terça-feira, 10 de novembro de 2009

HÁ POUCO MAIS DE 10 ANOS.....


Senta que vem história comprida.

Eu fiquei grávida sem querer aos 23 anos. E fiquei completamente perdida.
A verdade, é que eu não tinha nenhuma desculpa plausível para ter engravidado - sempre tive muita informação, e sou do tipo controlador, como vcs bem sabem. Pedi à minha mãe para me levar ao médico para tomar pílula aos 16, mesmo virgem, só para prevenir. Nunca fui de esquecer; e esquecendo, me prevenia tb.

Confesso: na minha cabeça, essas meninas que viviam achando que poderiam estar grávidas, ou que engravidavam sem planejamento, sem querer, eram umas retardadas. Ou perdedoras totais. Ou estavam dando o golpe.
Paguei a língua.

Eu juro que não sabia que se engravidava menstruada. Fui pega totalmente de surpresa.
E fiquei com tanta vergonha, tão passada, que nem contar eu conseguia. Pra minha mãe foi pior - não que ela não tivesse sido ABSOLUTAMENTE compreensiva desde o primeiro minuto. Mas por causa de vergonha da mancada mesmo, sabe? Como eu, tão metida a inteligente, tão cheia de planos, tinha caído numa dessas?!

O momento não poderia ser menos propício - nós namorávamos há 2 anos, mas só queríamos saber de gandaia. Duas crianças. Os dois faziam faculdade, eram duros; eu vivia de mesada, ele tinha acabado de montar uma empresa com o amigo. No sótão. Com computadores velhos, rsrsr.
Casar, bebê.... nada disso passava na nossa cabeça, nem remotamente.

(tou tentando resumir, mas tá difícil, rsrs)

Nunca passou pela minha cabeça não ficar com o bebê. Desde o primeiro segundo, ele era meu. O que me surpreendeu tb demais. Eu era - dentre todas as minhas amigas - a menos materna. A que demoraria mais a casar e ter filhos. A que se achava "A" rebelde, independente. Tatuada. Enfim.

Eu era tão boba, tão romântica e cheia de princípios, tão estóica....
A idéia do B se sentir obrigado a alguma coisa, me dava arrepios. Então fui contar para ele de um jeito que quase nocauteou ele: EU PRATICAMENTE TERMINEI COM ELE.
Disse que estava grávida, que iria assumir o bebê, e que não esperava nada dele. Que ele não se sentisse obrigado a nada. E que ficasse à vontade para participar da maneira que achasse melhor: totalmente, um pouco, ou nada.

Vocês não imaginam como é a expressão de um cara, aos 23, prestes a infartar, rsrs.

Ele foi me deixar em casa (com meu carro, rsrs), e resolveu ir andando para casa dele. Só que eu morava na Freguesia-quase-Anil, e ele na Taquara-quase-Boiúna. Pra quem não é do Rio - longe pra caralho pra ir andando!
Eu ofereci meu carro; que ele trouxesse depois - ele não quis. Eu ofereci grana a ele (eu tinha mais nessa época, minha mesada era mais gorda), pra ele ir de táxi, ou pegar um ônibus.
Ele me olhou bem profundamente, em choque ainda, e disse que não queria ter um tostão no bolso, senão entraria no primeiro boteco, e beberia até desmaiar.

Ele foi andando, e chorando. Demorou umas, sei lá, 3 horas.
Era de madrugada, mas tocou na casa do amigo de infância, hoje padrinho da Aimée. E conversaram longamente.

E esse foi talvez um dos últimos momentos de dúvida de ambos.
Ele, como bom moço, sugeriu casamento.
Eu, como boa maluca, recusei.
Que ele casasse comigo depois, um dia. Se realmente quisesse. Não por causa de filho.
Assim foi feito - casamos dois anos depois, e ela foi nossa daminha.

E nós não fomos casal margarina não (como diz a comadre Dani) - ele "se mudou" pro meu quarto na casa da minha mãe até a Memée nascer e fazer 6 meses, no aperto.
Nosso chá de fraldas foi um churrasco onde ganhamos tudo - presentes, fraldas, comida e bebida, rsrs. Éramos duros de marré de sí!

Mudamos pra um apartamentinho- ovo, com ajuda das famílias. Ganhamos montes de coisas de segunda mão. Eu lavava roupa na casa da minha mãe. A gente dormiu em colchonete no chão por um ano, rsrs.

Discutimos um sem número de vezes.

Com ela bem pequena, começamos a abrir caminho- largamos as faculdades e fomos à luta. Eu trabalhei em lugares engraçados - de vendedora de loja a atendente de telemarketing. O B tinha dias que nem vía a criança, de tão tarde chegava. Eu cheguei ao cúmulo de trabalhar no turno da madrugada.
Nossos amigos foram incríveis. Ajudavam, faziam as bagunças na nossa casa, porque não podíamos sair. Nos davam um sem fim de coisas.
As famílias tb. Nos sustentaram por muito tempo. Ficavam com a pequena quando os arruaceiros aqui queriam vadiar.

Quando a criança nasceu, eu olhava pra ela e me perguntava" e agora, José?!". Cadê o manual? Cadê o botão de desliga? Não fazia nem vaga idéia do que fazer. Mas tinha opiniões fortes a respeito, rsrs.
Aimée era linda desde o primeiro segundo fora da barriga (ok, mãe suspeita, rsrs).
O parto foi tranquilo, com mais de 50 pessoas na maternidade - parecia até coletiva de imprensa!! rsrs. Meu quarto foi "invadido" logo que voltei para ele. Eu adorava!

Para desespero dos "mais velhos", levávamos ela para todo lugar, porque nossa vida social sempre foi bem intensa, e a gente não queria perder nada. Éramos tão crianças....
Eu enlouquecia todo mundo, amamentando e andando ao mesmo tempo. Dando de mamar em qualquer lugar, na frente de qualquer um. Parecia uma índia, rsrs.
Para mim, peito é pra dar de mamar - tem que ser muito doente pra ficar olhando com maldade.
Eu nem ligava de chocar. Não gostou, supera.

Eu fiz um monte de merda. Nossa! Um monte.
Mas sempre digo que devemos ter feito alguma coisa muito certa também. A criança é incrível: bem ajustada, educada, inteligente, engraçada, e tem um coração enorme.
O mérito é dela mesma, é claro. (mas gosto de pensar que tivemos alguma coisa a ver com isso tb, rsrs).

A gente trocou papéis um monte de vezes - ela "se criou" sozinha em muitas ocasiões. Eu contei até 10 inúmeras outras, pra não tacar ela na parede, rsrs. Eu perdi muito a paciência, só pra morrer de remorso depois.
Mas sobrevivemos uns aos outros - ela a nós, nós a ela e ambos à nossa inexperiência.

Torceram mooontes de nariz pra gente. Eu perdôo - afinal, quais as chances de um negócio que começou assim dar certo, né? Mas eu tenho MUITO ORGULHO da nossa história, e não me envergonho de assumir.

Ela não vai ler o post; é muito adulto.
Mas o aniversário dela hoje trouxe todas essas memórias.

E me lembrou como eu a amo doidamente.

Que ela tenha um dia lindo, e seja a pessoinha mais feliz do mundo.

E vamos parar por aqui, que mamãe não é de ferro, e está se acabando de chorar.

48 comentários:

Andréa disse...

Aconteceu extamente assim comigo.
Eu me achava a tal tbm,espertíssima,cheia do rebolado para me safar de situações perigosas e qdo me dou conta,grávida aos 18 nos e o namorado com 21.
Resolvemos casar e as pessoas diziam que duraria 6 meses.
Estamos aqui,meu filho fez 20 anos e parece que deu certo.
Tem dia que eu fico mega estressada e xingo o Adriano de fdp e tenho vontade de apertar o pescoço do Dener,mas no geral somos um casal legal.
As pessoas admiram nossa capacidade de superar as dificuldades(teve vezes que era preciso escolher,pagar o condomínio ou comer?).
Mas vencemos,então eu te entendo muito.
Que a Memée seja a mais feliz das meninas do mundo hoje.
Beijos da Tia Andréa com muito amor.

Liliana disse...

Parabéns para Memé... Que ela tenha uma vida iluminada! Abçs.

Adriana Pereira disse...

Êeeee!! Parabéns para Memé. E parabéns para vc tb pela filha linda e gente boa!
Beijocas

*Bruxinha* disse...

Oi Parabéns.... sabes passa la em meu Blogger têm Selinho para vc! Beijinhos

Anadele disse...

Eu acho que a Memée é super sortuda. Tem criança que nasce com a bunda virada pra lua, pq mesmo com todas essas dificuldades dá pra notar o quanto ela é amada por vocês.
Como ela não vai ler o post, deseja a ela, por mim, todas as alegrias do mundo e que esse novo aninho seja incriiivis pra ela.
Bjuuu.

p.s. Elise, vc tem razão em ter orgulho da história de vcs, é linda!

Clarisse disse...

Elise, tão linda a história de vcs!! Dá pra ver que se pode ser muito feliz na vida real, e não apenas naquelas propagandas de margarina (como diz a Cinthya).

A Memée deve muito desse jeitinho dela a vcs, que a criaram, amaram e educaram da melhor forma possível.

E já que estamos falando nela, fica aqui o meu enooorme PARABÉNS nesse dia tão especial! Que ela possa aproveitar cada minuto e que tenha sempre muita paz, amor, carinho e felicidades.

Um beijo

Drica Menezes disse...

linda história! me emocionei aqui! mil bjks e parabens pra tua menina linda e pra vcs tbm! :D

Dafni disse...

ai meu deus, ler um post assim em plena manhã, a 2 dias do meu aniversário me desmontou =( chorei muito.
história linda.
beijos

Renata disse...

Vc chora daí e eu choro daqui! Que história mais linda! E é claro que o mérito é de vcs, ela não é essa criança tão especial sozinha não...criança aprende muito pelo exemplo e apesar de todas as dificuldades ela sempre viu pai e mãe unidos, carinhosos e felizes. Isso já é muita coisa.
Parabéns pra ela e pra vc pela família linda!
beijos

Freda disse...

Que lindooo esse post, adorei saber a historia, agora vc podia contar a historia de como vcs se conheceram, como começou o namoro, essas coisas.
Achei o máximo vc nao querer casar só pq engravidou e casar só 2 anos depois, atitude inteligentíssima, se todos os casais que engravidam cedo pensassem assim, não existiriam tantos divórcios!!
bjosss querida
Fre
www.vidapassadaalimpo.blogger.com.br

Anny disse...

Elise, Parabéns por seu uma mammys MASTER AMOROSA!!!!!
Parabéns à Memé pelo seu B-Day, muitas Felicidades, que ela seja MEGA FELIZ!!!
Que texto mais linduuuuuu, depois de toda essa luta, nada como poder desfrutá-la a vontade.
bjas mil, amo d+ vcs

FYC disse...

Eliseeee, parabéns pela superação, viu?

ahh e soube que posso engravidar grávida aqui pelo blog, acredita?

em algum outro post, li isso e já contei pro boy e para as amigas mais chegadas! hahaha

um ÓTIMO dia pra fofa Aimée!

ADORO essa família que nunca vi! haha
beijAs

Gabi disse...

Que post lindo!
Com certeza o melhor presente a Memée já ganhou: ter você como mãe.

Parabéns para ela!

.:Då§:.:Rø§å§:. disse...

Não é só a mãe que chora!
Quem lê também chora!!!!! rs
O meu Augusto também veio assim, sem esperar, do alto dos meus 32 anos de sabedoria, com um fico de 5 meses...
Vergonha total!!!!
Juntamos as coisas, brigamos cem mil vezes e não deu pra continuar.
Hoje eu sigo com o Augusto, dando-me um novo status: solteira? Não!
pacote completo! rs
Não me arrependo de ter optado por seguir em frente, após 11 dias de concepção e um exame que nem dava pra considerar positivo, de tão antecipado que era! 11 dias!!!
Mas eu sabia que ele estava ali!
E a alegria me tomou quando, depois de menos de trinta dias de concepção, eu já ouvia o coração batendo!
E espero que aos 10 anos ele seja um bom menino! =)
Adorei a frase onde você fala que vcs sobreviveram uns aos outros, e que ela se criou sozinha algumas vezes... Eu acho que isso é saudável!
Eu fui criada assim e isso me trouxe independência, responsabilidade, maturidade e uma noção correta de valores!
É bom se identificar e saber que estamos nos caminho certo, diante do relato de outras pessoas!
Beijos nos corações!

Cassia disse...

Bom, vc não foi mesmo a única a se emocionar(to aqui emocionada com o post...). Desejo pra sua filha tudo de melhor messssmo, muita felicidades...e pode ter certeza: ela veio na horinha certa...

Linda história!!!
Bjs

Daniely Novo Kamaroff disse...

LINDO POST FILÉ! Fico feliz em saber que eu participei um pouquinho dessa história...e DEFINITIVAMENTE a Memê foi a daminha mais linda que já existiu no seu casamento...FELIZ ANIVERSÁRIO PARA ELA!!!!

Aninha disse...

Que post lindo. Desejo que a vida da Meme seja DOCE. Parabéns pra el e pra vocês também né? Ela é linda. Felicidades sempre.
Beijos

DriM's.Ateliê disse...

Vim conhecer seu blog, e me deparo com um depoimento-post tão lindo desses... chorei, ri, e amei!
:)))
Poxa, parabéns! pra todos vcs!

Rosalinda disse...

Elise, já conhecia sua história superficialmente, mas você contando ficou muito mais real.
Parabéns pra Você, pro B e pra Aimée. Vocês merecem. Beijos.

Daniela disse...

Elise,

Que história linda! Quando a Memée crescer mais um pouco, conte a ela. A família é tudo na vida e uma família como a sua é rara! Parabéns!

bjs
Dani

fátima disse...

crianças criadas sem frescura, por pais que não são superprotetores são as melhores!

parabéns pra ela e pra vc, que tbém faz aniversário de mãe, né?

bj

Marina disse...

Elise!!!Quer fazer me acabar,é?Nossa,que incrível!!!Estou a prantos!Eu tive meu filho,Vítor,com 24 anos...tb no susto...mas eu e o pai dele não tivemos esses comprometimento..pq amor é comprometimento,é decisão!Casamso sim,mas pela gravidez e hoje não estamos mais juntos...qdo penso,me sinto uma covarde...mas ao mesmo tmepo uma vitoriosa...de sair de um relacionamento onde não havia o comprometimento!Parabéns a vc,seu marido,sua familia,amigos....Parabéns a Sua filha,que com certeza é a Luz da sua vida!
Beijos!!!

renata959 disse...

Elise, que homenagem linda, óóóhnnn.
Eita post gostoso de se ler!
Parabéns à Memmé no dia de hoje!
Um bj, Renata.

Francisco Alves disse...

Ai, Elise, que lindo.
Sabe que imaginei tudo bem diferente do que vc contou.

Sou assim, feito você, a esperta e morroooooooooooo de medo de engravidar, pq ainda nao tenho vontade de ser mãe, pq crianças me deixam apavorada, pa amo minha sobrinha mais que quase td na vida, mas quando eu fico mais de 5 horas sozinha com ela quero devolve-la rápido...

Tenho uma historia engraçada, mas nao vale a pena contar.

Meus sinceros parabéns por tudo isso.

Francisco Alves disse...

Rá que legal, postei com a conta do namorado, sabe-se Deus desde quando ando fazendo isso.


Juliana.

Sil disse...

Nossa, e pensar que quando eu conheci voces ela ainda era uma boneca de colo, micra e fofa! O tempo passa muito rapido mesmo... Passei anos incriveis na companhia de voces (e principalmente na varanda de voces!), saudades dessa epoca!
A historia eu ja conhecia, mas o post ta lindo mesmo - guarda pra dar ele de presente pra Meme no futuro :)
Feliz aniversario pra ela, tudo de bom pra voces!
Beijo!!

Patrícia disse...

Que história, heim Elise!
Muito linda!

Parabéns pra sua filhota!
Vi as fotos da Disney!
Que menina linda!
Parabéns pra vc tb! hehehehe

Bjão

Carol Ribeiro disse...

Oi Elise!
Bom, parabéns p/ vcs dois que conseguiram superar toda as dificuldades, todos os problemas e continuam firmes e têm muita história p/ contar!
E parabéns p/ Memmé! Parabéns pelo aniversário e pelos pais que ela tem!
Bjinhos

Silvana Mello disse...

Espero que você não ria, mas chorei lendo seu post. Puxa, muito bacana!É difícil isso, mas parecia que eu estava vendo uma parte de minha vida. Sua narrativa foi emocionante. Muitas felicidades para a sua filha! bjuss

Sam... disse...

Cara.. o que dizer.... DEMAIS! A Memée deve ser dessas crianças totalmente demais! Raríssimas hj em dia!

Bom dia de niver pra ela!

bjas!

Carol disse...

Linda a história, me acabei de chorar por aqui.
bjs

Anônimo disse...

Não poderia ficar de fora dessa festa! Acho linda a sua história e concordo que você não deva ter uma ponta de vergonha ao falar dela!
Fábio e eu tb passamos maus pedaços, mas estamos aí firme e forte!!
Muita luz para a Memê, que ela consiga ser tão especial quanto a mãe.
Beijos,
Carol Jannuzzi

Paty disse...

Querida, parabens para a Meme e para vcs tambem.. nao foi facil, mas foi tudo construidos com tanto sacrificil que por isto que se torna solido... nada veio de graça... bjs e parabens a todos vcs

gábiOliveira disse...

Eu já conheço tudo que vc contou...já me orgulho de conhecer vcs e saber disso...de já ter visto as fotos da memmé de daminha....

Mas ainda assim...sabendo de tudo...não tem como não ficar emocionada.

Parabéns! Pra vc, pro seu B e pra Memmé.

TUDO DE BOM, SEMPRE...MUITA LUZ E SAÚDE NA SUA VIDA!

Anônimo disse...

elise, sempre leio o seu blog, mas nunca comento. só que hj não aguentei, minha história é quase um ctrl-v/ctrl-c da sua! tive minha filha com 22 anos, nenhum dos dois era formado, e eu não aceitei casar tb! casei quase dois anos depois, a criança de daminha... me emocionei com sua história, como me emociono quando conto a minha. parabéns pra vcs e pra memmme! (ah, aqui em casa, já são duas agora!)
bjos

Pati disse...

Elise!
Que história emocionante, fiquei aqui com os olhos cheios de lagrima mesmo não te conhecendo.
Parabéns pela filhota e pela linda educação que vcs deram a ela, que me parece ter sido a mais honesta e verdadeira possível!
Felicidade aos tres, mae, pai e filha!
Pati

Fernanda disse...

Passo uns dias sem ler o blog, pq estava viajando e resolvi me desconectar com a internet..qdo volto, me deparo com esse post..confesso q sou durona mas me emocionei mto..nunca imaginei q vc passou por isso tudo..e super me identifiquei na parte de ser a amiga rebelde, q nao pensou em casar, ter filhos, nem nada..ainda penso assim, mas estou bem menos rebelde, mas ainda me amedontra mto a ideia de ter uma criança, deve ser pq eu n amo ng..sei la..tô sozinha no mundo (exageroooo)
enfim..parabéns pra sua pequena..e parabéns a vc tb, por ter educado tão bem essa garota (q nem conheço, mas pelo q vc conta..é um doce de menina, e mto esperta, te coloca no chinelo..rsrs)

May disse...

Já sabe pq vcs são tão admirados, né? Inclusive por moi!!!! rsrsr Parabéns pra essa mocinha mais fofa, e que ela sempre seja a mais feliz das crianças!

(Super emocioney, pq embora o B não fosse um plano - e até nem um desejo meu, só do marido - tb rolou, e ainda rola perrengue pra burro, mas me apaixonei loucamente por esse serzinho tão espetacular... AAAh, deixa eu parar, que chorar nem combina comigo...rs)

beijos!

PAULA disse...

Que história linda! Terminei de ler com os olhos úmidos ( e olha que não sou de chorar fácil).
Parabéns para sua bonequinha!!!

Carol B. disse...

Menina como assim vc me faz chorar? hahahah que post lindo, que historia linda! quanto sentimento nas palavras!
Sempre achei voce uma mãe incrível, e agora depois de ler isso tenho certeza! VOCES DOIS são pais maravilhosos,e com uma filha idem.
Enfim vou resumir o meu Blábláblá, desejando um feliz aniversario pra Memée! tudo de mais lindo pra essa fofa e que esse dia seja ótimo pra toda familia!
Beijos, e parabéns por ser uma mulher forte, e apesar dos perrengues básicos, ter tanta sorte!

Jussara disse...

Quase atrasada, mas ainda em tempo(aqui são 23:34h). Super bacana a sua história, Elise, da qual já conhecíamos um pedacinho que vc contou há algum tempo.
Parabéns à Memée! Muita saúde, novas alegrias e aprendizados pra ela!! E parabéns a vocês pela filha!!

PS: como o tempo voou! Parece que foi ontem o aniversário dela do ano passado. Que foi onde criei coragem e comecei a comentar ;D.
Bjs.

Maela disse...

Lindo post Elise!Inspirado!
Passei pelo mesmo, com 24 anos, mas querendo engravidar porque estava amando... mesmo sem nenhuma estrutura, maridão perdeu emprego qdo eu estava de 7 meses, e tínhamos 70 mil em dívidas por causa do meu negócio recém aberto.
Tudo se ajeita com amor e vontade.
Ahhh e pára de ser mina irmã perdida, tá me enchendo esta coisa de vc pensar como eu. Eu dei de mamar numa mesa de jantar, festa de 50 anos de casamento do tio do meu marido, minha sogra quase me socou!

Lele disse...

Cara que linda história. Parabéns pra Memée! Que a vida dela seja sempre cheia de muito amor, paz, saúde, dinheiro, sucesso e quando chegar a hora muitas festas, gatinhos e tudo mais. Acho ela e vcs incríveis.
Agora vc podia postar uma foto da Memée de daminha pra gente ver né?
Beijos

Renata Mel disse...

Elise, estou aqui chorando horrores!
Linda a história!

Dá para ver pelo que vc contas as vezes pelo blog que a Memé é realmente uma criança linda não só por fora, mas por dentro também.

Lindo ler isso, uma história de superação, sabedoria e acima de tudo, de vitória! Já escrevi que adoro o blog, te admiro muito pelo que vc é e que aprendo bastante com suas histórias (e me divirto muito tb! rs) e a cada dia esse pedacinho do dia se torna mais legal para mim!

Minha mãe faleceu quando eu tinha 10 anos, foi uma barra danada, mais hoje eu penso que quando tiver um baby vou amar muito (talvez pq tenho amor acumulado! rs) e quero ser uma mãe MEGA LEGAL como vc!

Memé e uma criança de sorte!

(vou parar de escrever pq está difícil controlar as lágrimas - hehehe!)

Carol disse...

Oi Elise. Ainda que vários dias depois (porque estou sem meu computador), acho que vale a pena deixar meu recado também. Minha história foi parecida: tinha tudo sobre controle, sabia quando poderia ou não engravidar e no momento que eu tinha mais certeza q isso não aconteceria, engravidei. Com 21 anos. Como eu iria falar lá em casa? Disse ao meu marido (namorado na época - 10 meses juntos apenas) que não precisava ficar comigo nem assumir nada se não quisesse porque bastava eu querer. Fomos morar juntos quando meu filho tinha 1 mês. 2 duros também, montando a casa com a ajuda e móveis dos outros rs. Menos algumas coisas que compramos parcelado em várias vezes. Foi um começo complicado porque eu não queria engravidar naquele momento. Tinha raiva, não tinha paciência com meu filho de vez em quando, não amamentei e levei algum tempo (longo tempo) para superar o remorso por tratá-lo assim. Hj ele está com 4 anos, lindo, me envergonhando com as tiradas incríveis dele, mas apesar de toda a dificuldade da época, valeu tudo o que fizemos. Faria tudo de novo só que com o coração mais aberto :-) Um beijo e parabéns atrasadinho para sua filha. Beijos

satya disse...

Nuuuu! To chorando aqui, eu que sou daquelas "não quero ter filhos... Ever!" Fiquei emocionada mesmo assim por ver em vocês a história da minha própria mãe e de como que nasci. :)

Muita saúde e paz para vcs três.

Aline Frare disse...

Vc já contou essa história pra gente na facul, mas não com tantos detalhes. Eu chorei! Rs..

bjos, e felicidades pra Memé!

Mariana B. disse...

Elise, parabéns pra Memée, e parabéns pela linda história!!! Isso é que é amor e família de verdade!!!

Minha história é praticamente um ctrl+V da sua, até a idade era a mesma, 23 anos. A diferença é que meu marido, até então namorado, participou de toda descoberta junto comigo, fez o teste comigo etc. E desde então nunca cogitamos não ficar juntos, não por causa da gravidez, mas por amor, porque estava nos nossos planos casar e ter filhos. Não naquele momento, mas era o que queríamos desde sempre.
Casamos com 7 meses de gravidez, passei por todos os mesmo perrengues que vocês...sustentados pelas famílias, dependendo de ajuda pra tudo, empregos malucos, o meu B (ele também é Bruno rs) chegou a ter 3 empregos ao mesmo tempo, trabalhava todo santo dia até quase de madrugada, sem final de semana...eu ainda tinha 1 ano da faculdade pra terminar (e consegui!). Ele já era formado, e ainda conseguiu fazer outra faculdade.
Hoje ainda não temos um padrão de vida suuuper bacana, mas está ótimo, e continuamos na luta. Nossa filha está com 4 anos, não se passou tanto tempo quanto na sua história rs. E estamos esperando nosso segundo baby, agora um menininho!
Temos que ter muito orgulho mesmo das nossas histórias!!!
Bjos e felicidades!