terça-feira, 8 de setembro de 2009

SEPARAÇÃO

Uma separação é uma coisa complicada.

Pra todo mundo.

Já é ruim pras partes envolvidas, mas também não é nada fácil pra quem está em volta.
Eu digo, filhos, familiares e amigos.

Eu tenho conversado sobre isso: com quem ficam os amigos?

Não estou falando de uma separaçãozinha de um casal sem história. Mas quando um casal de longa data se separa, fica todo mundo meio perdido.

Alguém já se viu nessa situação? O grupo de amigos é grande e chegado.
O casal é amigo de todo mundo - ambos. Um é um pouco mais amigo do que o outro, claro.
E de repente eles se separam, e ... os amigos ficam no meio.

É chato, é um processo demorado até tudo ficar confortável de novo e tals; mas deixa eu dizer o que me incomoda. Pra começar, eu amiga, estando de fora, fico triste pelo casal, mas desejo-lhes o melhor. E se o melhor for ficarem separados, so be it.

Vou dar força, e tentar me enturmar com os novos parceiros de ambos.

Mas... eu acho que existe uma certa ETIQUETA nesse caso, quanto a apresentar novos parceiros.

Me chame de fresca, mas acho muito chato os casais terminarem, vc nem bem sabia que eles não estavam mais juntos, e uma das partes me aparece com outra pessoa.

Péra, péra, péra! Pôxa, vc conviveu (e gostou) da pessoa por anos. Se acostumou com ela. E de repente tem que ligar o botão de "desliga" dela, sem mais nem menos?! Tem que gostar imediatamente do outro parceiro que seu amigo apresentou???

Invariavelmente eu gosto. Faço até esforço pra gostar - se aquela é a pessoa que meu amigo está gostando, eu vou me esforçar pra gostar também.

Mas eu quero consideração! Acho deselegante trazer imediatamente alguém novo pro grupo, como se a pessoa antiga nem tivesse existido!

Mesma coisa com filhos. O casal se separa, e uma das partes "nem deixa o corpo esfriar" direito, nem os filhos se acostumarem com a situação, e já apresentam logo alguém novo.

Feio. Traumatizante, até.

Separação é uma bosta, mas é para todo mundo. Tem que se preservar todos em volta, porque todo mundo sai arranhado.

5 comentários:

Dani Claudino disse...

Concordo muito!! E sabe o que eu acho HORRÍVEL tb? Quando a pessoa nova se mete na vida do filho do cara (ou da mulher) sem nem saber direito o que tá falando. Eu acho HORRÍVEL! Uma coisa é uma coisa e outra coisa é outra coisa...
beijo

Barbara disse...

Sobre isso...
Tenho uma turma de amigos há anos. Sempre que alguém se separa, há um acordo tácito entre o povo de eleger uma das partes pra consolar e isolar a outra. Detesto esse comportamento. Mesmo. Quando eu fui protestar, adivinha o que fizeram? Me colocaram na geladeira também. Descobri que as pessoas com quem convivo desde a adolescência e que amo muito (amo meus amigos de paixão) não são maduras, não passaram essa fase. Fiquei triste.
Seu post me lembrou isso. Ah, os tempos modernos e as novas questões de etiqueta que eles trazem...

Fernanda soriano disse...

Aconteceu comigo no dia dos Pais...éramos amigos do moçoilo mais do que da moçoila...aí convidamos pra passar o dia dos pais com a gente e a bebê dele, tadinho, acabou de separar, deve tá super pra baixo...Qual não foi a minha surpresa (e indignação) quando ele aparece com outra pessoa? aí tipo assim, não vou destratar ninguém na minha casa, mas que é uma situação confortável pra ninguem, isso é... bjo

Cele disse...

Onde eu assino?

Fernanda disse...

Complicado, né? Passei por isso do lado avesso: eu era a "nova" pessoa. Fiquei muito triste por meu hoje marido não ter preparado o terreno com os amigos. Fui jogada na cova dos leões e sai bem machucada. Uma pena.
Então acho que o jeito certo é agir sempre com amor e delicadeza. Dá certo pra qulaquer lado.

beijos