sexta-feira, 23 de julho de 2010

O MUNDO TÁ MUITO FODIDO


E aí que uma amiguinha da Memée está BULÍMICA.
Com 12 anos.
É.
Sério.
Me amassa, que eu tou passada também!

E agora?
Já tive que conversar com a criança, explicar tudo e tals.
Mas não queria ter tido, sabe? Egoísmo de mãe - queria ela protegida desse tipo de coisa mais um tempo.
Ela AINDA vai fazer 11 anos, porra, é criança!

Agora me explica? Comé que uma garota de 12 anos, uma pirralha, está vomitando pra emagrecer???
Tá tudo muito fodido mesmo.
Fiquei com um cagaço, sabe? Fiquei me perguntando: será que foi a mãe, que deixou correr solto? (mas é sempre tão cômodo culpar a mãe...)
Foram as companhias, os ambientes?
Foi ela mesma, sozinha, precoce?

Caceta! Com 12 anos eu nem tinha menstruado ainda! Ainda não sabia se olhava os meninos ou se brincava de boneca! (ok, eu não brincava de BONECA, brincava de outras coisas engraçadas, mas você pegou a ideia!)

E agora?
Proibir a criança de andar com a menina?
Coitada da menina - já tem problemas suficientes.
Mas, diabos, não quero minha filha, que brinca de pique-pega presenciando a outra vomitando! (e já aconteceu, olha que merda, e eu só soube depois)
Raiva.
De tudo.
Irracional, da garota, coitada. Que trouxe isso pra dentro do meu universo.
Da sociedade que pode ter tornado isso "maneiro", ou que pressionou tanto que...

Pedi que ela se afastasse um pouco.
Só isso. Nem sei se fiz certo, sabe.
Sei lá.
Nem sei o que pensar, viu?

24 comentários:

Pety Nunes disse...

complicado mesmo

é mto difícil tratar pessoas com disturbíos alimentar....deve haver uma colaboração de psiquiatra junto com nutricionista....elas não costumam aceitar que estão doentes

eu vejo na net que issom é até moda....consideram ana/mia um estilo de vida e não doença...

eu fico com mta pena tanto da pessoa doente qto da família...pois não deve ser fácil vc ver uma filha se recusar à comer, comitar td, se definhar aos poucos e não conseguir convercer a filha que está doente e q precisa comer

"eu confesso q eu já provoquei vômito na tentativa de emagrecer....mas a sensação é tão horrorosa (odeio vomitar)...q desisti por isso....graças à Deus!"

a filha da minha prima, bem pequenininha (uns 5 nanos, eu acho), já falava algo, tipo: não vou comer isso pq engorda...uma vez ouvi ela dizendo q não ia tomar suco de kiwi pq engorda
Eu até suspeito de q a mãe dela (minha prima) tem algum disturbío alimentar...ela já falou q come q come vômita involuntariamente e disse q come pouco pq não consegue comer.

Mariela disse...

11 anos??? Caramba! Eu tenho uma sobrinha de 6 anos que falou que esta de Regime tbm, ve se pode! é bom ficar de olho .

Francielle disse...

Elise, não sou mãe, mas acredito que talvez até que seja bom ter acontecido isto, pense pelo lado positivo, vc pode conversar com a tua filha sobre a situação.
Sabemos que as crianças andam amadurecendo mais cedo nestes tempos... É melhor pecar por excesso de informação, do que pecar por falta, enfim, é o que eu penso...
ps.: coitada desta menina!

bjs

ni disse...

Você tem uma filha de quase 11 anos??? Pariu com que idade, 10?? :O

ni disse...

Ah sim, e é difícil sua situação mesmo. Ao mesmo tempo que vc quer proteger sua filha, é meio duro pedir pra ela se afastar da menina, digo isso porque sofri nessa mesma idade de pessoas se afastando de mim (não era bulímica) sem motivo aparente e sofria muito com isso... mas também sua filha ainda é jovem demais pra ter discernimento do tipo "seja amiga dela mas não faça o que ela faz".

Elise Machado disse...

ni, ganhei o dia!!! rsrs
Ela tem quase 11, eu tenho 34.... engravidei aos 23.
Tem foto minha com ela em post logo atrás, do final de semana passado, nós duas de caipira...
Mas adorei a surpresa :)

Fer disse...

acho difícil a situação, mas está sim cada dia mais comum com 12, 11 anos as meninas quererem o corpo perfeito e por isso entrarem nesse mundo.
Com todo o acesso à internet e, sendo bem simplista, a exposição que acontece da magreza levando ao status e ao dinheiro e ao melhor na televisão, elas vão atrás disso.

Não sei julgar se o que você fez foi certo ou errado, não sou mãe e acho que enquanto não passar por isso não vou saber o que faria.

Mas essa menina devia ser afastada pelos próprios pais, penso eu, para un tratamento sério.

Ariane disse...

Lise, por mais que eu saiba que isso vem acontecendo cada vez mais com crianças ainda fico chocada!
Sem palavras!

Não saberia nem o que dizer pra uma filha (quando tiver) nesse caso!

Licele Faial disse...

É difícil mesmo saber como agir numa situação dessas. Mas talvez a menina precise de apoio, de amigos, e se as pessoas começarem a se afastar, pode acabar piorando tudo.
Não to criticando sua atitude, Elise, vc é mãe, vc sabe o que é melhor pra sua filha. Mas a Aimée é tão inteligente, tão esperta e tem pais tão maravilhosos, que acho difícil ela entrar numa dessas.

Mas de qualquer forma, tome um tempo pra pensar e avaliar direito o que é melhor (pra Aimée em primeiro lugar, claro). Tenho certeza que vc vai encontrar uma saída.

E qualquer coisa, estamos todos aqui pra te dar apoio!

Beijos!

Sam... disse...

Informação demais com orientação de menos... é mais ou menos essa a equação pra acontecer isso ai... orienta a memmé e torce pra dar certo que é tudo q vc pode fazer... E aparentemente é o que vc faz!

Beijas e relaxa!

Camila disse...

Oi Elise! Vi a chamada desse post no Facebook e vim aqui ler... Nossa, tô chocada!!!

Poxa, o que aconteceu com as crianças taradas por balas juquinha e que corriam atrás de brigadeiro nas festas?

E o pior, vc sabe que anorexia e bulimia não tem cura, né? Essa menina vai viver o resto da vida assim... O acompanhamento psicológico ajuda, mas é uma doença tipo alcoolismo - a pessoa tem que viver eternamente vigilante... Tadinha, tadinha mesmo...

Fiquei curiosa. Ao menos a menina é gordinha?

Beijas!!!

Anônimo disse...

Elise, muito preocupante isso.
Olha, Eu não sou mãe, mas não creio que afastar a sua filha da amiguinha seja a forma correta de "protege-la". Vc deveria "orientá-la". Acho que afastando, indiretamente,tu passa prá sua filha que a amiguinha faz algo errado e não é isso. Vc deveria explicar que a amiguinha está doente e tal.
Na minha opinião a gente cria filhos pro Mundo e esse infelizmente, é o mundo que temos à apresentá-los no momento.
Quantas coisas a Memê ainda irá vivenciar? Isso é só o começo.
Amor, verdade e principalmente,diálogo em família são fundamentais para a formação do indivíduo seguro.
Um beijo e boa sorte.
Mari.

Juliana disse...

Ai fiz um comentário e deu erro, se não aparecer tento lembrar do que escrevi.

Elise Machado disse...

Peeps, respondendo a todo mundo junto, ok?

- eu conversei com a Memé e orientei, ela já entendeu tudo. Em nenhum momento dei a entender que era feio ou errado. Falei que era uma doença, e que era pra ela apoiar a menina. Mas, convenhamos - ela não tem nem 11 anos ainda! Não posso esperar grandes maturidades dela.

- eu não tenho medo do exemplo influenciar a Memée; a gente tem que educar e confiar na educação que deu. Só não quero ela exposta a uma coisa que não faz parte do universo etário dela no momento (seria diferente se ela fosse adolescente)

- eu não proibi ela de andar com a menina, só pedi pra não ficar em cima, pois não quero que ela vivencie esse drama, nem presencie sessão vômito, pelamor! A garota tá achando que é onda comer na frente dos amigos e depois ir vomitar.

- a mãe da menina sabe, e até onde sei, não faz nada, ou acha nada demais

- a menina não é gorda; é esquelética

- eu já não gostava muito dessa menina antes disso, por "N" motivos, então por mais que esteja com pena, não consigo levar tão na boa

É isso.

Juliana disse...

Vou tentar de novo rs.

Então, Elise, não sei se vc já viu o documentário do Discovery Home and Health "8 anos e Anoréxica".

É de partir o coração.

O que vc pode fazer é continuar com esse elacionamento legal que você tem com a Memée e fica de olho.

Infelizmente pode influenciar sim, não pq a menininha é uma bitch, é sem querer mesmo; mas quanto mais sua criança estiver orientada em relação a isso, menos risco corre.

Anônimo disse...

É muito triste, e acho mais triste porque se isso acontece os valores das pessoas estão errados. Por que uma menina de 12 anos quer tanto ficar magra?? O que ela sabe sobre ser magra?? Infelizmente magreza é sinonimo de riqueza, beleza etc ..

Eu fico profundamente triste porque sempre sofri por ser a maior da minha turma de amigas, a mais alta, a mais encorpada (não era gorda) e por isso sempre me escondi em roupas largas e camisetas.
Só fui usar uma blusinha (tipo baby look) aos 17 anos depois de ter um início de anerexia (emagreci 18 kilos em menos de 1mes), comia no almoço repolho refogado e na janta alface (isso mesmo, as vezes trocava por tomate).
......

Anônimo disse...

Não preciso nem dizer que apesar de pesar 59 kilos com 1,72 (sou do tipo grandona) me achava gorda e horrível. Quem está doença não enxerga mais nada e não é feliz, eu era mto melancólia, li esses dias meu diário da época, noooooossa como eu sofria!!!
Minhas amigas da escola me contam (escola pq isso aconteceu comigo qdo tinha 16 anos depois de um namorado me deixar e eu achar que era pq era gorda)que elas chupavam bala e me ofereciam. Respondia na hora que aquela bala equivalia a meia maça, uma bolacha e etc ... ou seja, eu só vivia isso!!! além de fazer 2h30min de caminhada TODOS os dias.
.....

Anônimo disse...

Infelizmente por causa da desnutrição daquele período eu nao lembro de nada, minhas amigas contam coisas que eu não lembro, mas eu estava junto com elas. Isso é muito triste, perdi lembranças da minha adolescenia porque resolvi ser magra a qquer custo.
Nuna esqueço que minha mãe desesperada um dia me disse: filha você vai morrer desse jeito!!! REspondi: Se eu morrer magra tá bom!!! E respondi sésrio.
Gente, eu tinha 17 anos, como assim, se for morrer magra tá bom???!!!!
Não consigo não chorar quando lembro disso e principalmente quando lembro que deixei de ser eu pra ser alguma coisa magra, sem vida, sem alegria e sem memória.
Depois disso, tive compulsão alimentar, comia, comia, comia, comia muuuuuiiiiito, a ponto de vomitar (não de forma intencional) porque o organismo não suportava tudo aquilo. Engordei 12 kilos em 2 semanas. Mas tenhp sequelas até hoje dessa loucura. Não digiro bem vários alimentos, desenvolvi hiperidorse nas axilas (não tinha antes) e o pior de tudo, perdi lembranças de momentos muito divertidos pelo que minhas amigas contam.
Como eu disse, quem sofre de transtorno alimentar não vê outra coisa na vida, tudo que pensa é como emagrecer, calcula calorias que vai ingerir, calorias que vai perder, por isso o tratamento é muito difícil.
O ideal é não entrar nessa "coisa", porque só consigo perceber a cagada que fiz hoje, com 28 anos e com a ajuda do noivo que me mostrou quão linda eu sou por ser "grandona".
Eu seria egoísta como você está sendo Saladera e pediria sim para minha filha se afastar. Minhas amigas não se afastaram de mim, eu me afastei delas porque meu mundo era outro (mas tinhamos 16 anos). Mas quanto mais longe se estiver disso, melhor.
Bjs

Ana Cristina (chorando) Curitiba

Luciana disse...

Uau, que história, tenho uma filha de 9 anos e fiquei pensando nisso tudo, realmente acho que "nós" sociedade temos culpa sim, todo mundo quer ficar magro minha gente, é muita loucura pra cabeças das crianças, as vezes sem querer(querendo) acabamos impondo que ser magro é saudável, é bonito, sei lá, acho que quem tem que ir pra psicólogos somos nós...

Anônimo disse...

ai peep, q situação complicada...eu entendi 100% o q vc disse, tenho uma irmã mais nova, de 14 anos, meio inocentona ainda e umas amiguinhas de 12 DOZE! já começaram a dar loucamente por aí...beber etc...realmente dá vontade de "proteger" dessas coisas pq eu acho meio underground, na boa...como ela é mais velha, ela própria se afastou das meninas em questão...mas eu e minha mãe ficamos horrorizadas qd ela apareceu e contou...é fogo

essas meninas q desde mt novas ficam nessa nóia é pq as mães são assim...a mãe duma coleguinha dela q tb tá com 12, desde q tem 6 a gente escuta a mãe GRITAR com a menina td vez q ela come bolo ou qqr coisa q "engorde"...detalhe, a menina sempre foi até um pouco mais magra q a média, e linda ._. é uma pena mesmo q tenha tanta mãe louca no mundo, depois os filhos crescem problemáticos e ficam pagando psicólogo pra ver se resolve como a conhecida citada...acaba com o psicológico da menina, estabelece restrições absurdas pra uma criança, submete ela a stress gratuito aí depois paga a psicóloga mais cara da cidade e acha q vai resolver...vai se foder, né? =/ fico morta de pena

ni disse...

Na minha época de 12 anos ninguém queria ser magrela, será que isso mudou?

Doutora Foligata disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Doutora Foligata disse...

Elise, eu entendí o quê vc quer dizer com " o mundo tá fodido".
Pomba... com 11 anos ... no curso natural da vida da minha filha, eu queria estar explicando a ela que , talvez, ela pudesse usar mais prendedores coloridos no cabelo e colocar um vestido, ao invés de querer sair com aquele tênis sujo de jogar taco na rua.
Menina nessa idade tem aquele jeito de ser moleca, e eu, como mãe, estaria mostrando a ela que ela não é exatamente um menino ... estariamos juntas descobrindo a feminilidade e a vaidade de uma garotinha que começa a transição para a puberdade.
Daí essa filha taçaria todo dia sem eu ver o armário de doces e eu ficaria de olho para ver se ela não abusa ... de olho de longe ... porque EU sei que ela entrará numa fase de mudanças corporais..ela não precisa sentir essa pressão. Seria o meu papel de mãe.
E eu continuaria a comprar essa minha filhota com guloseimas cada vez que ela fizesse algo bacana.
Enfim ... uma coisa normal e gostosa de viver.
Aos 11 anos vc ser apresentada a disturbios tão sérios é algo que a gente naum "sonha" para uma filha.
Maldita evolução dos tempos.
Alguém pode fazer parar??
Posso colocar meus filhos numa bolha??
Por essas e outras que ainda não tive coragem para ter os meus. Covardia eu sei, mas de verdade o mundo tá moooito fodido mesmo.

Maela disse...

Na escola do Thi, tem 6 alunos sendo 5 meninas e 1 menino com distúrbios alimentares ( bulimia e anorexia ), sendo 3 crianças menores de 12 anos e o restante do colegial.
Eu fiquei assustada! Conversei com os meninos.