quarta-feira, 22 de outubro de 2008

SÓ PODE SER PIADA

Acabei de ler um "artigo" (matéria? texto?) no jornal OGlobo online comparando o crime lá do cara que atirou na namoradinha com "Othelo" de Shakespeare.

Vocês sabem, esse não é o perfil desse meu blog, e eu nunca comento esses crimes (nem o da menina que foi jogada pelo pai e a madrasta, nem nada), talvez porque cada hora é o crime da vez, e eu já nem me espante mais. Mas, oi?!, achei essa comparação tão absurda, que não deu pra não falar.

Tirando o pequeno fato "ciúme", que no caso do imbecil com a arma nem foi assim o fator principal, não há nada, repito, NADA, de similar com a estória de Othelo. Os cenários são completamente diferentes.

Sei que o autor do texto foi bem intencionado e tals, tentou fazer uma correlação, mas...na boa?

Não houve intriga; não houve um nobre homem envenenado pela lábia de outro brilhante; não houve a mulher pura vítima do mesmo enredo.

Houve um imbecil, que ficou horas ameaçando uma menina, que de inocente não tinha tanto (por que namorava um cara tão mais velho, sendo uma menina? Cadê a mãe dessa pessoa??), e que não agiu no desespero do momento: teve tempo pra refletir.
E sabia bem o que fazia; não foi de forma alguma enganado.

Eu acho que comparar a banalidade do ser humano, a bestialidade da sociedade em que vivemos, a falta de humanidade, de senso, de respeito, com uma obra literária brilhante e totalmente coerente, é querer explicar o inexplicável. É querer romancear o cru, o bruto, o feio.

Daqui a pouco vão canonizar esse cara, elevar a condição desse idiota à mártir, vão usar isso em sua defesa: coitado, ah, o ciúme...ah o crime passional...

E shakespeare com certeza não tá se virando na cova não: TÁ CONVULSIONANDO.

3 comentários:

Priscila M.R. disse...

Hê que comparação um tanto... infeliz né
Sabe oq eu acho?
Esse caso so ficou famoso devido a continuidade de erros estupidos da policia e a quantidade de tempo que o cara conseguiu enrolar todo mundo. Esse negocio de matar por amor é mais velho que andar pra frente.

Andréa Ramos disse...

E como se não bastasse a garota nunca ter sido cuidada pelos pais,uma vez que se envolveu com um cara tão mais velho,ainda tem o horror do pai ter feito o teatro de que estava sedado por não aguentar o tranco qdo na verdade estava era fugindo dos crimes praticados no nordeste.
Santo Deus,óbvio que nada justifica,mas o pai era um assassino tbm.E não foi ao velório nem ao enterro da filha para não ser preso.
Eu disse no meu blog que preciso que o mundo pare para que eu possa descer.
Não tô podendo mais não.
Beijas

marina disse...

Uma comparação um tanto quanto infeliz mesmo...E Elise, parabéns por dizer que a menina não era tão inocente assim, eu sempre achei isso. E quando eles começaram a namorar ela tinha 12 anos!!! Praticamente uma criança, e ele já tinha bem uns 20...Se fosse minha filha não deixava mesmo!!!
Alguém tão nova não tem que namroar sério, parece que tá queimando etapas...Mas essas meninas de hoje em dia são muito loucas, enfim...Bjsss!!!