segunda-feira, 14 de setembro de 2009

UMA AVENTURA NA NIGHT

Sexta fomos convidados pruma festa numa boate.

A gente até sai bastante, sempre tem um evento pra ir, todo finde, mas já há algum tempinho que a gente não curtia boate.

Pra vocês sentirem o drama, eu fiquei horas me torturando: que roupa usar????!!!!!
Como eu não conhecia o lugar, fiquei meio boiando sobre o que seria o ideal. Mas caprichei.

Rá, tanto pentelho arrancado à toa! rsrsr

Já na entrada, o B tirou um sarro de mim. Não que eu não estivesse bem, ou que estivesse arrumadésima. Mas o que acontece é o seguinte:

a população feminina do lugar era composta basicamente da combinação - calça jeans, blusa decotada e cabelo liso até o meio das costas. 90% das mulheres!

Boring. Bo-ring!!!!

Veja bem, nada contra calça jeans. Muito menos quem tem cabelo inteiro e grande. Mas eu fiquei com uma impressão ruim, tipos, como se ninguém tivesse se esforçado nadica em arrumação, e optasse belo seguro, pelo básico. Achei meio desleixo, sei lá. Nenhuma maquiagem excitante. Nenhuma roupa descolada, ou vestido. Nenhum penteado legal, tipo um torcidinho, ou rabo de cavalo...

Todo mundo com a mesma cara... curto não.

Enfim. Vai ver é o jeito das cariocas mesmo, desligadão. Ou então era a população do lugar que eu fui (mas acredite, era um lugar AA na Barra).

Mas a gente se divertiu. Ô! Já começamos a noite pagando um micão.

Fomos os primeiros a chegar (milaaaagre!!!!), e já não tinha mesa pra sentar. O lugar, muito bacana, tinha vários lounges, cheios de sacanagem. Um deles estava meio vazio.
Não conversamos: entramos, sentamos e ficamos papeando esperando a galera. Eu ainda esbocei um "será que esse lugar é reservado...?" e tals, mas sem convicção.

Não deu 10 minutos tinha um garçom ao nosso lado, explicando que a área era restrita, e aí é que a gente percebeu a patricinha raivosa sentada do outro lado, com o nariz arrastando no teto de petulância, e cara de poucos amigos. O B não se fez de rogado:

- Ah, já sei, vc veio aqui pra expulsar a gente, né? (com a maior simpatia pro garçom)

Que ficou meio sem jeito e sorriu.
O B continuou, piscando um olho.

- Então faz assim, pra não ficar chato, e a gente não ser enxotado, você sai primeiro, eu dou cinco minutos e já saio, que tal? (sorrindo mais ainda)

Eu tive de morder a bochecha por dentro pra não gargalhar da cara de ÓDIO da menina, enquanto o garçom saía, e o B pegava de forma deliberadamente lenta o celular. Ligou pra ver onde nossa galera estava, e SÓ DEPOIS é que a gente saiu. Ela só faltou bufar!!! hahaha

Pôxa, a gente estava ao lado dela, custava ela virar e falar: pô, galera, foi mal, mas eu reservei esse espaço pra minha festa..., na hora que a gente sentou??? A gente se desculparia e sairia na boa. Era fácil se enganar, porque a área, embora mais íntima não tinha identificação de fechada.

As pessoas não tem classe mesmo... e se incomodam por tão pouco.....

12 comentários:

Anny disse...

KKKK, Elise!!!
Se é pra sair tem que dar uma produzida, né?
Minina fico desperada pelos posts, vc é D+!!!!!

bjas,

Bruxa das Letras disse...

Ai,ai,ai Elise!Só você mesmo para me alegrar numa tarde chata de segunda-feira!

Beijos!

Andréa disse...

Isso já aconteceu comigo tbm.
A pervinha ficou com cara de bosta,querendo me chutar pra fora do camarote.Eu só estava olhando a nova decoração dos camarotes.
O pior de tudo: EU SOU DONA DAQUELA PORRA DE CASA NOTURNA CACETE!
Mas deixei pra lá.
E o uniforme é esse mesmo,calça jeans,peitos de fora e cabelão(aplique ou não).
Em Sampa tbm tá assim.
Sonhei com vc essa noite.
A Memée estava uma moça já,enorme e vc tinha um menininho.
O moleque era a sua cara e completamente atentado.
Subia e descia do sofá,rolava no tapete,subia na pia,um santinho.
Mas era lindinho demais.
Cabelinho preto e carinha redonda.
Me apaixonei por ele.
Será?
Olha que eu sou meio bruxa heim,qdo eu sonho é fatal!hahahahaha
Beijos

Silvia Maria disse...

Pois é...
meu cabelo é curto e cacheado... vou cortar meus pulsos hahahaha.
Já pensou um encontro num lugar desses? O carinha fala: Como vc vai vestida?
E eu: Vou de cabelos curtos cacheados.

Caroline® disse...

Pois é, meu cabelo é curto. E aí, o que eu faço? Eu mesma respondo: ligo o phoda-se e vou bem feliz e pintosa bater cabelo na pista!!!!!

Ice disse...

Onde foi isso?? Me conta!!!

Elise Machado disse...

Hahaha, Ice, foi aqui http://www.iaoranabar.com.br/

Bem legal o lugar...

Karina disse...

Adoreiiiiiiii a postura do seu marido, muito bem...Vou usar esta tática com os esnobes..Bjim

lilly disse...

oi
realmente o trio jeans caro-blusinha-cabelo de chapinha é o uniforme de balada.
tambem acho chatinho, fica todo mundo igual.
gosto de vestidinhos, tipo uns dois que a deblora bloch usou no manequim deste mes ( um solto e outro de listra) ....uma calça com tunica bem fluida tb fica joia pra dançar.
ahhh e gente grossa se achando a rainha do pedaço merece sabe o quem?
vc dar uma TROPEÇADA perto dela e derramar cerveja no colo pra esfriar a popô dela.
hahaahha
o que é ser anglofila?

bjo
lilly
coisadelilly.wordpress.com

Tatiana disse...

Olá Elise, sei q estou atrasada mas fiquei super curiosa pra saber como vc foi.
Conta aí vai!!!
Bjim!

Anônimo disse...

Eu li o texto imaginando toda a cena, e acho que a menina foi super coerente; o espaço era dela, ela não sabia se vocês estavam ali pq "queriam" ou pq não sabiam que a área estava reservada. Então ela procurou o garçom( pessoa neutra)para desfazer o equívoco.

Imagina se vocês são doidos, ela pede para que todos saiam, e vocês acabam armando uma confusão. Acho que por questão de segurança, nos dias atuais, é melhor sempre pedirmos ajuda para alguém do próprio estabelecimento.

Na minha opinião, o pior é o casal pedindo 5min para sair; estavam no espaço errado, foram notificados sobre o equívoco, e ainda queriam fazer "pose" de que estavam CERTOS e com a RAZÃO.

E no final do texto ainda diz:

- As pessoas não tem classe mesmo... e se incomodam por tão pouco.....
xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx

Bom senso, mandou lembranças tá.

Elise Machado disse...

Lilly, o negócio de ser anglófila é curtir muito a cultura inglesa/americana, seus costumes, língua...

Tati, ah, nem estava super produzida não, pq não sabia como ia ser. Nessas horas, pra não errar, vestido preto. Não era sem graça não - é o meu vestido que tem uma bossa mexicana, com uns bordados na barra e na manga. E usei minha carteira Chanel.

Caro anônimo, é uma questão de opinião, certo?
É claro que estávamos errados, mas foi um erro legítimo, provocado pela falta de sinalização da casa, não foi proposital. A menina em momento algum tentou lidar com a situação de forma simpática. Ela foi desnecessariamente arrogante e hostil.
Mas, ok, é sua opinião.