segunda-feira, 11 de abril de 2011

DESAPRENDENDO O ÓDIO


Das coisas que minha mãe me ensinou.
Talvez sem querer.

Quando eu era criança, eu ouvia muito a frase "não diga ' eu odeio" - é muito forte. Diga detesto, tenho raiva, não gosto. Odiar é muito pesado".
Sempre que eu tinha muito ódio, fosse de uma coisa séria, fosse de uma coisa simples, do dia a dia, e esbravejava que odiava assim e assado, minha mãe me chamava a atenção, com sua tranquilidade.

Incorporou.
Eu achava mesmo que odiar era uma espécie de tabu.
Era uma coisa pesada, perigosa e sem volta.
Então me policiava pra não vomitar ódio à toa.
E acho que no fundo a gente internaliza essas coisas faladas.
Acabou sendo magnífico me controlar pra não odiar.

Raiva, frustração, ficar puta da vida, detestar - tá valendo.
Mas quase nada vale o meu ódio.

Porque veja, a raiva é maravilhosa.
É a mola que te impulsiona às vezes. Te irrita,  te cutuca, te obriga a reagir.
É a explosão, a catarse.
Desgostar também faz parte; exercita o seu poder de dizer "não", exercita a sua individualidade, o seu direito de não concordar e não fazer parte.

Mas o ódio.... não há nada de construtivo no ódio.
Ele é irracional.
Te cega.
Te obriga a fazer coisas fora do seu comum.

Não odiar é uma ferramenta poderosa - não te impede de sofrer, de ter raiva, de não gostar.... mas não te incapacita.
Esse esforço em não odiar, ao longo dos anos, faz com que mesmo esses sentimentos negativos não te abalem tanto.
As coisas não te atingem tanto. Como se fosse uma couraça - as ondas de ódio chegam já meio brandas até você.

Não que você seja imune a ele - ninguém é santo. Nem aspirante a Madre Teresa de Calcutá.
Mas nossos ódios ficam mais seletivos, mais conscientes.
Até porque odiar é desgastante. Demanda um gasto de energia incrível.
É um desperdício.
E envenena, consome.

Então fico feliz de ter ouvido a vida toda que não era pra dizer isso.
Mesmo que minha mãe seguisse somente seu instinto nessa orientação.

E me pego repetindo pra minha filha, nos seus rompantes: "não diga que odeia, diga somente que não gosta"

13 comentários:

Helen disse...

Minha mãe me diz, até hoje, isso!

Incorporou também... Várias vezes me pego,no meio de uma conversa, dizendo que odiar é demais, que não gostar já é suficiente...

Beija pra vocÊ, o blog tá cada vez melhor!

Anônimo disse...

Perfeito!

Catarina Wolf disse...

Perfeito! [2]

Michelle disse...

Chérie, minha mãe sempre falou e continua falando a mesma coisa. Perfeito!

Carol Monteiro disse...

Minha mãe vive falando isso pra mim ainda... rs... Não que eu goste de odiar a tudo e a todos, mas eu sou um ser estressado por natureza e assim fica fácil dizer eu odeio, mas no fundo no fundo eu deveria estar dizendo estas outras coisas ai! Que Raiva! hehehe...bjoo

Anônimo disse...

Ah, eu discordo! Acho que falar "eu ODEIO" desabafa mais que falar "eu tenho raiva de" o "eu não gosto de"... claro que o ódio propriamente dito é muito difícil de sentir (ainda bem), e fala-se "eu odeio" pra qualquer coisa, até pra criticar uma combinação de roupa. É que nem xingar, você bate o dedinho do pé na quina da parede, vai xingar "Que saco!!!" ou "Parede babaca!"? Não, vai xingar Caralh*, FDP, etc. Desabafa!!

ni

Anônimo disse...

Ah, mas vc tá no papel de mãe que fica regulando o que filho pode falar, normal! hehe
mas acho que se eu tô numa roda e falo "Ai, odeio essa música" e alguém vem me dizer "não fale 'odeio', fale 'não gosto'" eu vou fuzilar a pessoa com o olhar. aff

ni

Elise Machado disse...

Não ni. Na verdade eu tb falo a torto e a direito hoje em dia "eu odeio".
Só não SINTO de verdade.
Não falar, ou ter cuidado ao falar enquanto estava crescendo tirou o poder da frase.

Hoje eu digo, e com certeza não estou odiando de verdade ;)

Maela disse...

Eu digo exatamente o mesmo aos meus filhos ( e tb não odeio ).

Aliás, quando surgiram as comunidades no orkut ( eu odeio o Belo - por ex. ) eu não consegui entrar em nenhuma delas... pq odiar é tão... contrário de amor!

Anônimo disse...

odiar faz mal a saúde, mas mesmo assim odeio algo ou alguém.

Aime Chiquini disse...

Eu FALO mtooooooooooo
Mas nao sinto de verdade.
É simplesmente o calor da emoção!
Culpa de quem tb? Da mamis!rs

Anny disse...

Magnífico!!!!!

Patrícia Nunes disse...

fofoca:
achei um outro blog com o nome de salada mista:
http://saladamista2.blogspot.com/2011/04/sorteio-kit-unhas-merheje.html