sexta-feira, 5 de fevereiro de 2010

ESCAPANDO DE UMA BOA

Aconteceu agorinha mesmo! (9:30 da manhã)

Fui a uma reunião em Copacabana. Infelizmente, quando cheguei lá a reunião foi desmarcada, e vim trabalhar aqui no centro até o horário de encontrar meu próximo cliente.

Só que.

Vocês sabem como eu AMO andar na rua, né? Minha fobia anda terrível. Eu fico me sentindo ultra vulnerável. E hoje quase que meus medos se confirmam.

Achei que a maneira mais rápida de chegar ao Centro fosse de metrô, então fui, toda pimpona andando na direção dele.

Montes de gente na rua, eu aproveitando pra observar as pessoas pra ter inspiração pro seriado (que se passa em parte lá, rsrs), quando de repente vejo dois marginais andando na minha direção.

Aí você pergunta: como sabia que eram marginais?!
Ora, chéries. Eu sou carioca. Nada a ver com mero preconceito - eu estou mais do que escaldada.

Eu estou toda arrumadinha, com roupinha executiva hoje. Quando eles me viram, reduziram o passo e cochicharam, que foi o que me alertou. Os dois já quase adultos, 16/17 anos, e muito mal encarados. Eles continuaram na minha direção, mas se afastaram um do outro pra me ladearem, me olhando fixo. A gente sente na hora quando vai ser assaltada. Já passei por isso inúmeras vezes.

Amiguinhos, foi me dando uma coisa, uma angústia (isso tudo em segundos, manja??), que quando eles já estavam quase em cima de mim, um deles já se inclinava na minha direção pra falar alguma coisa, SEI LÁ O QUE ME DEU, eu me fiz de desentendida, olhei ao longe, por cima do ombro do que estava mais próximo e comecei a sorrir e acenar.

Como se tivesse visto alguém. Na hora eles desviaram de mim, e sairam andando bem rápido, e eu apressei o passo e entrei na primeira galeria que vi.

Pode chamar de inspiração divina, presença de espírito, whatever! Só sei que tenho a nítida impressão de ter escapado de uma boa, e não faço ideia de como me ocorreu a reação na hora.

Então fica a dica: se você sentir que vai ser assaltada na rua, finja ver alguém conhecido atrás do assaltante, e acene. Isso desencoraja o cara, porque ele não sabe quem você está vendo, nem quão perto está. E depois, dá no pé! Mas nunca reaja, ok?

Ai, hoje vai ser um DAQUELES dias....

12 comentários:

Thielly Zamorano disse...

ai Elise credow... eu tenho pavor de ser assaltada... até pq as duas vezes q eu fui assaltada me lamberam e eu fiquei traumatizada...
Agora to com fobia de metro, sao paulo tá chovendo tanto e o metro q eu pego é por cima da terra então ele para de funcionar, ai só to chegando em casa lá pras 21 horas, to pensando seriamente em largar o emprego.

Hellen disse...

Menina, já fiz isso uma vez (também já fui assaltada duas vezes mas nunca fui lambida que nem a Thielly, aliás querida, minha solidariedade à você pois isso deve ser pior do que ter uma arma apontada pra cara igual eu tive), só que além de sorrir e acenar, eu gritei um OOOOOOOOIIIII tão grande, alto e feliz que o meliante quase que sai correndo...

Mas, passando para a parte leve do comentário: o final desse seu post me fez lembrar dos pinguins de Madagascar, no final do primeiro filme, na parte em que o "chefe" fala: Sorriam e acenem, sorriam e acenem.

Seria cômico se não fosse trágico essa vida que levamos nessa selva de pedra.

Trabalho aqui no Centro e sei bem o que é ter medo, ainda mais nessas épocas festivas (carnaval, natal, ano-novo) que os pivetes ficam ouriçados.

Graças a Deus nada de ruim te aconteceu.

Nathalia disse...

nossa, elise, que horrror!
olha q eu trabalho aqui no centro, hein...

Ana Barros disse...

Mandou bem, Elise.
Mas não fique encanando com estas coisas, não, senão parece que a gente atrai ! Bjos e não se esqueça de fazer uma oraçãozinha para o seu anjinho de plantão. Bom fim de semana !

Maela disse...

Aqui eu senti o cara andando atrás de mim, chegando bem perto, acho que ele iria pegar minha bolsa, qdo eu de repente entro na loja ( de rua ), o cara estancou na hora e tentou me ver pela vitrine, mas eu conhecia a loja e saí pela outra porta.
Achei uma boa dica a sua.
bom finds

Luciana Leal disse...

Thielly, te lamberam?????

Que horror!!!!

Juh** disse...

Flor, so posso dizer uma coisa!
Deus ta com a gente sempre, MESMO!!!
Que bom que nada ocorreu!
bjus

Priscila disse...

Que horrível! Lambida de ladrãozinho deve ser traumatizante.

Minha mãe sempre falou pra usar esse truque e eu sempre desconfiei da funcionalidade... agora sei que funciona.

Aqui em Sp o Centro tb é lotado de assaltantes, na 25 de março então...tem formigueiro desse tipo de gente. Pra fazer compra lá tem que levar só uma bolsa pequena que precisa ser levada grudada no corpo.

Que bom que está tudo bem agora, não levaram nada e tals.

Bom finde p vc.

Andréa disse...

Aconteceu comigo,num shopping pertinho de casa.
Saí da loja e logo percebi os dois malfeitores no meu cangote.
Fui para a escada rolante e um deles chegou tão perto que deu pra sentir a respiração na minha nuca.
Eles iam fazer um sequestro relâmpago com certeza.
Ai a neurótica aqui não teve dúvida.
Dei um salto na escada rolante pulando uns quatro degraus de uma vez só e saí correndo gritando por um segurança.Gritei mesmo.
Tá,foi mico eu sei,mas me safei de passar horas nas mão daqueles seres das trevas.
Que Deus nos ajude,credo.
Beijas.

Karol B. disse...

Estava a dias sem poder vir aqui ver o Salada, e hoje parei e li tooodos os posts novos!
Que saudade que eu tava da sua maneira incrivel de escrever sobre tudo!
Enfim, graças a Deus, Jeová , Voce mesma ou sei la o que tudo correu bem contigo no fim desse sufoco!
E ja ta anotada a dica, se um dia eu passar por isso farei a louca e sairei acenando pra tudo! ahahah
Beijaaas!

Jussara disse...

Que bom que deu tudo certo no final, Elise, e que vc teve essa baita presença de espírito.

Aninha disse...

Menina, faço isso também rs quando percebo algo estranho, me faço de loka, sou risada pro nada, finjo que tô falando com alguém, parecendo louca rsMas pelo menos dá tudo certo né??
Hoje vim no metrô pro trabalho pensando nos seus textos e rindo rsrs
beijos