terça-feira, 27 de abril de 2010

THE HELL IS HERE!



Que tal uma brincadeira, para passar o tempo?

Quem acompanha o blog há tempos já sabe que sou agnóstica, então a brincadeira não tem NADA de religioso, ok? É só escape pra reclamar mesmo, rsrs.

Eu queria saber o seguinte:  
qual seria a sua definição de inferno pessoal?

Atualmente, claro. Pois eu entendo que os infernos pessoais mudam de acordo com o momento em que a gente vive.
Mas qual seria sua definição de inferno? Aquela situação constante que te deixaria louco? Cujo cenário você trocaria facilmente por ter farpas enfiadas embaixo das unhas?

Pois eu digo como imagino um inferno particular:


- A minha definição de private hell começa muito parecida com uma MICARETA SEM FIM.

Axé tocando alto non stop (acho que não tem quase nada que eu odeie com mais forças do que axé), gente suada empurrando, nenhum banheiro à vista, só cerveja quente pra beber, calor, calor, calor...
As pessoas gritam, cospem na rua, pegam no seu braço... a educação é um conceito inexistente.

Os puxadores das músicas assassinam o português aos berros, a lama cobre o chão, o cheiro de xixi impregna o ar...gulp!


- No meu inferno pessoal há infinitas rodinhas de amigos tocando violão.
Nada me causa mais arrepios do que um bando de gente desafinada, sentada em roda, fumando maconha, bêbada e cantando: "...me leva amor.... por onde for, quero ser seu PAAAAR...", e músicas assim.

Sorry, sorry, sorry - é gosto pessoal. Pra mim nada é mais cafona, pobre, péssimo e torturante! Eu olho e desejo imediatamente a morte ou sumiço dessas pessoas. Ou a minha.


- No meu inferno, não entra açúcar, gordura, chocolate, carne e nada que seja GOSTOSO.
Tudo é zen, natureba, politicamente correto, saudável, cru, sem gosto, sem vida, chato, chato, chato....

Inferno pra mim é comer mato o resto da vida.


- Por último, meu inferno é um eterno dia de verão, sem fim.
O sol nunca se põe. A noite nunca vem.

Os olhos ficam cansados da claridade, da luz, mas a benção e a paz do escuro nunca chegam. As coisas nunca aquietam. Os sons nunca suavizam. As formas nunca esmaecem. A energia das pessoas nunca baixa.

Bom, agora todo mundo já sabe como me torturar, rsrs.
Não fique ofendido se alguns dos meus infernos pessoais calha de ser o seu céu, ou algo assim. Como eu disse, é pessoal, é gosto.
Eu sei que EU prefiro cortar os pulsos com Gilete cega do que me submeter a qualquer destas circunstâncias.
E você?

Qual é o seu inferno?

22 comentários:

Andréa disse...

Eu diria que nem posso me imaginar numa micareta.
Sem a menor possibilidade disso acontecer um dia.hehe
Meu inferno?
Uma roda de pessoas falando em doença.Aquela coisa tipo,quem é mais doente,quem sofre mais de dores pelo corpo,isso me deixaria irada de verdade.
Um monte de crianças de seis anos pedindo comida,eu surtaria.
Homem se esfregando em mim nos dias em que eu estou completamente sem vontade,acho que eu seria capaz de matar.Pelo menos isso já passou pela minha cabeça algumas vezes.
Que mais?
Acho que por hoje tá bom né.
Chérie sonhei com vc essa noite.
Sonho doido,muito doido.
Só me lembro que saímos para jantar e depois rimos muito,então era sonho bom.
Beijas.

ÂME PASSIONNÉE disse...

Me identifiquei muito com alguns dos seus infernos....

principalmente aparte da micareta, argh!!!!!!!!!!!!

odeio gente suada, melada, esbarrando......

mas meu maior inferno na terra, é engordar.......

pra mim 2 kilos que ganhei esse mes, to no infrerno ja, só no matooooooooooooo

isso é neurose e inferno pra mim..... o resto é purgatório, e umbral, rsssssssssss

bjs

Priscila Almeida disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
ni disse...

Meu inferno pessoal é uma diarreia m um lugar não adequado como fazendo prova ou dentro de um avião. hahaahaha
Tenho pavor de viver isso algum dia.

Priscila Almeida disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Niki disse...

Olá, Elise!
Concordo com o que você disse, mas eu trocaria a micareta por baile funk (que odeio mais) e acrescentaria assistir "Chaves", ouvir sermões religiosos, e aguentar fedelhos sem educação que que gritam, falam errado, e acabam com a paz alheia.

Karla disse...

O meu seria sem dúvida um show de música sertaneja com aqueles cantores de calça agarrada, bota fita, a fivela do tamanho do mundo. Um monte de mulher gritando " lindo, lindo" e alguém rimando " vida boa, sapo pulou na lagoa", aff!!!!!!!
Desculpe-me quem gosta mas não suporto independente de ser universitário, fundamental, o que for!!!!
Outra coisa que não suporto e que seria meu inferno pessoal é gente chata, mal humorada,que adora falar das coisas citando marcas e preços " a minha bolsa chanel" humanizando o trem.
Por último qualquer tipo de fila.

Adriana Pereira disse...

Bom... eu sou chata, mas chata mesmo, daquelas que não gosta de nada e que implica com todo mundo.
Então meu inferno seria, além da micareta (odio mortal) e da rodinha de violão que vc já falou, reunião de família, minha ou do marido, onde eu tenho que ficar fazendo a simpatica, sorrindo e conversando, enquanto o que eu mais queria era estar no sossego do meu lar.

Silvia Maria disse...

Bom, como não tenho carro e ando de buzum, meu inferno pessoal "onibesco"se resume àquelas pessoas que ignoram a existência de fones de ouvidos e ouvem a todo volume, coisas tipo funk, pagode e outras atrocidades, enquanto conversam AOS BERROS com o colega ou a colega do lado (porque esse tipo de gente não tem amigo, tem colega).
Bjks

Gabriela disse...

Odeio vendedores de balas num trem lotado em plena segunda-feira
Monobloco no último dia de Carnaval aqui é o meu pesadelo.
Gente desafinada cantanto em karaokê de barzinho acaba comigo.
Odeio mais ainda pessoas que pra puxar assunto comigo me chama de NEM,COLEGA,etc.

Beijos!

Sil disse...

A sua descricao detalhada foi perfeita e eu tive crise de panico so de ler o seu texto (agora essa merda nao sai da minha cabeca, os homens cantando OLHA A LUA BRANCA enquanto as mulheres cantam ME LEVA AMOOOOOOOOR, puta que pariu Elise!!), e pra contribuir posso dizer que o meu se resume a barulho, tumulto e gente mal educada (micareta, oi?). Outro dia um canadense amigo meu veio todo feliz me dizer que tinha uma otima noticia pra mim: Ivete Sangalo vem cantar no Brazilian Day em Toronto!

...

Eu respondi perguntando quando vai ser - pra saber o dia exato em que eu nao vou sair de casa.

Maela disse...

Boa explicação p/ micareta Elise, eu nunca fui por preconceito, agora não vou por saber como é mesmo...kkk, é pior do que eu pensava.
Inferno é um lugar cheio de gente ordinária, trajando o mesmo tipo de roupa, falando alto, pensando que é seu amigo, usando drogas numa longa fila onde estas pessoas furam, empurram e passam na sua frente para assistir show do Belo.
Que tal??

Ellen Giese disse...

Trem lotado no verão, Paraguai em feriado ao meio dia.... Imagina se todas as pessoas começassem a te cutucar para perguntar coisas? Odeio gente encostando! Mp3 com som ligado no meio da rua também é um inferno, ainda mais tocando axé ou funk. Mas depois que li o livro Ensaio sobre a cegueira e assisti o filme, imagino que esta situação seria o pior dos infernos. Todo dia quando acordo abro o olho com a sensação que não posso mais ver nada, é horrível.

Sam... disse...

Hum... meu inferno é assim:

Carro de malaco com som alto na frente de casa...
Criança fazendo birra... qualquer birra...
Qualquer pessoa fuçando na comida q eu estou fazendo... ou na esa q eu estou arrumando...
Perguntas nos primeiros 30 minutos após eu acordar.... é a visão do capeta..rsrsrs


Ah sim...calor infernal tbm me cansa... pra mim os dias seria eternas tardes de outono!

bjas!

Anônimo disse...

Depois dessa bela lista(com a qual concordo em número e grau), só faltou uma coisa: ter que aguentar um culto da Universal, caso você more próximo(diga-se colada) a uma dessas igrejas. En passant, você não sabe o que é mais assustador, se é o exorcismo do "endemoniado" ou os berros do pastor.

Elise Machado disse...

Estou adorando os infernos, rsrs.

Fiquei especialmente interessada no inferno do anônimo, que não só espelha o meu, mas levanta um ponto importantíssimo, e que também concordo em gênero, número e grau.
Identifique-se, anônimo irmão-gêmeo!!! rsrs

Luciana Matos disse...

Meu inferno astral seria estar casada com um ogro, feio, rabugento, mal educado, e grosso, sem perspectivas de conseguir me livrar dessa vida porque eu teria 7filhos que dependem do salário de ajudante de obras dele e eu burra não estudei, como mandou minha santa maezinha! kkkkkkkk
Ah, tem mais o ogro não seria muito propenso a banhos e eu teria que senitr aquele cheirinho de suor misturado com cimento toda noite antes de dormir. Ó céus, ó vida, ó azar! rs!

Bia disse...

Elise, pra mim inferno (além da micareta interminável) seria ter que aguentar um rodeio, com direito a show sertaNOJO no final - odeioooo música sertaneja, e aquela gente que se acha usando calça apertada, botas "country" e chapéu como se estivessem no Texas...

Patrícia Magrinha (louca por uma boa forma) disse...

verão escaldante
e
gente metida à engraçada

odeio!

Renata disse...

hahahaa, to morrendo de rir com "por onde for quero ser seu par".
É clássica das rodinhas de violão...hahahaha
beijos

camila disse...

Ai ai... vamos la... eu nuca pensei em comparar meu inferno particular com uma micareta, mas o exemplo veio a calhar... porque eu sempre imaginei o inferno com pessoas sujas, muito cheiro ruim e ruidos horriveis que te deixam meio surda, algo que vc nao consegue sair te deixando num completo desespero e isso francamente me parece uma micareta... hahaha. Com certeza teria sol tb... akele sol que todo mndo fala que ama, pra ficar estirada numa areia quente e grudenta, Eu prefiro muito mais o friozinho. Portanto o meu inferno particular deve se parecer muito com o teu, com excessao das coisas naturebas, sou biologa entao adoro o meio do mato... rsrs

Ellen Giese disse...

Descobri uma nova possibilidade de inferno: http://katylene.com.br/2010/04/28/ja-tem-programa-pra-esse-halloween/

Caravana+louvores+Mara=WTF? E tem gente que paga?