quinta-feira, 3 de fevereiro de 2011

A FIGURA PATERNA

(imagem: reprodução)

Estava batendo papo com um amigo meu, e discutíamos o feminino e o masculino, os papéis sexuais, o fascínio pelo alfa e esse tipo de coisa (sempre dá pano pra manga, rs).

E eu falava como homens "viadinhos" são frustrantes.
Ei, naaaada a ver com gays, pelamor! Tou falando de viadinho.
Sabe como é?
O cara que é hetero, sai/pega/namora/casa com mulher, mas é cheio de nhénhénhé?
Que na hora que tem que se posicionar e tomar atitude, fica cheio de não me toques e frescuras?
Não é o cara que vai e resolve... até pra coisas bobas. Enfim.
Eu até brinquei, disse que tem coisas que sou super capaz de fazer, mas que não faço meeesmo, porque acho o cúmulo me esfalfar por conta.
Tipo que eu brinco com o B, pedindo pra ele trocar as lâmpadas, e digo que casei por causa disso.
Oras!
Tenho medo de eletricidade, e sou baixinha - mesmo em cima de um banco tenho que me esticar toda pra trocar a maldita lâmpada. Então ele que vá e troque. :)
(ele troca, rs)

Ser "o homem da casa"? Não, obrigada.
Eu passo - sou mulher mesmo, rs.
Precisando, faço tudo.
Mas a gente vira casal é pra dividir - cada um com seu ponto forte.

Aí meu amigo levantou um ponto interessante: a figura paterna.
Ele disse (e eu concordo), que boa parte das mulheres busca a figura paterna nas relações, o homem que protege e tals.
É assim mesmo - só que a questão é: por que não deveria ser??????
(escuto feministas rangendo os dentes agora, rs)

Pensa só - a figura do pai é o referencial masculino que a maioria de nós tem, seja pra bom ou pra ruim.
Como querem nos culpar (e nós mesmas nos culpamos) por usar isso como guia??
Se seu pai foi maravilhoso e você teve um bom exemplo, vai passar a vida querendo um cara tão bom quanto.
E se ele foi um merdão, vai passar a vida fugindo de caras como o filho da puta (se for esperta - algumas passam a vida com fracassados justamente por eles serem parecidos com os babacas dos pais).

Agora, me diz: isso é errado?
E vem cá, os homens também não procuram a figura materna, do mesmo jeito?
Claro que sim!
Toda mulher num relacionamento mais longo sabe: quando eles ficam doentes, querem um monte de mimos e atenção, acham que vão morrer e viram uns resmungões. Querem ser cuidados como se fosse... pela mãe!
Igualzinho!

Então é errado isso?
Bolas, não!

Os papéis é que andam confusos demais, como a gente não cansa de dizer.
É homem reclamando que se pedir inocentemente pra mulher botar a janta, toma com o prato na cara...
É mulher frustrada porque o marido deixa pra ela resolver tudo com os pedreiros que não a respeitam...
Ô, inferno!
Era melhor que as expectativas fossem mais claramente definidas logo de cara, né?

Tipos: eu gosto e não ligo de fazer isso e isso. E espero que você assuma isso e aquilo.
Enfim.

George Michael é que estava certo - ele quer ser sua figura paterna e não acha nada de errado nisso, rs.
Tá bom, ele é gay.
Mas a gente perdoa ;)

25 comentários:

Fernanda disse...

Assunto que tem várias vertentes.

Eu fui criada sem pai, erámos eu, minha irmã e minha mãe.

Daí que hoje sou casada, e minha psicologa diz que eu crio expectativas em relação ao meu marido, como se ele fosse meu pai.

E ela tem razão.

Eu gosto da sensação de proteção que eu tenho nessa relação.

Então não tenho um referencial de homem, mas tenho uma ausência que eu procuro preencher.

Adorei o post Elise!

Bjus

Hellen disse...

Concordo em gênero, número e grau.

Casei esperando que meu marido me tratasse como a mulher/lady que sou. Não troco lâmpada, não arrasto móveis, não pego no pesado, até mesmo porque o marido não deixa.

Se eu estiver sozinha, pode ter certeza que vou fazer: não sou de fugir de uma boa peleja mas, sou totalmente contra "a igualdade de direitos" no que tange papéis e figuras na relação.

Somos parceiros, somos cúmplices e cada um desenvolve seu papel no relacionamento: ele cuida de mim, eu cuido dele. Sem problemas...

Não sou fresca, não sou corpo mole, mas acho que meu papel de "mocinha" deve ser respeitado. rsrsrs.

Thielly Zamorano disse...

Lendo o post eu descobri que eu sou homem... eu sou a pessoa que mais pede colo na face da terra, se entrar farpa no dedo parece q vai sair os intestinos tamanho o meu drama...

Queen C disse...

meu pai sempre me tratou como uma princesa. até hj ainda trata. claro que procuro um cara que me trate da mesma maneira. mas ô coisa complicada hein. apesar de achar que os homens tem medo de mulheres bem resolvidas e blablabla, acho que eles também "temem" mulheres mais mimadas.

Katia disse...

Putz é tudo isso aí mesmo...falou e disse!!!

Tem até aquela história que depois de tanto procurar a gente acaba envolvido o clone do pai ou da mãe...kkk

Eu, mesmo que inconsciente, sempre pensei em homens que fossem iguais ao meu pai, pelo jeito que cuidava de nós, da minha mãe e da casa.
E, meu marido é exatamente assim, até nas coisas chatas do meu pai, ele consegue ser igual.
Que saco né?!kkkkk

Como a Hellen já falou, não sou fresca e nem faço corpo mole..mas, adoro ser a mulherzinha da casa e ser tratada como tal.

Se as feministas acham isso um absurdo, problema delas..eu quero mais é mimo!!!

Bjas

Renata disse...

ahhhh chérie lá em casa tem esse negócio d feminismo não :P

instalar máquina d lavar roupa, trocar não-sei-o-q da tomada, arrumar o sinal da tv? é com ele...e se não tiver? não me viro tb não, pago alguém q faça...e sem remorso nenhum, me dou esse direito :P oras...já basta eu precisar trabalhar, organizar a dinâmica de casa, daqui uns anos parir uns bacuris e cuidar dos mesmos (e buscando sempre estar linda, em forma e cheirosa, não esqueçam) e ALÉM disso eu tb tenho q resolver todo o resto da bagaça da casa/carro e afins? fazer xixi em pé tb? ahhhhh não né, faz favor...

homem com frescura e nhé nhé nhém eu jogo pela janela! (ou jogava né, já q hj tenho o meu amoure rs) e q me desculpem as feministas e os afeminados-com-pé-na-boiolagem mas homem é homem, menino é menino, macaco é macaco, baitola é baitola...e mulher é mulher rs eu cumpro meu papel, vc cumpre o seu e td mundo fica feliz e d boa sem mulher queimando sutiã e homem sem queimar a rosca :P

:*** beijas

Anônimo disse...

Também acho que cada um tem seu papel, essas coisas de casa tudo quem faz é meu noivo, e olha que moro sozinha e ele só vem aqui uma vez por mês... hahaha. Claro, se o ato em questão puder esperar tanto tempo - trocar lâmpada mesmo, como aqui cada lustre tem duas lâmpadas, se uma queima espero ele vir pra trocar. :D

"Toda mulher num relacionamento mais longo sabe: quando eles ficam doentes, querem um monte de mimos e atenção, acham que vão morrer e viram uns resmungões."

hahahaha é assim mesmo! Ele fala sempre "acho que vou morrer". hahaha

ass: ni

Elise Machado disse...

É isso - e mesmo quem não teve uma father figure organiza seu modo de pensar e ansiar de acordo com isso (seja de forma positiva ou doentia).
A lacuna existe, de uma forma ou de outra.

Não tou falando que é certo ou errado se basear na father figure - só que é NORMAL a mente da gente funcionar assim. Incoscientemente você tende a analisar o sexo oposto a partir deste prisma. Seja pra traçar paralelos, seja pra pontuar as diferenças.

Eu não nego - quanto mais diferente do meu pai, melhor.

Daniel disse...

Todos procruam referencias. Fato!

Uns são os próprios pais (pai ou mãe) outros um tio que o tratou como pai, uma pessoa que ela viu e achou que seria um bom pai. Aquilo vira referencial. E a comparação é direta.

A mulher além de querer ser protegida (e o homem GOSTA DE PROTEGER e pode até se sentir frustado quando não consegue) quer ser Amada, fato, também quer ser útil, por isso se dedica mais as prendas do lar. As prendas do lar não protegem,mas mantém o dia-a-dia. Muito machisa para os dias de hoje, mas é a criação que tivemos.

Conheço de carro o suficiente para operá-lo e andar com ele. Sei o básico. Mas mesmo que eu namore com a Danica Patrick (sonhar não custa né hehehe), que é pilota de Indy, se furar o pneu do carro QUEM TROCA SOU EU... nao ela. Isso é o que me cabe nesse latifúndio. Por mais que ela saiba até balancear os pneus, na hora H no meio da rua eu vou sair do carro e vou trocar.

Independe de machismo isso ou de papéis, mas de contratos, assinados em pensamento, eu faço até aqui, você faz até ai... o que não impede de vez por outra eu preparar o Jantar dela e servi-la a mesa. Ou ela programar a gravação do super bowl pra mim.

E gostar de ser cuidado quando se está doente ou mesmo dela fazer aquele omelete de batata frita com bacon e catupiry num dia que você vai chegar puto do trabalho, não é imitar a Mãe, mas querer agradar o Homem.

Cavalheirismo não sai de moda (ser safado, principalmente na cama e encantador no dia-a-dia também não).

Hey Luke, Eu sou seu Pai! Não a toa a Léia escolhe um excelente Piloto, que balança entre o Bem e o Mal (sorte dela que ele não tem a força).

Beijos do Saladeto,
Daniel

(Nao sei se vocês conhece,, mas tem duas músicas dos "SemiNovos" que lembrie nesses dias com o Salada: "Luke, eu sou seu pai" e "Escolha já seu Nerd")

Maela disse...

Irmã perdida... achei a conexão, nosso pai é o mesmo kkkkkk

Bob é o oposto do meu pai!

E Bob faz algo remotamente parecido com meu pai ( como o nhenhe nhé coitado de mim ) eu tenho xilique de horas!

E digo mais, eu realmente acho que um pai ruim é pior que pai nenhum.
Graças aos Céus que eu tive avô, um homem super forte e meu father figure!

Elise Machado disse...

Maela - tá explicado!!! rs

aime-caixadepandora disse...

Elise,

POST MARAVILHOSOO!

Bom, eu sempre odiei a forma como meu pai lidava emocionalmente com a gnt (eu e minha irma) e isso continua, eu continuo achando ruim... Ele é amoroso, carinho, mas muito impaciente, incompreenssivo, exigente demais, intolerante, explosivo....
Eu procurei a vida toda alguem o oposto dele nesse quesito...
E achei o Felipe, ele não é o completo oposto ele nao eh um buda, tem sangue... MAS eh mto diferente do meu pai...
Ja ele q abomina a forma com a mae dele é, me escolheu, completamente OPOSTO MESMO da mae dele.
Pai e mae sao referencia seja pro bem ou pro mal...
Agora essa historia de mulher que é mecanica, eletricista, encanadora e o cara fica sentado no sofa arredondando a pança nao eh comigo nao..
Em casa como ele nao curte essas coisas, pagamos seguro, pra q alguem faça oq nao sabemos. Atividades de casa? Um dia eu lavo a louça outro ele... Um dia eu troco o jornal no outro ele (dogs), se vamos fzr algo um arruma o lugar dos dogs antes de sair o outro na volta, msmo que na volta seja lavar por exemplo o banheiro. Nao interessa.
Somos companheiros, se ele é um desastre pra pegar algo (sobremesa, suja TUDO) eu pego, ele poe refrigerante/suco pra mim... Mas eu nao sirvo ele e ele nao me serve, aki ngm tem copeiro/empregado particular... Nos cooperamos.
Eu sou mulher e ele homem. Eu cuido dele e ele de mim...

beijos!

Juliana disse...

Meu pai é um crápula maldito bandido filho da puta. Minha irmã só caça nego igual.
Eu atraio quem me trata super bem e ela fica com invejinha, e eu não entendo o motivo.

Sobre esse lance de doença tenho épocas de cólica renal no meio da madrugada, e o maldito me disse: ai amor, qdo vc estiver tendo dor melhor nem me acordar, não posso fazer nada mesmo, né?

Final do ano, tô no parque de diversões em Sampa com minha sobrinha e ele liga de Ribeirão chorando: - Ai tô no hospitaaal, tô morrendo, pega o avião e vem logo pra cáááááá´.
Apesar de conhecer a peça, imagina meu susto? Logo que minha irmã chegou pra pegar a pequena arrumei a mochila com qualquer coisa e me debandei pra Ribeirão. Saldo final: teve um ataque de ansiedade pq teve uma cólica renal.

Juliana disse...

E concordo totalmente com a Maela, meu sonho sempre foi não ter tido pai, pq é horrível ter o tipo de lembrança que esse crápula me deixou.
E por essas e outras fico fula da vida com mulher que come o diabo com o marido e fala que nao separa por causa das crianças. Na boa? Vai tomar no koo.

Jussara disse...

Se pra quem teve um "mau" pai ou ausente é chato, pra quem teve um bom, como eu, tb é, pq homens como ele não existem mais! Se eu for me focar na figura dele vou passar a vida inteira procurando... em vão.
E olha que nem peço muito, só um pouco de companheirismo, e como vc bem disse alguém que se posicione e tome atitude, mas até isso parece que está em extinção.

Cíntia disse...

Esse post faz todo o sentido!
Eu fujo muito de tipos como o meu pai, mas tb quero alguém parecido com ele em certos aspectos. Cresci com o exemplo dele em casa, prestei muita atenção desde criança. Tudo o que ele fez de errado eu abomino, e não suporto nos caras q me envolvo. Mas a inteligência, a masculinidade dele tb não me permitem aceitar um homem sem essas 'qualidades'.

Edson disse...

Particularmente acho bacana ver nossos pais sem idealizações.Eles são pessoas como a gente antes de mais nada.

E o que fazer ? Se ressentir ou ficar em júbilo na espera de que nossos companheiros(as) sejam parecidos ou que nada tenham deles?

Acho que a coisa passa em saber administrar até onde algo é suportável sem idealizações e sem visôes de inferno.

Eu nao gosto de mulheres paradas.Aceito as diferenças, mas mulher que espera tudo do cara, meio dondoca nunca fez meu tipo.Gosto de mulher lutadora, que estuda, que vai em frente.São instigantes.Minha mãe não foi esse tipo de mulher apesar de que o tempo dela era outro que o atual.

Abraço

Rosângela Grub Costa disse...

Concordo em gênero, número e grau com o teu post, Elise!
O blog tá cada dia mais viciante. Beija!!!

Claudio Barretto disse...

Atenção cuecada - com essa já são 2 macetes pro Manual Cafa.

Observe a mãe da candidata (pra saber como ela será fisicamente no futuro).
E observe o pai da candidata pra saber o que vc precisa adaptar em vc. :P

(antes que alguém decida me queimar numa fogueira ou me asfixiar com um sutian - lembre-se que isso é uma brincadeira)

Claudio Barretto disse...

Mas agora uma pergunta séria e contundente.
Pq boa parte das mulheres suspira ao ver homens na cozinha, cuidando de filhos e ajudando em tarefas antes confiadas às mulheres?
(Conheço gente p.ex; que entrou pra faculdade de gastronomia pra facilitar as conquistas).

Seria uma feminilização da figura do parceiro?

Edson disse...

Acho que hoje Cláudio os papéis sociais não estã tão rígidos como antigamente.Seria algo inaceitável para um homem ir para cozinha e quando ia era taxado de boiola.

Não sei se seria apenas uma feminilização.Acho que até pode ser , mas ela não surgiu do nada.A vida caminhou para isso.Hoje não dá mais para ter uma parceria que não seja compartilhada.A saída da mulher do espaço doméstico e sua entrada no espaço público provocou mudanças profundas em todos os níveis.

Mas não creio em feminilização.Acredito que seja muito mais algo ligado a contigência do nosso tempo.

Abraço

Hellen disse...

Não, Claudio.

Na minha opinião, isso se deve ao fato de ficarmos "alentadas" em saber que nos dias de hoje, onde ambos (homem e mulher) trabalham, estudam, correm atrás, as tarefas de casa serão divididas e compartilhadas ficando mais fácil para todo mundo ter disposição para coisas mais amenas, como assistir um filme, até mesmo namorar.

É reconfortante vc saber que poderá contar com um parceiro mesmo, um companheiro, ao invés de um mané que vai chegar, tirar a roupa, deixar jogada pela casa, sentar no sofá, mandar vc colocar o prato de comida e levar a cerveja gelada pra ele na sala. Um cara que não vai ajudar com a louça, com a casa (o que é essencial quando ambos trabalham e não se conta com empregada), enfim... Vc saber que terá alguém com quem pode contar, é irrestível e muito galante, rsrsrs.

;)

Juliana disse...

Só que isso faz pensar.
A muguegada quer machos alfa, e coincidentemente a maioria que quer isso fala de boca cheia: não vou lavar cueca de ninguém!!!

E aí, Brasil?

Eu já trabalhei com ferramentaria, o namorado teve carreira na aviação desde sempre... Ele não sabe o que é WD40, não sabia ne o que era ferramentaria. Por minha vez, toda vez que vou fazer feijão ligo pra minha mãe. Ele cozinha, ajudo a instalar o chuveiro (tenho medo de lidar com energia).

Não sei, eu quero um companheiro, se depois de 6 meses morando num lugar e o fogão continua desregulado com uma chama que vai até o teto e ele não sabe arrumar, vou desistir dele por isso? São tantas e tantas qualidades que ele tem que isso é tão pequeno. Se ele fosse um grande bosta isso poderia ser a gota d'agua que faz transbordar.

Obvio que a mulher idealiza o macho alfa, a perfeição; mas a vida real não é bem assim. E nem sei se acho tão ruim.

Jussara disse...

Sobre a pergunta do Claudio, tb acho que não é uma feminilização da figura do parceiro, até pq na Europa e nos EUA isso é normal, já que lá , ter alguém ajudando em casa é bastante oneroso.
Eu acho que as mulheres "suspiram" pq é o que as mulheres de hoje querem: alguém que compartilhe as tarefas, e não apenas participe. Participar é fácil, compartilhar é diferente, requer boa vontade e real interesse. E falou bem: tarefas "antes" confiadas às mulheres, não mais apenas a elas. E como o tema do post é a father figure, não há como escapar: meu pai, mesmo sendo de outra geração, sempre fez de tudo em casa, então, pra mim, homem que compartilha tarefas é fundamental. E não é nem questão de suspirar, é questão de necessidade mesmo. A tripla jornada da mulher é muito pesada se o homem não a ajuda.

A Hellen deu um exemplo e eu conheço um bem parecido: a mulher trabalha em casa, mas tb faz as tarefas da casa, e ele não a ajuda em nada, não lava um copo, aliás, nem leva o copo pra cozinha. Ele chega do trabalho, deita o corpanzil no sofá e ela que leva tudo pra ele. Nesse caso, a culpa é um pouco dela tb, pois ela o acostumou assim e acha que assim é o certo, mas ao mesmo tempo ela reclama que ele não a ajuda, que bagunça, deixa tudo espalhado ...

A questão não é o cara saber consertar e fazer coisas, acho que a grande maioria não sabe, mas no caso de não saber, é tomar a iniciativa de procurar quem faça, resolver a situação. Como disse a Elise, até sabemos fazer e se precisar fazemos, "mas a gente vira casal é pra dividir - cada um com seu ponto forte".

aime disse...

Claudio,

Na minha opinião, o homem que realiza as tarefas que de origem eram das mulheres, as realiza pq se acham homem suficientes para isso, nao precisam ficar preocupados se a sua masculinidade será manchada... Pq eles tem consciente do quao homens sao. Qd o home gosta de cuidar dos filhos, gosta de cozinhar, isso signifca que ele gosta de participar da casa como um todo, de estar presente, q ele curte o LAR (nao a casa o LAR), q ele curte a familia, que ter filhos nao eh responsabiidade da mulher e sim do casal.
É lindo ver um homem que se responsabiliza pela parte que o cabe no LAR, fazendo com que assim a casa seja a cara dos dois, porque os dois colaboram com tudo. A casa nao é mais da MULHER é do CASAL!

É isso que faz fascinar!

BJoks!