quarta-feira, 27 de abril de 2011

QUEBRANDO O PADRÃO


("Invictus", William Ernest Henley )


(senta que vem texto longo e reflexivo. Pode pular se você não estiver no mood, rs)

Casa de amigos.
Como bons amigos que são, resolvem abrir seu melhor vinho, aquele mais caro e trazido de uma viagem, só pra você.
Você, nem tão boa amiga assim, tem a deselegância de acabar com o vinho - afinal, é um Carménère, sua uva favorita, e, rapaz!, como é delicioso o vinho.
Na sua segunda (e última, mãe!) taça, você começa a desconfiar que o vinho tem alguma espécie de LSD dentro, ou sei lá que porra alucinógena, porque você se sente num estado de claridade mental impressionante, rs.

Bom, pra você é claridade, pros outros você é só uma louca fazendo insultos à metade da humanidade, rs.
Mas, no meio das minhas abobrinhas politicamente incorretas homéricas (tipo, xingar toda a nação indígena. Por favor, não pergunte, rs), uma coisa realmente me ocorreu, e é sobre ela que vou falar agora.

Já percebeu como as pessoas atraem situações e coisas específicas?
Explico.
Algumas pessoas atraem episódios funestos a léguas de distância. Por que uma criança que sofreu algum tipo de abuso vai acabar esbarrando com outros abusadores ao longo da vida?
Alguns apaixonados por animais podem rodar, rodar, e acabar resolvendo fazer veterinária aos 50 anos de idade, ou sem saber como, ter sempre animais abandonados chegando em sua porta....
Algumas não podem entrar em sorteios, pois parecem sempre ganhar tudo e ter uma sorte incrível.
Não sei se estou me fazendo entender, mas o que quero dizer é: parece que alguns padrões se repetem na vida.

Já sentiu isso?
Exemplo: eu tinha um conhecido que era muito atlético e sabia primeiros socorros. Acho que tinha feito curso de paramédico e tal nos Estados Unidos. Pois, impressionantemente, ele já tinha estado "casualmente" envolvido no salvamento de trocentas pessoas, pelo menos 3 por afogamento.
Ele não procurou isso e nem estava na praia de prontidão - um dos afogamentos inclusive foi num rio em Mauá, veja só!
Aí você vai argumentar - os eventos não aconteciam com ele; como ele estava preparado pra coisa, reparava e podia intervir. Uma pessoa que não estivesse atenta ao negócio somente não iria registrar o evento como coincidência estranha.
Mas, péra lá!
Preparado ou não, atento ou não: quantos afogamentos você já viu na vida, na boa??? Esbarrou com quantas situações de resgate (no trânsito, na mata...)?
E esse tipo de coisa parecia acompanhar ele.

Desgraçadamente, parece que eu tenho ímã pra agressão (seja na forma que for)
Se houver um bandido, ou um "predador" no raio de 500 metros, acho que ele me cheira.
Sem brincadeira. Acho que exalo a fragrância "Eau de vítima no. 5"!
Coincidência? Bom, numa amostragem, quantas pessoas você conhece que tomaram pedrada num arrastão e tiveram o carro depredado, foram rendidas e assaltadas dentro de casa, sofreram "N" assaltos (mais de 10) na rua, no carro... fora os episódios pessoais?
Tive sorte de acabar com o B, e não com algum maníaco espancador de mulheres, rs .
É um inferno isso!

Se houver  alguma situação envolvendo crianças, órfãs, deliquentes, necessitadas..... elas vão na direção da minha amiga Filé como se fossem moscas no mel! Mesmo se ela estiver no meio de um grupo.
E assim por diante.
Posso citar um milhão de exemplos de situações idênticas que perseguem pessoas específicas. É o que a gente brinca de "parece que eu atraio tal coisa..."

Dá pra explicar?

Bom, se por um lado sou obcecada com o fato de que tudo na vida são escolhas que a gente faz (nem sempre conscientes, corretas e que dão certo), e por conseguinte sou fãzoca do livre arbítrio, por outro lado tendo a acreditar num tipo de "fate" descrito num livro de ficção do Dean Koontz.

No livro ele repete que o destino tende a tentar repetir o padrão pré-estabelecido, por mais que a gente escolha intervir.
E quando nós alteramos esse "destino", parece que ele "tenta" reestabelecer o padrão pré-definido.
Felizmente, às vezes ele consegue.
Felizmente, às vezes ele falha.

O interessante, então, é descobrir quais são seus padrões pré-determinados.
O tipo de situação que sempre te persegue.
Faz com que você se torne "mestre do seu destino, e capitão da sua alma".
Faz com que você se prepare melhor pra lutar contra.
Ou faz com que você pare de lutar com eles ;)

PS: o texto tá uma viagem mental, né?
Te juro que não estou mais sob o efeito do vinho, rsrsrs.
E aproveito pra pedir desculpas publicamente a meus adoráveis amigos que me escutam falando as maiores barbaridades e continuam me aturando.
Assim espero, rs.

23 comentários:

♥ ♫ ♥ ♪ ♥ disse...

Elise .. concordo 100% com vc, mas to deprimida,pakas!!
Acabo de ler seu post e descobrir que nada me persegue!!
Isso é bom ou ruim?
ou será que eu não estou prestando tanta atenção no que acontece á minha volta!?
Bom ... prometo olhar atentamente tudo que me rodeia e tentar provar sua teoria.
Bjs !!!

Caco Branco disse...

Nossa, nessa vc me pegou, eu não tenho a mínima idéia de que padrão pré-estabelecido meu destino tem, hehe, bom, pensando muito nisso comigo sempre tem um fato bem chato que ocorre, sempre que consigo juntar um tanto bom de grana, acontece algo pra eu gastá-la quase que de imediato, como: já tive que fazer o motor do carro duas vezes, tomei uma invertida de uma ex-amiga, me meti num investimento furado, e parece que nunca aprendo, to agora de novo juntando um dinheirinho e marido já começou a falar em arrumar o carro de novo, agora é a suspenção... VTC!!!! Não sei se isso pode ser enquadrado no assunto do post, mas é realmente algo que me persegue, vou pensar em algo pra mudar essa situação, e eu achando que era Deus que não gosta de me ver com dinheiro...hahaha...brinks! bjoo

Lu disse...

Bah! Estávamos comentando sobre destino, livre arbítrio e o determinismo agora mesmo!!!!! Eu sempre achei que a pessoa era "mestre do próprio destino" e tal... mas ultimamente tenho questionado minha crença e passado a prestar atenção em situações que me levam a crer que o determinismo do ambiente e das relações tem muita influência na vida de cada um. Sei lá isto me deixa deprimida, pois sempre lutei contra as situações que te levam a imaginar que você não tem escolha.

Anônimo disse...

Na minha vida nunca reparei, mas tenho um exemplo próximo que reitera isso que vc disse. Meu tio. Ele tem um irmão (meu outro tio) deficiente mental, casou, não podia ter filhos, adotou uma criança, só depois descobriu que a criança tinha paralisia cerebral (ou algo assim). Depois, a esposa começou a apresentar quadro de depressão e transtorno bipolar gravíssimo. Mora com a sogra que está com grave problema de locomoção. E ainda ajuda a cuidar de minha vó de 84 anos, porque mora do lado dela. Minha vó é a que dá menos trabalho.

ni

Anônimo disse...

Ah, meu tio deficiente mora com minha vó, ou seja, são 5 pessoas próximas com problemas pra esse meu primeiro tio cuidar.

ni

Andréa disse...

Nossa Elise,que post difícil de comentar!Eu enchi a cara de calmante ontem,ou seja,ainda tô lesada demais por causa disso.Amanhã a gente fala sobre isso.
Beijas cheias de saudade.

fátima disse...

minha irmã atrai homens que não a merecem, ou, em outras palavras, que não valem nada mesmo...rsrs
e não só namorados/maridos, mas tbém melhores amigos/as. vive tomando na cabeça!

bj

Aline Corrêa disse...

Elise!! Por um acaso vc lê pensamentos?? Adivinha situações a distancia?? Estou passando por um momento que já passei antes, e me faz refletir, pq eu sempre acabao nesse tipo de situação!!!

Amei o texto, me deu muita vontade msm de começar a guiar meu destino

bjsss

Jackie disse...

Ô bonita! Que texto interessante...
São situações que vc sabe q. exixtem mas não presta atenção e é só vir alguém pra te abrir o olho que vc liga o alho com bugalho.
Parei para pensar qual seria meu padrão e não gostei muito de determina-lo, mas ainda dá para consertar.

Obrigada Elise, vc é a melhor "amiga" virtual que tenho...rs

beijão

Anônimo disse...

Ah!

Sempre a mesma história....atraio pessoas que não valem nada...sempre!

Anônimo disse...

Pois é... dois exemplos básicos:em meio a muitas pessoas, um fogo de artifício falhou e parte dele veio parar na minha axila. Numa cavalhada, numa multidão de pessoas, um cavalo arrebentou uma corda de proteção, me derrubou e pisou minha cabeça contra o chão, só eu me arrebentei toda com muita gente ao redor... tipo, acidentes inusitados são recorrentes para mim. :( Sem contar o dedo PODRE para homens, que não pode ser questão de escolha, é carma, destino!

Maela disse...

Espiritismo explica isso, mas aí vc teria que acreditar em várias coisas do dogma deles que eu acabei discordando... mas a explicação seria simples, tipo : você feriu várias pessoas em outra vida pq vc era uma assaltante e agora tem que sofrer isso também....

O que eu discordo : então livre arbítrio aparece qdo???? Antes de nascer?

Anônimo disse...

Eu ganho tudo que é sorteio.
É só pensar "vou ganhar", e ganho mesmo!

Sara disse...

A situação que sempre me perseguia, ou quando eu estava na escola ou quando estava na Universidade (agora já estou formada) era que quando os professores sorteavam algum nome de aluno na LISTA DA CHAMADA para comentar para a classe toda sobre alguma coisa da matéria, advinha quem era sempre a primeira a ser sorteada: EU. Sempre, sempre. Parecia um CARMA. Quando eu tinha estudado o assunto (na maioria das vezes) tudo bem. E quando eu não tinha estudado? Ficava lá lendo o livro e repetindo a mesma coisa, só mudando algumas palavras. Maior vergonha, aff!!! Rsrsrsrs

Nega disse...

HAHAHA! Ai! Lembrei de uma coisa engraçada: tinha uma colega de trabalho, que quando aparecia umas pessoas meio desconexas (doidas, rs) sem muita lucidez, tava na vez dela de atender. Sempre, era incrivel, só com ela.. Daí criou-se a idéia de que ela atraía gente doida, coitada. nunca era conosco, Sempre tava ela dando a atenção pra pessoa.

satya disse...

Eu tenho um dom todo especial para achar bichos de rua (especialmente gatos), acolher, medicar, encaminhar para adoção e terminar com contas de montão.

Não reclamo, acho que sem isso, minha vida seria vazia.

Nina disse...

Eu atraio doido.

Sério, do tipo que soca as costas de alguém, parada, na porta do shopping [alguém = eu, claro].

E atraio bêbados e gays. Mas esses não me incomodam :p

Aime Chiquini disse...

Elise, eu já acreditei em espiritismo, espiritualismo e li sobre tudo o que vc pode imaginar de religião, pq nunca acreditei e nem vi coerência em nenhuma... Porém, existe algo que a primeira vez eu vi no espiritualismo e que consegui explicar com FÍSICA.
Existe algo chamado energia (física) e vibração (ainda física), todos nós temos, não existe quem não tenha, assim como campo magnético e eletricidade (já que somos um monte de eletricidade presa num corpo, nosso corpo precisa de eletricidade). Enfim, já estabeleci os objetos. Nós emitimos essas vibrações e claro, elas são consequência da sua vida (escolhas, experiências etc) então o que acaba se existem milhões de pessoas a sua volta que nunca acharam que seriam assaltadas, mas como vc já passou por isso vc facilmente identifica a cena, e vc começa a vibrar na mesma frequencia do assaltante, pq ambos sabem qual seria o proximo suposto passo. O que acontece? Vc atrai ele e ele atrai vc. Vcs são mais sensíveis um ao outro. Carma? Deus querendo te fuder? Eu nao acho. Pra mim é uma questão de que ambos estão se atraindo. NAO vc NAO quer ser assaltada. MAS subconscientemente vc vira um imã, pq ja sabe como funciona. Sua energia acaba combinando com a dele.
No meu blog vou fazer um post do caso da minha mãe. Super ilustrativo!!!!

MAELA: Livre arbitrio apareceria tipo só na primeira encarnação neh?!?!?! hahaha

Michele disse...

Gostei muito desse post!
E concordo em tudo!
E infelizmente eu tenho apito de chamar doido.Serio..pessoas que parecem super legais e depois no convivio, surtam. Serio! Eh tenso.

Mirella de Oliveira disse...

Adorei a explicação da Aime! Faz super sentido! :)

Mah disse...

Satya, já eu atraio cachorros! Tenho 25 anos, mas já tive mais de 20 cães.. tudo acontece no meu caminho, são atropelados, abandonados, e eu faço o msm que vc, medico, cuido e arrumo um dono... tenho uma amiga que fala exatamente isso Elise, que tem gente que atrai certas coisas, pq os cachorros sempre param no meu portão, enqto que outras nunca veem essas situações.. fazer o que né, rs!

Déh disse...

Não sei se "conta", mas atraio histórias. As pessoas vêm até mim e simplesmente começam a contar de sua vida, suas tristezas, suas alegrias. Na esmagadora maioria das vezes eu não digo mais que duas frases. As pessoas parecem simplesmente precisar de alguém que as ouça.

E Elise, por favor, pare de dizer "desgraça". As palavras têm muita força.

Um beijo.

Anônimo disse...

aqui em casa acontece o seguinte basta algum ser comentar:
"as coisas estão melhorando",vcs não acham?
pqp,logo em seguida vem uma avalanche de problemas.é carro batido,cunhado separando "daquele jeito",femur quebrado de mãe e o carái a quatro.
agora eu já acordo dizendo q m de dia, pra ver se assim não fica pior ou quando alguém ameaça a frase "istopim".eu mando falar baixo vai que o cosmo escuta.
lembro logo do programa da globo
os caras de pau:
fulano tá chovendo só em mim...