquei muito bolada no dia.

Drica disse...

que horror! fiquei com os olhos cheios de lágrimas...que coisa mais sinistra....a q ponto chega a violência, a falta de atitude dos governantes e a q ponto chegam as pessoas q por dinheiro perdem toda a noção de humanidade, civilidade, sei lá.... perdem o q as diferencia dos demais animais....o lado racional....sim porque pessoas assim não podem nem ser comparadas com animais, pq estes nao fazem mal a ninguem....que bárbarie, q tristeza, q indignação! Q bom q vcs escaparam com vida disto tudo! Bjs!

Renata disse...

que coisa horrível, elise... eu nem consigo imaginar como é passar por isso...

Dani Claudino disse...

Caraca, eu acabei de ler na revista época uma frase do Luciano Huck sobre esse assalto que ele sofreu e ia fazer um post! Como vc já fez, dou a minha opinião aqui mesmo. Adoro ele. Sou fã de carteirinha, mas ele mandou mal. Muito mal ao escrever essa carta indignado. Quantas e quantas e quantas pessoas não são assaltadas por dia no Brasil e ninguém se mexe? Quantas pessoas trabalham e ganham salário mínimo e são assaltadas?? Muitas! E, infelizmente, se uma dessas pessoas escreve pra Folha, pro Globo ou pra PQP, ou sua carta não seria publicada ou não tomaria a proporção que esta carta dele tomou (vide a da Elise). Humpf! Roubaram seu rolex? Compra outro, meu bem. Não tô dizendo que rico tem mais é que ser assaltado, não. Não é isso! O que eu tô dizendo é que no Brasil TUDO tem 2 pesos e 2 medidas ou melhor cifrões.

Sílvia disse...

Elise, lembro muito bem disso tudo e perdi a conta de quantas vezes expressei meu choque e indignação com isso, pra você e pro B. Inaceitável o que aconteceu com vocês.
Dani, concordo com você que o país tem dois pesos e duas medidas - mas se nego resolvesse se coçar por conta da indignação do Luciano Huck, seria muito bom pra todo mundo que vive no país. A situação está fora de controle há muito tempo, e se agora, que atinge também os antes inatingíveis, alguém fizer alguma coisa, ótimo!

Cinthya Rachel disse...

putz amiga, eu nao sabia dessa historia. graças a Deus que vc se recuperou fisicamente, pq no emocional é fogo. se vc parar pra pensar em tudo que acontece nesse país da vontade de fazer a mala e ir embora sem olhar pra tras. tipo: dessa terra nao levo nem o po! muito triste, muito triste mesmo. adoro vc, beijos

Lolo disse...

Nossa, Elise, que coisa triste! Nossa, que bom que vcs sairam dessa, que tristeza, que horror!

Helen disse...

Que situação horrorosa, elise. Nem respirei quando vc contou o lance do pescoço, achei que fosse tiro tb... Entendo sua revolta. E me revolto tanto quanto você, porque nós somos reféns dessa gente FDP que acha que pode tudo, porque anda em bando. E justifica todo tipo de atrocidade com desigualdade social. No meu mundo, caráter e conta bancária não são valores atrelados. Eu não consigo ser boazinha. Mesmo porque quem foi que disse que a vida é boazinha comigo? Ou com vc? Ou com a moça sozinha no carro da frente? Eu já fui seqüestrada, junto com o honey baby, no ano passado. Você pode imaginar o estrago que isso causou na minha vida, amplificado pelo Pânico do inferno. Fazia mais de dois anos que eu não tinha crises e depois do que aconteceu entrei numa espiral de pânico que foi foda de sair. Pelo menos estamos vivas pra pagar essa conta, né, miga? E ainda temos que agradecer por isso...

beijo!
*faca na caveira!*

Elise disse...

Desculpe ter lembrado a vocês que esse país é um caos.
Beijas carinhosas pra todas.

Faca na caveira!!! rsrsrs

Bruxa das Letras disse...

Eu já fui assaltada 4 vezes e na última por pouco não me violentaram...é deprimente o rumo do Brasil.

Duda disse...

MEU DEUS Lilika akabei de ler esse seu post e senti como se estivesse no meio do babado !!!!!!!
Noossa sem palvras..que horror, que pesadelo,que terror incalculável...
Graças `a Deus vcs escaparam km vida!!!!
Judiura eu tremia soh de ler imagina o qvc passou..
Que coragem de vcs hem garota, ainda conseguiram correr..e a menina sozinha OMG..
Deplorável, lamentável, abominável como as coisas chegaram nesse ponto!
Aff acho q eu vou precisar de ocadil pra dormir hj!
beijos muitos