terça-feira, 7 de dezembro de 2010

O JOELHO



Se eu tivesse que deixar um conselho pra minha filha, eu diria: "Não esqueça seu joelho! A gente tem joelho é pra dobrar".

As pessoas esquecem do próprio joelho.
Ficam tão envolvidas (eu também) com o próprio orgulho, com as próprias certezas, que não usam o joelho.
Como assim?
O joelho - pra dobrar, se desculpar, pra usar de humildade e se submeter.

Uns 12 anos atrás, quando estava grávida, conheci um amigo que hoje é muito amigo.
Ele tinha acabado de se separar dolorosamente da mulher pela qual era apaixonado. Briguinhas, ciúmes, e... ele todo errado.
E eles tinham um filho. Nos conhecemos num "porre" dele, no qual ele se lamentava da própria burrice, da oportunidade que ele tinha desperdiçado com ela, na besteira que tinha feito com a própria vida.
Eu, no auge da minha arrogância de grávida (a gente acha que pode tudo grávida, até dar conselhos pra quase desconhecidos, rs), briguei com ele e disse:

- Você realmente ama ela?
- Amo. Ela é maravilhosa, ótima mãe, eu sinto falta dela...
- Então?
- Eu estraguei tudo. Eu fiz tudo errado. Ela nunca vai me aceitar de volta. Não sei como me desculpar...
- Usa o seu joelho.
- Como?
- Usa o seu JOELHO. Você não quer ela de volta? Esquece o orgulho e dobra o maldito joelho - IMPLORA.
- Mas ela não vai me ouvir, não vai acreditar... - na verdade ele não era um cara muito acostumado a admitir estar errado.
- Faz ela acreditar. Você tem que se decidir. Se botar na cabeça que é isso que você quer, usa o joelho e vai lá - pede desculpas, se humilha, faz papelão, faz o que for preciso... até ela te ouvir!
- Você acha? - ele na dúvida. (Tudo bem, ele estava meio bêbado, rs)
- Você pode ganhar ela pelo cansaço. Você disse que ela também te ama. Então é só mostrar que você sabe ceder. Que você sabe que errou. Que você está arrependido...  E se ela não aceitar de cara - tenta, tenta, tenta... vai se arrastando de joelhos até ela aceitar!

Ele me olhou como se eu fosse uma maluca.
Mas...
Ele fez o que eu disse.
E depois me agradeceu durante anos pela maluquice.

Assim, ter orgulho é uma coisa boa - na medida.
Estar certo do que faz e diz e pensa, também.
Mas a gente não pode deixar nenhuma certeza absoluta, nenhum complexo de auto-suficiência atrapalhar a vida.
As pessoas tem tanto medo de estarem erradas, de admitirem erro, de se desculparem, de precisarem, de mudarem de ideia... e isso tudo é tão atraso de vida!

O orgulho é um sentimento que anda sozinho.
Aliás, ele divide espaço com o absolutismo.
O absolutismo de opinião. Divide espaço dentro dos donos da verdade.
E quem quer ser o dono da verdade? Quem quer estar certo o tempo todo?
Eu não quero estar certa - eu quero é estar feliz, oras!
Cuidado quando o seu orgulho se coloca no caminho entre você e aquilo que importa.

Use o seu joelho.
Você tem dois.
E eles foram feitos pra dobrar.

17 comentários:

Bia disse...

Que texto bom. Tudo a ver com meu momento. Obrigada, saladera.

Adriana Pereira disse...

Isso é tão difícil... Eu sou tão rancorosa,tão teimosa, tão dona da verdade...
Tenho que aprender muito ainda nessa vida.

Andréa disse...

Que texto lindo chérie.
Mas é muito difícil ajoelhar-se diante dos outros.
Pra mim uma missão impossível.
Realmente tenho um caminho longo a seguir.
Beijas.

Geraldine disse...

Mt legal esse texto.. copiei um pedaço e coloquei no meu facebook (citei a fonte..heheh).. vc se importa??

Claudio Barretto disse...

Ora ora quanta diplomacia joelho de orgulhoso foi feito pra bater contra a cabeça de quem o desafia. hahahaha

Acrescente na definição do orgulhoso o ato de PEDIR. É uma atitude bastante conflituosa pra temperamentos assim.
O orgulho tem uma coisa de prazer. Um prazer meio masoquista talvez mas que se parece com o do invejoso, ou seja, é uma vitória sem troféus.

Eu canto a música do Barão Vermelho errado de propósito, na minha versão fica assim: "eu faço de tudo pelos meus defeitos".

Tb ainda terei muitos anos de estrada pra alcançar essa sublimação.

Karina em New York disse...

Palmas pra vc... amo tudo que escreves, mas esse mereceu minhas palmas!!! Adorei...

Ariane disse...

Texto maravilhoso!!! Totalmente verdadeiro, falta aprendermos a usar os joelhos!

Diogo disse...

tenho lido o blog, acho bem legal
gostei muito do texto
até pq tive que aplicar agora
a namorada encucou com uma coisa, que eu particularmente acho que não é o melhor a ser feito, mas ela acabou não gostando do fato de eu ter sugerido outras opções e ter insistido, enfim, achei melhor pedir desculpa logo, esse negócio de ser dono da verdade não é legal, a gente já discutiu outras vezes por questão similar e não quero mais isso, mas é bom ler algo nesse sentido pra manter na mente

Daniel disse...

Elise,

Não tenho problema em usar o joelho. Já usei e uso geralmente. Por mais que não pareça.

Mas e quando a pessoa abusa do seu joelho. Já estou perdendo o Joelho. Infelizmente levá-lo ao chão não mais adianta. Pedir, conversar, mesmo mudar e suas tentativas não diz nada ao outro.

Será que isso é outra coisa travestida de Amor? Ou é falta de Amor Próprio?

Dúvidas rodeiam nossas cabeças todos os dias, do que almoçar ou se vale a pena tomar chuva. Mas que lutar por um Amor e vencer o Orgulho essa eu já passei.

Beijos, do Saladeto

Daniel

Thielly Zamorano disse...

eu sou tão cabeçuda que é mais facil eu quebrar os joelhos... pqp q anta eu sou

Jussara disse...

Maravilha de texto, Lis. Realmente é difícil, mas é muito bom quando a gente consegue. E nem sempre é por orgulho que se deixa de ajoelhar, mas por medo. Tem um pouco a ver tb com saber ceder, não?
Acho que o orgulho só ferra com a vida da gente. E orgulho é bem diferente de amor-próprio. Olha, já "ajoelhei" mesmo não estando errada; é uma sensação muito ruim, mas é bom pra trabalhar a humildade.

Como já disse Bono Vox: "If you want to kiss the sky better learn how to kneel."

PS: acho que é moda hoje escrever tudo em minúscula, mas toda vez que vejo o "I" do inglês escrito em minúscula, como na foto, me dá uma aflição.

Elise Machado disse...

Chéries, adorando os comments.

Dani, pode não ser amor... pode não ser...

Ah, podem reproduzir o texto como quiserem, não me importo :)

Maela disse...

Sou teimosa... mas orgulhosa não.

aime disse...

Eu acho que de tanto bater a cabeça, mesmo sendo nova... Aprendi que é preciso saber quando o orgulho vem na frente, o orgulho e a teimosia... De vez em quando manter o orgulho, só nos fere mais... MAis que ferir os outros... Aprendi q o orgulho na verdade é uma faca de dois gumes contra nos mesmos... Muitas vezes nos fortalece e protege e muitas nos enfraquece e expoe....
Eu ainda sou muito orgulhosa, não costumo tolerar depreciação e nenhum ato que me diminua ou que me subestime, isso fere meu orgulho e levanta a fera que há em mim!!!
De resto pedir desculpas quando erro, assumir que erro... Sem problemas. So de vez em quando com algumas pessoas que é mais dificil!!!! hahahaha
Mas o texto é maravilhoso!!! Realmente mto bom!!

Aline Kamaroff. disse...

Eu e minhas verdades....

Jis disse...

Gostei bastante do texto.
Essa é uma lição que tb aprendi com o tempo e com a necessidade.
Era muuuuuuiiiiito orgulhosa, mas aprendi a usar meu joelho cedo. Fui fazer faculdade em outra cidade e precisei morar na casa de parentes e aí já viu.... tive de engolir o orgulho algumas vezes e mesmo sem estar errada em alguns casos precisava me humilhar e pedir desculpas... afinal, meu objetivo final era maior (terminar minha faculdade) que o meu orgulho.
=)

Ale disse...

Pensei o mesmo que Geraldine e já que vc autorizou, estou copiando no Faces...
Grande texto! Pra pensar e colocar em prática.