quinta-feira, 13 de novembro de 2008

A PIOR NOITE DA MINHA VIDA

Sobrevivemos. De novo. Até quando?

Ontem à noite, por volta de 11, o B me liga e avisa que estava chegando. Eu estava lendo na cama, com a Memée dormindo ao lado.

Daí uns 15 minutos escuto barulho na porta, e como ele estava sem chave, levantei com o Jack pra abrir, fazendo as gracinhas de sempre, dizendo "papai chegou" e tals.

Quando eu abri, na hora ví que alguma coisa estava errada (só não imaginei o que fosse), pq ele estava sem a pasta, e com as duas mãos espalmadas pra frente. Branco feito uma cera. Eu perguntei, "o que aconteceu?".
Ele só disse: "calma"

E nisso os dois caras armados sairam de trás da pilastra.....

***
Bem antes disso, na hora em que o B embicou o carro na garagem, tb percebeu alguma coisa estranha. Um carro (um Audi, acho), todo filmado surgiu do nada e parou bem atrás dele. Os dois caras saltaram e correram na direção dele. Ele ainda entrou na garagem, mas a porta não foi rápida, e eles entraram atrás. Com duas pistolas apontadas pra cabeça dele, avisaram pra ele não reagir, e pular pro carona. Havia mais gente no carro.

Diz ele que ficou aliviado, pq os caras sairam com o carro levando ele, e ele achou que fosse um desses sequestros relâmpago, de levar pra sacar dinheiro. Eles deram uma volta no quarteirão, foram até a praia, pra "sentir a situação".
Perguntaram quem estava na casa, quem morava aqui. E aí avisaram que íam voltar e entrar.

Nessa hora o B fez uma coisa muito estúpida (ainda que perfeitamente de acordo com a personalidade dele).

Muito calmamente ele falou "olha, me desculpem, mas eu não vou levar vocês pra dentro da minha casa não".
Óbvio que os caras ameaçaram ele: "tá maluco? A gente te mata agora!".

E o B continuou muito sério, "cara, tudo bem, prefiro então que vocês me matem agora mesmo, porque eu não vou levar vocês pra dentro da minha casa com a minha mulher e a minha filha lá". (ele já levou esporro por isso)

Imagina o espanto dos caras! Mas depois eles ficaram dizendo que já sabiam onde era mesmo, e que íam matar ele e entrar na casa mesmo assim, e que era melhor ele cooperar, e ele se rendeu.

***

Na hora que eles saíram detrás da pilastra, o B disse que achou que eu fosse até servir chá para eles, pq eu fiquei bem calma também, disse "tudo bem, tudo bem". O B falou: "Estamos sendo assaltados".
Como eles entraram com o B, o Jack não esboçou nenhuma reação, mas depois começou a fazer barulho, e eu fiquei apavorada que eles chutassem ele, ou coisa assim. Perguntei se podia pegar ele no colo, e eles deixaram.

Daí eles perguntaram onde estava a criança, e nós fomos até o quarto.

Aí nessa hora a ficha caiu. Eu me dei conta de que estava de camisola, transparente, com peito e bunda de fora. E pior, a Memée dormia de calcinha na minha cama.

Sentei com ela na cama e, meu Deus, nem acredito que ela não acordou. O B ficou de pé, e foi dizendo a eles onde estavam as coisas.

Eles ficaram cerca de 1 hora na casa. Pra mim pareceram dois dias.
Todo o tempo em que ficamos de reféns, fiquei de cabeça baixa, com a mão na testa, pq sabia que eles não queriam que a gente ficasse encarando. Quando eles pediam que o B saísse do quarto pra acompanhar um deles, ele pedia que os dois fossem, pq não queria que nenhum ficasse sozinho conosco.

Eles ficavam perguntando pelo cofre (!), pelas jóias (!), e íam ficando irritados quando não encontravam nada.

Tiveram a frieza de pedir as nossas malas, e foram enchendo elas com tudo que encontraram: laptop, ipod, os celulares, máquina fotográfica, aparelho de dvd, minha caixinha de jóias, o pouco dinheiro que a gente tinha em casa, cartões, nossas alianças...

Depois partiu pro ridículo, com eles levando quase todas as roupas do B, casaco de couro, perfumes, e até pela camisa do Flamengo dele eles perguntaram!!

O fim foi muito tenso, porque eu não sabia como ía ser. Achei que eles fossem levar o B. E como estava demorando mais do que o que imaginei, e eles estavam sem pressa, foi me dando uma angústia tremenda. Não posso nem contar o que passou na minha cabeça, porque é terrível demais.

Felizmente eles avisaram que a gente ficasse no quarto por meia hora, que eles sairiam, levariam o carro e tinha alguém na porta vigiando.

Quando acabou tudo, eu desmoronei; fiquei bem nervosa, chorei, vomitei. Acordamos um vizinho pra ligar pra polícia, porque eles cortaram os fios dos telefones. Dessa vez a polícia foi ultra eficiente; chegou em menos de 10 minutos. Fomos dormir mais de 4 da madrugada, cancelando cartões, celulares e fazendo BO. A casa ficou toda revirada, tudo jogado no chão.

Felizmente também a Memée não viu nada, e nós não nos ferimos.

De certa forma foi bem pior do que o arrastão, porque embora a gente não tenha se machucado como da outra vez (eu levei uma pedrada e usei colar cervical um tempo) dessa vez demorou muito, o que te dá tempo pra pensar e ficar apavorado. E dessa vez a Memée tava junto.

A dúvida agora é: depois do arrastão, a gente só evitou o lugar. E agora? Como evitar a minha casa?
E o nojo que estou sentindo aqui dentro? E o medo? E a vontade de ir embora daqui, tipos, agora??

Nem contamos nada à Memée, porque muito embora eu seja contra mentir pras crianças, achei que ela não precisava ficar se sentindo insegura na própria casa. Já basta a gente. Então mandei ela pra escola normalmente, e inventei uma desculpa pra explicar a casa bagunçada.

Essa, sem dúvida, foi a pior noite da minha vida, e eu perdi fácil alguns anos de vida nela, só de ficar imaginando as coisas abomináveis que poderiam acontecer em seguida.
Nunca senti tanto medo. Um medo tão avassalador, que chegava a sufocar, e eu tinha de me forçar a respirar fundo para não desmaiar.

A impotência de ver a sua família a mercê dessas pessoas, o medo físico que você sente, a invasão da sua vida, das suas coisas, a visão das armas...essas coisas vão demorar a sair.

39 comentários:

Milena disse...

Ai Elise, eu sinto tanto Querida!
Já fui assaltada dentro de casa tb! Não na minha, estava na casa de uma amiga, e sei como é horrível e tb sei exatamente tudo que se passou pela sua cabeça! Mas eu não tenho filhos, por isso não posso imaginar o medo que vc sentiu por sua Princesa!
Eu tenho nojo disso aqui no nosso país e posso te falar: Logo depois que aconteceu comigo eu fiquei bem mal... Tinha medo de tudo, até de ir na padaria, mas passa! Graças a Deus eles não colocaram a mão em vcs! Mas mesmo sem encostar eles levam algo precioso: Nossa inocência! Pelo menos foi assim comigo..

Sinto muito mesmo! Fica bem tá?

bjo

Renata R. disse...

Elise, querida, eu chorei aqui. Tô chocada, triste e com raiva. Porque, ainda que um pouco diferente esse contato simplesmente virtual, eu gosto de você e de sua família. E admiro também.

E quando fazem isso com quem a gente gosta a sensação é imensamente ruim.

Posso imaginar a aflição, a angústia, o medo. Sentir-se impotente é uma bosta.

Mas a mim agora só cabe dizer e lembrar mais uma vez que vocês não se machucaram (pelo menos fisicamente) e que a Aimée não precisou presenciar algo tão vil.

É meio louco, diante de tantos amigos do seu convívio, eu me oferecer para o que você precisar. Mas estou me oferecendo mesmo assim, ok?

Um abraço muito, muito forte.

Andréa Ramos disse...

Nossa Elise,tô aqui chorando por vc querida.
Se fosse perto eu iria até aí te buscar e trazer vc para passar uns dias aqui.
Que coisa terrível,Meu Deus do Céu.
O que fazer para te ajudar?
Tô passada.
Talvez sair do Rio um pouco.
Eu tenho um apto num condomínio fechado no litoral de SP,super seguro,posso te emprestar.
Eu lamento por vc e pelo B,ainda bem que a Aimée não viu nada.
Qualquer coisa me grite.
Beijos

Carol disse...

Ai Elise... nessas horas eu não sei nem o que falar! Nunca passei por uma situação dessas, nunca me roubaram nem um fio de cabelo... Leio seu blog há tanto tempo que sinto que isso tivesse ocorrido com uma pessoa muito proxima a mim. Tô chocada... não tenho palavras!
Espero que você e toda sua família fique bem. Muita, muita força e paz.

Beijooos!

Dani Claudino disse...

Eu tô com tanta raiva desses filhos da puta que nem sei mais o que dizer...sem brincadeira, tô mal...pelo conjunto da obra. Foi duro acordar com a sua mãe me ligando 1h30 da madruga e falando que vcs tinham sido assaltados. Não pelo assalto e muito menos por ela ter me acordado, mas por ter passado pela minha cabeça (segundos, claro) que vocês pudessem estar machucados. Temos mais é que agradecer que eles levaram coisas materiais e "só". Não fizeram mal a vocês e à pequena! Já disse, tou as ordens e pode ir pra minha casa hoje, amanhã ou pelo tempo que quiser...
Te amo!
beijo

Cinthya Rachel disse...

querida. não tem o que dizer nessa hora, apenas que estou com vcs em meus pensamentos e que estou aqui apra o que vc precisar. se quiser vir uns dias pra SP para espairecer eu e a Andrea cuidamos de vc! um beijo

Olly disse...

Querida, eu sinto muito... Minha casa já foi assaltada tbm e é péssimo... mas o pior já passou!!!! nem tenho o que dizer!!!!
Sinto.

beijos

Freda disse...

Estou realmente passada com essa história, nem consigo imaginar como eu me sentiria, o que eu faria!!! Vc foi realmente mto forte em agir como vc agiu, mas deve dar um ódeio tremendo perder td pra pessoas desse tipo. Se eu fiquei descontrolada qdo roubaram o som do meu carro e eu nem estava nele, fico imaginando o q vc passou, com sua filha em casa, ainda!!!
Nunca comento aqui, mas sempre leio todos os posts, justo hj resolvi vir comentar sobre a base da Lancome e dou de cara com isso.

*Desculpa fazer esse comentário nesse post, ok? No dia q vc indicou aquela base da Lancôme eu não pensei duas vezes, cliquei logo no link q vc dei aqui pro morangão e comprei a base na mesma hora. Foi a primeira comprar q fiz pela internet, sem ser na Saraiva, pra comprar livos. Hj cheguei do trabalho em casa e lá estava a caixinha liiiinda com a fitinha lilás, surtei, lavei o rosto e passei na mesma hora, e estou apaixonada, não consigo parar de olhar no espelho, é a base mais incrível que já vi!!, minha pele está um veludo mesmo e olha q minha pele é pessima, cheia de marcas de espinhas e espinhas tbem. Ainda não posso falar nada sobre a oleosidade, pq passei há apenas 3 horas, mas mesmo q ela n segurar mto a oleosidade já vale a pena só por ficar c essa pele de veludo!! Queria te agradecer pela dica, a melhor de todos os tempos!!!*

Fre
www.vidapassadaalimpo.blogger.com.br

Ana disse...

Meu pai sempre diz: "Mais tem Deus para dar do que o diabo para tirar"!

Fica bem pertinho dos teus amores. Muito perto. Pede colo, abraço, carinho.
Abraça muito, beija muito.

É a única terapia que conheço que dá certo em momentos assim...

Ice Ice Baby disse...

te mandei email, ok?

não tem mt o q falar além de lamentar e ficar revoltada e triste por ver vcs, pessoas de bem, q trabalham e se esforçam tendo q passar por essa coisa horrível.

keep walking chuchu...o q vcs têm de mais precioso ninguém tira!!!

Renata disse...

Nossa, eu não sei o que te dizer. Eu nunca passei por isso, mas consigo imaginar o medo, a angústia a sensação de impotência diante dessa barbaridade. Ainda mais com a sua filhinha em casa...posso imaginar as coisas horríveis que passaram pela sua cabeça.
Felizmente levaram só as coisas materiais e vcs ainda estão aí juntos, bem, inteiros e saudáveis. É revoltante, mas pelo menos estão todos bem. E felizmente tb a pequena não presenciou nada!
Torço para que essa sensação horrível que vc está sentindo passe logo e que vc consiga acalmar seu coração! Eu tenho muito carinho por você e toda sua família, fiquei passada com tudo isso e chorando muito.
Só posso mandar muita energia positiva pra que vcs fiquem bem e me oferecer pra qualquer coisa que vc precisar!!!
Um beijo grande, Re

Ana disse...

Elise, escrevo do Recife, considerada a cidade mais violenta do Brasil! Acompanho seu blog e gosto dos posts, até comento às vezes. Nunca imaginei encontrar uma notícia como esta aqui... Assalto na rua, roubo de carros, isso já virou nossa rotina, mas o bandido entrar em casa e se apoderar dos seus pertences... é realmente muito triste. É triste porque isso é o Brasil, essa é a nossa gente e o lugar onde vivemos e criamos nossos filhos. Estamos desprotegidos por todos os lados, essa é a minha sensação. Uma vontade de correr daqui... Respeito sua natureza agnóstica, mas do meu jeito peço a Deus por nosso país, por vocês, pelo Rio, por Recife, pela paz. Muita paz.

MEL disse...

Tô horrorizada... chocada... apavorada. Catatônica.
Nem sei o que te dizer. Não sei mesmo o que te falar. Pessoal aqui do trabalho até perguntou pra mim o que eu tinha... Fiquei branca...
Elise, que coisa pavorosa! Eu fico pensando, como manter a calma numa hora dessas... deve passar um filme da nossa vida pela cabeça...
Espero que tudo fique bem pra você e sua família, incluindo o Jack. E ainda bem que vocês estão vivos e não muito feridos. Sim, porque o trauma é uma coisa que vai ficar incomodando por um tempinho, mas garanto, pode acreditar, que vai passar.
Se precisar de alguma coisa, me disponho a ajudar no que for preciso.
Beijos.

Daniely Novo Kamaroff disse...

Como já te disse antes...acabou com o meu dia...Mas Deus é muito bom, a nossa memê não viu nada flor...vai dar tudo certo. QUANDO SE FECHA UMA PORTA, ABRE-SE UMA JANELA. E esse mal vai voltar para quem provocou.
Bjs

fabiana disse...

Bége!

Força aí, Elise!!!!

Carol disse...

Eu entrei hj aqui cedo e não vi nenhuma atualização e achei super estranho sabia? agora tá explicado... Estranho pq não te conheço pessoalmente, mas leio seu blogo todos os dias, já trocamos e-mails no POUR ELISE e tal... mas é como se vc trabalhasse aqui comigo...

Que coisa Horrível. Não sei nem o que te dizer, porque o máximo que me roubaram foi um celular de merda.

Gente a que ponto chegamos. levaram as roupas do B? Que loucura!

Acho que vc está certa e não deve mesmo contar nada para a sua filha... não vale a pena deixá-la com medo na própria casa.

O recreio tem dessas coisas.. prédios pequenos sem porteiro 24h.. tem é que tomar cuidado e reforçar a segurança. E agradecer a deus, anjos, santos, espíritos, whatever de estar tudo bem com vcs.

Força que tudo se refaz!

bjs

Cele disse...

Olha, a verdade é que o pior de tudo é a sensação de impotênica, porque a vontade é de esganar o FDP e a gente não pode! A sensação de que estamos nas mãos deles é a pior de todas. Sofri algumas tentativas de assalto e um assalto mesmo aqui em FORTALEZA, mas nada comparado ao que você passou. FORÇA, Elise!

Prissyrj disse...

Minha Nossa Senhora Aparecida!
Olha, eu não sei nem o que te dizer, porque nem imagino o que você deve estar sentido....Só posso desejar que Deus guarde a você e a sua família, que mais nada de ruim nunca mais aconteça.

fica com Deus.....

um bjo.

Tina Lopes disse...

Sinto muito mesmo. Senti um desespero ao ler o relato, mas um alívio ao final. Vocês são fortes e vão mais que sobreviver, pode crer. Reforça a segurança e bola pra frente que a Memé merece.

Flá disse...

Nossa,que revoltante...Me arrepiei lendo,sem dúvida um desses momentos em que mesmo não te conhecendo desejo todo o alívio de sua angústia...Jah furtaram minha casa,remexeram minhas roupas e eu senti violada, com um ódio absurdo de ter sido tão desrespeitada,vendo coisas que pra mim eram tão minhas,íntimas levadas embora soh pq tinham algum valor...Agora no seu caso foi mto mais do que as coisas, foi a sua família,a sua filha,eh absurdo!!Naum consigo sequer começar a pensar no desespero que vocês devem ter sentido,mas realmente fico feliz de td ter terminado "bem"...Sou mais uma na torcida pra que essa sensação horrível passe o mais rápido possível!

bjos

Danielle Santos disse...

Menina...tô passada cm tds. Justamente hj q mandei um email p vc(eu q sempre li e nunca comentei).
Sei da sua angústia...é uma situação terrível. Passei por algo parecido aki em Salvador. Sofri há uns 6 meses um sequestro relampago onde me levaram junto para um matagal para pegar cartoes p fazer saque. Cm não tinha nenhum cartão com dinheiro eles disseram q iam me matar e me levaram em direção a uma BR aki que é conhecida como local de desova. Sabe o q fiz? Me joguei do carro em movimento! Me ralei, fikei com o pé imobilizado um tempao. Isso td passou, mas emocionalmente ainda sinto mt medo. Continuo dirigindo, saindo mas sempre com medo.
Infelizmente esse é o país q vivemos Nega. Fica assim não...vc é só mais uma nas estatísticas...infelizmente. Fike com raiva, mate-os em pensamentos, mas não deixe q isso deixe c q vc perca essa sua alegria.
Um abraço p td sua familia linda.

May disse...

nem tenho o que dizer...
revoltada, indignada, perplexa e muito aflita...
ódio, muito ódio.
ainda bem q o comement anterior nem apareceu, pq escrevi de cabeça quente depois de ler isso...
mas é inevitável desejar todo sofrimento à essas pessoas...

tô aqui pro que precisar!

beijo!

Jussara disse...

Elise, fiquei consternada e com o coração apertado ao ler seu relato. Não sei o que dizer, acho que não há o que console. Graças a Deus que não houve danos físicos, mas sei que a agressão moral e psicológica pode ser até mais forte e dolorida. Espero que toda essa sensação ruim passe logo. E que bom que a Aimée não acordou e não viu nada; nas crianças esse tipo de situação marca muito mais.
Um abraço forte, com carinho.

Luciana Lopes disse...

Elise, sinto muito!!! Faço minha as palavras de conforto de todas que comentaram aqui. Sabe, me vi nesta angustia alguns anos atras, porém não tinha filhos ainda.
Qdo engravidei da minha primeira filha, tomei uma atidude radical: ir embora do RJ. Eu e meu marido viemos p/ Sampa na primeira semana de vida dela.
Morro de saudades do Rio, volto aí pelo menos 1 vez por mes. Sei q nenhum lugar é totalmente seguro, mas infelizmente não tenho coragem mais de criar meus filhos aí.
Fica bem querida

renata959 disse...

Elise, faço minhas as palavras das meninas acima: "senti como se tivesse acontecido com uma pessoa bem próxima". Sofri junto, lendo o seu relato.

O pior já passou. Agora é tentar esquecer. De longe, rezo por vocês!

Um bj, Renata.

Alexsandra Moreira disse...

Que terrível... fiquei transtornada com uma vontade de falar contigo um pouco.

Leio todos os dias o seu blog e para mim você é como se fosse alguém bem próximo... Não há muito o que dizer Elise... Mas com certeza junto da família e amigos vocês vão superar esse pesadelo.

Graças ao nosso bom Deus todos estão bem físicamente.

Vão-se os anéis e ficam os dedos.

bj

Daniela disse...

Que nojo... Tenho uma filha de 2 anos e me da vontade de vomitar so de imaginar isso tudo que vc relatou.
Ainda bem que sua filhota estava dormindo.
Um bj Dani Lopes

Paty disse...

Elise querida, nao desejo isto nem para meu inimigo, ainda mais para uma fofa como voce! horrivel, nao tem como descrever. Esta foi uma das razoes que resolvemos nos mudar do Brasil. Meu marido foi assaltado, mao armada, levaram a moto, e ficaram ameaçando mata-lo o tempo todo. Se nao podemos ter nossas coisas no Brasil, resolvemos nos mudar... Voces moram em casa? pensei que morassem em apt. Mesmo assim, nao adianta, nao ficamos livres (ainda temos nosso apt emSP). infelizmente, a situação esta cada vez pior, e incontrolavel.... beijos

Camila disse...

Elise, sinto muito, muito mesmo. Revolta trabalhar, se esforçar pra ter as coisas, e, sem mais nem menos, vem um vagabundo e leva tudo...

Mas sabe, como já falaram, o que eles levaram vcs recuperam rapidamente...

O problema é o roubo da inocencia, da segurança... Duas amigas minhas ja foram assaltadas dentro de casa, mais ou menos dessa forma como vc falou... Lembro de vc ter comentado que mora no Recreio, e aí, infelizmente, tem muitas quadrilhas que fazem esse tipo de assalto... Naqueles prédios pequenos entao, nas ruas de dentro, vira e mexe algum é assaltado...

Mas aqui no RJ, infelizmente, a gente nao tem muito pra onde correr... Um dos motivos da minha irma ter ido morar fora foi justamente isso, ela ficou fora de si depois que foi parada com o marido em um "bonde" às 18h de um domingo...

Tente pensar no lado bom, que o mais importante, a vida de vcs, os marginais nao levaram...

Só o tempo agora vai fazer vc se sentir melhor, e o carinho das pessoas que vc gosta... Semana que vem tem um feriado, talvez fosse uma boa vcs se afastarem um pouco dai tb...

Lamento muito,de coracao, que vc tenha passado por uma situacao dessas...

Beijos...

Titi disse...

São 23:30h.
Achei estranho passar aqui hoje mais cedo e não ver nada atualizado.
O que eu jamais imaginei é que vcs tinham passado por essa loucura.
To tão passada que já conferi as portas duas vezes (maridão e neném dormindo).
Não sei nem o que dizer...
O que vai ser de nós?

Força...

Pense que vocês estão vivos e sua filha está bem.Talvez seja o único consolo.
Essa noite minhas orações serão especialmente para vocês.
Fiquem com Deus.
Beijos.

Trendy Twins disse...

Email. Agora.

Karim disse...

Oi Elise me junto aos vários comentários de pessoas que não te conhecem mas te acompanham sempre e acabam tendo um carinho especial por vc e seus posts para dizer que sinto muito pelo que vc passou. Há um tempo atrás eu li aquele em que vc falava do arrastão e fiquei pasmada com a situação, mas isso é muito mais triste porque invadiram o lugar onde nos sentimos mais protegidos: a nossa casa. Conheço várias pessoas que passaram o mesmo que vc e a única coisa que posso dizer é que felizmente isso vai passando. E que sendo agnóstica como vc ao ouvir que a Aimée permaneceu dormindo todo o tempo, as vezes até paro pra pensar se não há forças que nos protegem.
Um abraço forte.

Tudo de mim.... disse...

Nossa Elise, nem sei o que dizer...Eu sou uma pessoa muito medrosa e já fui assaltada com revolver apontado pra mim, é realmente muito revoltante. Eu sei o qu você deve estar sentindo, mas fique calma, bens materiais, a gente recupera e o seu bem mais precioso esta ai e nem viu nada, o que foi melhor.

Bjs e fique com Deus.

Trendy Twins disse...

Ai, Elise, a Vivi me contou, fiquei tão triste, tão passada, tão revoltada... Olha, infelizmente contra esse tipo de mal a gente não está imune, e nem tem como lutar contra. Espero que vcs consigam superar essa hitória horrível. Ainda bem que com sua filha não aconteceu nada, e isso é o que importa de verdade. O resto todo vcs conquistam de novo.

Um beijo grande,

Ana

Mariana disse...

Elise, um beijo. Nem sei o que dizer.

Silvia disse...

Nossa amiga, tou horrorizada aqui...vocês já passaram por aquela merda daquele arrastão, e agora essa cidade filha da puta apronta essa com vocês...desculpa o palavreado, mas só falando assim mesmo (e eu sou carioca então posso falar). Essa cidade chegou num nível que é irreal. É o cúmulo nego invadir a tua casa, levar tudo que vocês juntaram com tanto sacrifício como se fosse deles por direito. Falta punição nessa merda.
Graças a Deus que vocês todos tão por aí, que a Memê não viu nada, e que vocês tiveram a lucidez de se manter calmos assim. Desculpa não ter comentado antes, mas só entrei hoje no seu blog e, céus, bolei por meia hora antes de comentar...tenta ficar bem aí, na medida do possível, e minha casa é um pouquinho mais longe mas querendo espairecer por aqui, tá abertíssima pra vocês.
Que isso só sirva pra uni-los ainda mais. Força.
Beijo

Thalita disse...

Eu sempre venho aqui...mas nunca tinha comentado antes...to aqui chorando tb...como eh que essas pessoas conseguem dormir???isso eh o que eu queria entender!bjuuuu

Aline Kamaroff. disse...

Nossa, que coisa horrível!!!
Lamentável "nossa realidade", Espero que vc e sua familia superem isso, FORÇA MENINA.
Um grande abraço.

Drica Menezes disse...

puxa elise.....tbm chorei aqui....q horror! e o pior é ter q pensar q dos males o menor, q nao fizeram nada com vcs.....ahhhhhh esta situacao é revoltante mesmo! nem sei o q t dizer! um forte abraço pra vc e pra tua familia!