segunda-feira, 3 de janeiro de 2011

O MAIOR GOLPE SEXISTA DE TODOS OS TEMPOS


É uma coisa que tenho pensado há algum tempo.

Eu sempre fui café-com-leite.
Criança, digo. Era pequenina pra minha idade, franzina e nunca fui atlética, não jogava nada bem.
No big deal.

Eu não ligava. Não mesmo. Tudo bem ser condescendente comigo e me deixar de lado nas jogadas, ou me escolher por último pro time, como se eu fosse enfeite.
Não era nada que me incomodasse, ser café-com-leite.

Só que agora me incomoda.
Não nos esportes, rs.
Eu ainda suck big time, rsrs.
Mas de uma forma geral.

O negócio é que não sou  só eu, Elise. São as mulheres.
De uma forma geral.
Já reparou que as mulheres não são levadas a sério em algumas coisas?
Tá  bom, existem mulheres em praticamente QUALQUER profissão, e que dominam qualquer assunto.
Mas serem levadas a sério? De igual pra igual?
Sei não. A maioria dos homens pode até não falar nada, pra não ser acusada de sexismo. Mas também, até sem sentir, são condescendentes com as mulheres.

Eu estou falando sobre isso pra dizer que eu acho que o FEMINISMO foi o maior ENGODO, a maior armação masculina de todos os tempos, rs.

Acho que esses putos pensaram:
não aguentamos mais essas mulheres sendo sustentadas em casa... hum, vamos fazê-las trabalhar tanto quanto nós,  vamos subestimá-las, pagar menos, não levar a sério seu potencial, ser condescendentes, sem tirar as responsabilidades familiares de cima delas, apesar disso tudo vamos cobrar delas feminilidade e aparência impecável e AINDA VAMOS FAZER ELAS ACREDITAREM QUE FORAM ELAS QUE INVENTARAM E CONQUISTARAM ISSO!!
Brilhante!

Rsrs. Ok, eu tou exagerando, óbvio.
Mas é que me dá uma raiva.
Não essa coisa eterna de guerra dos sexos, que já foi dita mil vezes - como é duro acumular funções, como é injusto ter que ser  multi tarefas e ainda pagar de gatinha sexy, yada-yada-yada...
Pior.
O que eu acho barra é você se interessar por alguma coisa do universo essencialmente masculino e as pessoas  encararem isso como.... OWWW, QUE GRACINHA!

Eu não quero ser olhada como "que fofo", quero ser levada a sério!

É mais ou menos assim: você passa um tempão perguntando pro vendedor quantos litros o carro faz por quilômetro, se tem ABS e... ele fica só sorrindo amarelo pra você, e no final puxa seu marido pro lado e começa a dar a ELE os detalhes e discutir preço. Você pergunta sobre financiamento, e ele explica pra ELE as condições... GRRR!
Tenho ódio!

Ou quando numa roda de homens você quer entrar no assunto e falar sobre alguma  coisa e ninguém te dá muita confiança. Ou te olha esquisito, como se você não tivesse o direito de entender ou gostar daquilo. Como se você na verdade não soubesse sobre o que tá falando.
E quando te deixam participar - VOCÊ É CAFÉ-COM-LEITE!!

Acho um saco.
E eu vivo num ambiente bem masculino - tenho mooontes de amigos homens. Se bobear mais do que mulheres.
E eles estão sempre falando de carros, ou  lanchas, ou games, ou UFC... é fogo!
Às vezes a pessoa nem faz por mal, ou com intenção, mas acaba te subestimando.

Então tá aí um goal pra 2011: eu não quero mais ser café-com-leite!
O que eu vou fazer, não tenho certeza ainda, rs.
Mas se eu quiser participar de alguma coisa, eu vou.
Se  quiser falar, eu vou.
E se alguém vier de condescendência pra cima de mim, vai tomar logo um chute nas bolas, rs.

9 comentários:

Bianca Mello disse...

Comigo é um pouquinho diferente. Fui criada pra não precisar de homem, sabendo coisas de obra, pequenos consertos...
Mas meu namorado é um desses "meninos" de condomínio, que nunca aprendeu a fazer nada, por ter o faz-tudo do prédio, à disposição.
Então, sempre que vamos resolver alguma coisa com relação a esse ambiente "masculino", eu é que tomo a frente ou ele mesmo avisa "é ela quem cuida dessas coisas". E não sei se é por uma questão de postura minha, não sou masculinizada, mas acho que sei falar, me impor, nunca tive problemas em obter a confiança dos homens. Passado o susto inicial, depois que eles vêem que eu entendo do que estou falando, fica tudo tranquilo e eu sempre consigo o que quero, felizmente. :)

Um beijo pra vc, um ótimo 2011!

Daniely Novo Kamaroff disse...

Tudo isso porque foi barrada no kart..ahahahahahahhaha, para de show Filé! Tu não é café com leite não!!!!

Daniel disse...

Engraçado, mas sinto coisas semelhantes. Quando digo que quero guarda compartilhada que cuido dos meus filhos, que lavo roupa, arrumo a casa, trabalho, vou na escola conversar com coordenadora, ajudo na lição e não só de matemática, converso com minha filha sobre o professor injusto ou sobre o namoradinho.

Dai eu sou o "fofo" e se for amigo homem eu sou o "afeminado". Não ligo mais, me garanto e boas, falem o que quiserem eu não dou trela, mas quero sim saber como fazer tirihas com cebola ao curry, quero sim como preparar um Lombo com molho de ervas e batatas ao murro...

E se estiver chateada por eu não deixá-la entrar na cozinha (isso a pouquissímo tempo) o azar é seu. Faça seu rango pra mim outro dia.

Mas concordo com você Elise, nesse caso para a mulher entrar no papo é mais dificil. COmo te disse uns dias atrás, não pode é deixar as brincadeirinhas aparecer, não pode entrar na onda ruim de se auto-criticar e dizer "é eu sou menina...". Nessas horas tem que bater (a mão na mesa) e mandar um Pretenção Sinhozinho, Dona Elise manja (um "e muito" se for o caso, cai bem) "dessaporra".

Homem se assusta com mulher DETERMINADA hahaha.

Beijos do Saladeto,

Daniel

Anônimo disse...

MEU DEUS DO CÉU! Falou td, Elise! Sou engenheira, trabalho só com homem. A única mulher além de mim no escritório é a secretária e o povo acha q eu sou secretária 2. Tem q subir em cima da cadeira pra escutarem o q eu tenho pra falar, e meu próprio gerente me trata como café com leite... Difícil, viu?

Ariane disse...

Trabalho numa empresa de construção civil e é complicado viu?!
Imagina... os homens aqui são bemmmm machistas!
Não que eu trabalhe diretamente com eles, pois sou do financeiro, mas mesmo assim é super difícil!
Tem um engenheiro aqui que faz os orçamentos das obras (ele deve ter uns 50 anos)... e com ele eu tenho mais contato, e como é complicado! Ele não me leva a sério, acha que não sei do que estou falando, por 2 motivos, sou mulher e tenho 21 anos!

Até o dia que estourei e falei um monte! De igual para igual!!
Hoje ele me respeita mais... e se precisar vou fazer quantas vezes for necessário!

Anônimo disse...

Concordo com vc Elise, disse td.

Sempre trabalhei só com homens (até prefiro), e graças a essa convivência aprendi mta coisa relacionada a carros. Não passo aperto com mecânico tentando me enrolar com coisa do tipo, “é a rebimboca da parafuseta q quebrou”...sei a diferença de uma chave estrela pra uma estriada, enfim me viro e não me deixo ser enganada. Mas até hj, mesmo depois de 18 anos trabalhando na área automotiva, as vezes ainda tenho que aguentar certas brincadeirinhas ou comentários machistas. E isso irrita, e mto. Pq parece q a gente tem sempre q provar alguma coisa.

Por exemplo, qdo paro no posto pra calibrar o pneu e o tiozinho do carro de trás sempre desce e vem perguntar se quero ajuda com aquela cara de "essa ai não deve saber nem ligar o carro o q dirá calibrar pneu”. Fico puta com isso...Aí sempre q alguém me trata como se eu fosse uma daquelas mulheres q só tem na cabeça o q lêem nas revistas de fofoca eu já dou um jeito de meter no meio da conversa palavras ou termos técnicos, do tipo, "o carro apagou na estrada, qdo fomos ver era o ROTOR que quebrou dentro do DISTRIBUIDOR DE IGNIÇÂO.". Aí a pessoa já olha com mais respeito.

Mas é complicado ser tratada com um certo respeito, como no meu caso ou da saladete engenheira aí de cima, qdo se trabalhar em um universo quase 100% masculino.

Bjos

Silvia Maria disse...

Imagine eu que tenho 1,52 de altura... É difícil alguém me levar a sério...

Maela disse...

Ano passado fui comprar meu carro!

Sozinha.


Eu escolhi, eu comprei, eu paguei, portanto EU FUI.


A questão é que tinha um vendedor, que já conhecia o Bob.

E eu negociei de uma maneira tão agressiva, que ele falou para o Bob que era melhor da próxima vez ele teria que vir junto, pois é mais fácil negociar "com a mulher da casa".

E eu já avisei ao Bob, da próxima vez escolho outro vendedor. Que mulherzinha este......

Prit disse...

Elise, vivo isso todo dia no emprego. Trabalho na área de suporte de TI e sempre que um homem tem dúvidas, após eu explicar detalhadamente e o mesmo parecer que entendeu...eu achando que o fulano já estava com o problema resolvido, escuto meu supervisor explicando tudo novamente, e detalhe, com as mesmas palavras...
Só rindo mesmo...
Priscila