sexta-feira, 10 de setembro de 2010

INSIDE


Como vencer alguma coisa ou situação que te fere, que te assusta, que te magoa, que te oprime, que te deixa triste ou arrasado? Como passar por ela, superar, quando tudo que você tem vontade de fazer é se lamentar pela injustiça ou má sorte, se revoltar contra o mundo, se esconder, dormir pra passar ou só ficar lambendo as próprias feridas em comiseração?

Funciona assim, e é bom que se tenha em mente - não existe a vida perfeita. Para ninguém. Ela é comprida, em algum momento ela vai te bater. Seja na infância, na adolescência, seja no amor, na carreira, nas amizades, na grana... você vai apanhar. Feio.
Vai se decepcionar. Com as pessoas. Com as situações. Consigo mesmo.

Então é bom aproveitar as partes boas que ela tiver. Se estiver uma merda no trabalho e bom no amor, ótimo. Se estiver ruim com os filhos, mas bom de grana, ótimo. E assim vai.
É o balanço, o ponto de equilíbrio do negócio.
Se tudo de mais próximo estiver bom, melhor ainda; sinal de que você só tem que superar alguma mágoa que ficou lá atrás. Ou se preparar pra alguma coisa lá na frente.
Como eu disse - em algum momento ela vai te bater.
O que é terrível pra uns, não é para outros. O que atinge em cheio outros, não parece nada praquele um.
Não existe merda maior, problema maior - existe aquele que é terrível pra você naquele momento.

Mas existe um segredo pra apanhar bonito, sem quebrar: as situações e as pessoas só te magoam, só abusam de você se você deixar. Só se elas tiverem esse poder sobre você. É psicologia de banheiro, mas é a pura verdade.

Não se pode conferir tanto poder a uma pessoa e a uma situação, a ponto de deixar ela te marcar, te ferir. Não pode!
Tem que se tirar esse poder das coisas!

As coisas tem a gravidade que você dá a elas. Elas se tornam os monstros dos tabus que viram.
Sabe como se tira o poder das coisas?
Banalizando-as. Ridicularizando-as. Minimizando sua importância.
Já dizia Hitchcock, que nada assusta mais do que uma porta fechada.
É verdade. Aquilo que você não vê bem, não conhece, não enfrenta, afasta, tenta afogar ou esquecer, cresce. E cresce. E aumenta em ressentimento e rancor. E medo.
Vira o desconhecido.

Pra banalizar as coisas, tirar esse poder que falei, existem algumas alternativas.
Algumas pessoas se forçam a fazer o que lhes dá medo.
Se seu maior pânico é de pessoas, vai pro meio da multidão. Se caiu do cavalo, volta a montar.

Eu já não faço terapia há muitos anos. Bom, pelo menos não terapia paga, com um terapeuta licenciado, rs.
Mas eu lido do meu próprio jeito com essas mágoas.
Eu falo.
Eu falo e falo e falo! E banalizo. E faço piada. E me forço a me colocar nas situações que odeio e tenho medo.

Posso não conseguir isso de imediato, na hora. Mas depois faço. Posso não falar com todos, mas falo comigo mesma, ou com quem confio. Ou escrevo. Ou...
São tantas as alternativas. Pra tornar aquela coisa que te aconteceu banal. Pra contextualizá-la na normalidade.

Até chegar ao ponto de você dizer "é, me aconteceu. Que merda, né? Que falta de sorte. Acabou. Aconteceu porque aconteceu. E daí? Eu sou maior do que isso. Vou sobreviver".

E sobreviver é uma arte, peeps. Viver é mole, mas sobreviver...
Tem que se dar atenção especial a isso. Pois é isso que define sua qualidade de vida.
A vida não pára pros seus problemas. Ela não pára pros seus traumas ou dramas. Ela não pára pra se compadecer das suas injustiças e do que é feito de você.
Ela vai continuar. E você vai acordar. E ter que respirar. E ter que comer. E todo o resto.

Então, é dessa qualidade de vida que eu falo. Do tempo que te resta.
Do que você vai fazer com esse tempo.
Se forçar a superar ou gastá-lo se consumindo?

Passar por cima, ou dar importância àquilo?

Bota pra fora isso que te faz mal! Reassume o controle do seu próprio sofrimento e angústia. Sofrer não é mal. Faz parte. Mas você escolhe. No que e por quem sofrer. E por quanto tempo.
E depois, tira do seu sistema.
Não seja vítima.
Não deixe que te vitimizem.

15 comentários:

Val- Coisas da Val disse...

Sabe que eu penso o mesmo? Eu acho essa coisa de ser vítima um horror!!! Além de ser um pouco de egoísmo tb,né, afinal, será q só vc tem problema, será q seu problema é maior q o dos outros?
Eu gosto de curtir o sofrimento. Um pouco. Chorar, xingar, ficar mal um dia, ou dois. E deu, passou! Pq tenho um monte de coisa pra fazer!
Bjos, o Salada virou leitura diária!

A disse...

Caramba, Elise, hoje eu acordei justamente pensando nisso... rsrs
E sabe, eu acho que vc tá mto certa. Os fantasmas que mais assombram as pessoas são aqueles irreversíveis, que acontecem uma vez na vida e pronto, nunca mais... voce nunca mais tem chance de mudar, tentar de novo, aprender... Mas, mesmo assim, a gente sobrevive, né? Fazer o que!
Bjo!

Cele disse...

Eu só digo uma coisa: EU QUE O DIGA! Concordo com tudo! beijas!

Tamires disse...

Concordo e assino embaixo.
Ficar se martirizando por causa de um problema não vai fazer ele ficar menor, afinal se chorar resolvesse alguma coisa tava todo mundo sentado na beira da calçada desidratando de tanto chorar!
Beijos!

Mari Paes disse...

Parece que você escreveu diretamente pra mim isso, aff *rs Estou no momento de me jogar nos medos para enfrentá-los e está sendo uma batalha... porque virei minha carreira em um ano e agora alguns tabus profissionais estão reaparecendo! Anteriormente, surtei e acabei tendo que tomar remédios contra síndrome do pânico mas agora estou decidida a enfrentar isso de frente, sem ter de ficar dopada! E acho que está dando certo!

A cada dia gosto mais dos seus textos.
Bjo.

ni disse...

Realmente vida perfeita não existe, concordo. Mas eu acho que há PROBLEMAS e problemas. "problemas" são aqueles que todo mundo vive geralmente o tempo todo, e que muita gente gosta de se vitimizar e ficar em depressão, xingando o mundo, por causa disso... são coisas chatas mas que não são o fim do mundo, tipo, "bati o carro e tava sem seguro"; "engordei 15 quilos e não consigo perder". E há os PROBLEMAS, esse sim a gente não dá pra fazer pouco, ridicularizar, é impossível. Não preciso dar exemplos, todo mundo com o mínimo de noção sabe diferenciar um do outro, eu acho. :)
Sério, eu tenho uma amiga que aos 24 anos ficava em depressão porque não tinha namorado. Sério, 24 anos, a menina jovem, bonia, inteligente, sem forças para viver por causa disso. Dá um tempo, né? Tudo bem que pra ela iss era o fim do mundo, mas a pessoa tem que ter mais bom senso.
Temos é que, apesar dos "problemas", das chateações e tristezas do dia-a-dia, saber agradecer todas as coisas boas que nos são dadas, e todas as coisas ruins que não acontecem com a gente e poderiam acontecer.

ni disse...

Detalhe, essa amiga hoje, dois anos depois, está casada, grávida e feliz.

Brenda disse...

Engraçado, faz um tempo que venho tentando dar a volta por cima, mas sabe quando você não sente vontade? Não digo se fazer de vítima, pedir explicação pra hare krishna. O que te faz um pouco melhor é murchar totalmente.
Ao mesmo tempo penso exatamente como você, e realmente; nada mais assustador do que uma porta fechada.
Enfim, bola murcha também cansa, né? rs
bora construir janelas!

beijo

Silvia Maria disse...

É a máxima: levanta, sacode a poeira e dá a volta por cima!

Jackie disse...

Lendo seu post, me lembrei dessas 3fases que expresso habitualmente, quando a vida é dura, seja pra mim ou pra qualquer outro:

- Coisas ruins acontecem com pessoas boas
- O que não nos mata nos fortalece
- Monsters are real and ghosts are real too. They live inside us, and sometimes, they win...(S.K.)

beijos e boa sorte!

Daniely Novo Kamaroff disse...

BOLA PARA FRENTE FILÉ!!! QUE ESSA SEMANA TU TEM UM TRABALHO EXTRA DE ENFERMEIRA...RS
BJKS

Nice Oliveira disse...

Nossa Elise esse post me deu uma sacudida,depois de ter me recuperado de uma crise de choro, criei forças pra vir aqui e escrever.Não vou entrar em detalhes...aconteceu uma coisa muita chata e grave na minha familia, e a decepção maior envolve minha mãe.O meu lado filha quer acreditar no que ela me diz, mas as contradições vão provando o contrario.Eu tenho medo de ligar e saber que mais uma merda aconteceu. Sem falar do fato que eu estou longe, e isso esta me consumindo muuuito. Eu queria falar pra ela tudo o que eu penso sobre as atitudes dela, mas eu não quero magoa-la e deixa-la ainda mais perturbada com toda essa situação.Não é facil viu?!Mas vou acabar com isso, pois como vc disse, somos nos que damos poder ao problema.
Beijos e bom finde!

Laísa disse...

Mil anos que num venho aqui!!
Passei e consegui td queria...
Chorei de rir, de perder a fala e o ar com posts anteriores!!
E tb parei pra refletir um pouquinho sobre a vida e os meus `problemas` com esse em especial...
um grand finale!

pra quê terapia?!
eu uso o salada!

Beijas Elise!
Boa semana!

Fernanda Fernie disse...

Achei o post sensacional, parece q foi escrito para mim, td mundo já passou por esse tipo de situação não é? ando meio triste, medo do futuro incerto, medo da vida não corresponder ao que eu espero..ao mesmo tempo fico inerte..eu q tomo os rumos da minha vida e se eu quero q mude, tenho q começar a fazer logo né? é sabido q as coisas não caem do céu..mas ando numa tristeza q só me vem a vontade de dormir pra ver se passa..mas sei q a dor, a decepção, vai passar
bjosss

Licele Faial disse...

simples assim